Consórcios cariocas são os vencedores da licitação dos ônibus do Rio

quarta-feira, 1 de setembro de 2010


O secretário municipal de transportes, Alexandre Sansão, confirmou o resultado das licitações para a concessão da operações dos ônibus do Rio de Janeiro pelo prazo de 20 anos. A decisão está publicada na edição desta quarta-feira do Diário Oficial do Município. Os vencedores das licitações são 40 das 47 empresas que já atuam no Rio e disputaram as concorrências em forma de consórcios.

( Com as novas concessões, o que muda e o que permanece em relação ao transporte público do Rio? Envie seu artigo para ser publicado aqui no site )

A expectativa é que a prefeitura divulgue nas próximas horas a data para as assinaturas dos contratos. A partir daí, as empresas se comprometem a implantar o bilhete único municipal no prazo de 60 dias.

Na abertura dos envelopes com as propostas de preços das tarifas, todos os quatro grupos cariocas e dois paulistas indicaram o mesmo valor de tarifa (R$ 2,40) como era previsto no edital.

Ao contrário do que havia dito anteriormente, em junho, a prefeitura desistiu de transferir às empresas de ônibus a tarefa de apresentar projetos visando a racionalização das linhas , objeto de críticas quando foi anunciada a licitação do sistema . De acordo com o edital de concorrência, cabe à Secretaria municipal de Transportes formular o plano, que resultará na redução do número de ônibus nas regiões Sul e Norte, na Barra e em Jacarepaguá, bem como no aumento da frota na Zona Oeste.

De acordo com o edital, em 20 anos de concessão das linhas, as passagens pagas pelos usuários somarão R$ 15,9 bilhões. Nesse período, os concessionários deverão investir R$ 1,8 bilhão na melhoria do serviço. Entre as exigências está a instalação, em todos os veículos e em até 24 meses, de GPS e de equipamento para a localização dos ônibus, a cada minuto, interligados à Secretaria de Transportes. Também num prazo de dois anos todos os veículos terão, no mínimo, uma câmera de filmagem. Outra obrigação da concessionária será a de gravar e armazenar, por 72 horas, as imagens gravadas durante o trajeto dos ônibus. Os vencedores da concorrência terão ainda que assumir a manutenção dos terminais e implantar novos pontos de ônibus.

O edital de licitação dividirá a cidade em cinco regiões. Para a região 1 (Centro e área portuária), considerada destino, não poderão ser apresentadas propostas. Os percursos dessa área entrarão no bloco da região 2 (Zona Sul, Tijuca e adjacências). Na região 3, estão incluídos 83 bairros da Zona Norte e na região 4, Barra, Jacarepaguá e adjacências.

Fonte: Extra Online


READ MORE - Consórcios cariocas são os vencedores da licitação dos ônibus do Rio

São Paulo: SPTrans alterará itinerários de ônibus na Zona Sul


A SPTrans informa alterará os itinerários de 14 linhas de ônibus, em função da realização dos eventos XV Congresso Paulista de Ginecologia e 11ª edição do congresso Fitness Brasil 2010, que acontecerão entre os dias 2 e 4 de setembro, das 7h às 22h, no Transamérica Expo Center, localizado na Av. Mário Villas Boas Rodrigues, em Santo Amaro, Zona Sul da Capital.

Para informações sobre os trajetos de linhas de ônibus consulte itinerários ou ligue 156.

Linhas e itinerários:

677A/10 Term. Jd. Ângela – Metrô Ana Rosa
7710/10 Term. Guarapiranga – Metrô Ana Rosa*
637A/10 Terminal Jd. Ângela – Pinheiros
637C/10 Jd. Jacira – Pinheiros
Ida: normal até Av. Dr. Mário Vilas Boas Rodrigues, Rua Adele, Av. Mário Lopes Leão, Avenida das Nações Unidas, prosseguindo normal.
Volta: sem alteração.

6049/10 Valo Velho – Santo Amaro
Ida: sem alteração.
Volta: normal até Av. Mário Lopes Leão, Avenida das Nações Unidas, Rua Dr. Rubens Gomes Bueno, Rua Acari, Rua Centro Africana, Av. João Dias, prosseguindo normal.

6007/10 Pq. Santo Antonio – Term. Santo Amaro
6013/10 Jd. Nakamura – Term. Santo Amaro
6043/10 Jd. Capelinha – Term. Santo Amaro
6065/10 Vila Calú – Term. Santo Amaro**
Ida: sem alteração.
Volta: Term. Santo Amaro, Av. Pe. José Maria, Avenida das Nações Unidas, Rua Dr. Rubens Gomes Bueno, Rua Acari, Rua Centro Africana, Av. João Dias, prosseguindo normal.

6042/10 Jd. Três Estrelas – Santo Amaro
6036/10 Jd. Macedônia – Santo Amaro
6039/10 Valo Velho – Santo Amaro
Ida: sem alteração.
Volta: normal até Av. Mário Lopes Leão, Avenida das Nações Unidas, Rua Dr. Rubens Gomes Bueno, Rua Acari, Rua Centro Africana, Av. João Dias, prosseguindo normal.

746P/10 Paraisópolis – Santo Amaro
746P/31 Paraisópolis – Santo Amaro
Ida: sem alteração.
Volta: normal até Av. Mário Lopes Leão, Avenida das Nações Unidas, Rua Dr. Rubens Gomes Bueno, Rua Acari, Rua Centro Africana, Av. João Dias, prosseguindo normal.

* Linha que não atende aos sábados e domingos;
** Linha que não atende aos domingos.

Fonte: SPTrans


READ MORE - São Paulo: SPTrans alterará itinerários de ônibus na Zona Sul

Vale transporte eletrônio começa a ser implantado em Teresina


Os cerca de 200 funcionários da Superintendência Municipal de Transporte e Trânsito (Strans) serão as primeiras pessoas da capital a serem beneficiadas com a implantação do vale transporte eletrônico. Etapa essencial do processo de integração do sistema de transporte de Teresina, a substituição do vale de papel pelo digital deverá ser totalmente concluída dentro de no máximo oito meses.

A mudança evitará que o ticket seja comercializado por vendedores ambulantes da cidade, além de dar mais segurança aos usuários de transporte coletivo, tendo em vista que diminuirá o risco de assaltos aos ônibus.

Segundo Fábio Prado, gerente do Setut, semelhante ao cartão passe verde utilizado pelos estudantes, o vale eletrônico será carregado por meio da internet. No entanto, com uma vantagem ainda maior para os funcionários de empresas públicas e privadas, já que estes não precisarão se deslocar até os postos de recarga disponibilizados pelo Sindicato das Empresas de Transporte Urbano de Teresina. “As próprias empresas irão fazer o repasse do dinheiro ao Setut, sendo que o cartão é automaticamente recarregado na data estipulada pelo empregador”, explica.

Para os órgãos de transporte e trânsito da capital, a substituição do vale tradicional fará com que o volume de dinheiro transportado pelos veículos coletivos diminua, refletindo diretamente na diminuição da quantidade de assaltos aos colaboradores que trabalham com o sistema de transporte teresinense. Além de maior segurança, os representantes do Setut argumentam ainda que a transição trará mais facilidade e comodidade aos usuários. “Nossa intenção é divulgar ao máximo a nova tecnologia, assim não haverá dificuldades no decorrer do processo”, esclarece Prado.

Já o cartão expresso - que será utilizado avulsamente pela população - ainda não tem data para ser disponibilizado ao público. Inicialmente pensado para suprir a demanda de pessoas que não recebem vale transporte de empresas, o cartão Mais Fácil Expresso ainda está sendo analisado pela prefeitura. “Ele será adquirido nos postos de venda e recarregado de acordo com a necessidade do usuário. Contudo, não sabemos como será a sua distribuição”, ressalta Fábio Prado, ao comentar que 57% da população da cidade utiliza o vale transporte como forma de pagamento da passagem.

O processo de implantação do novo vale será gradativo e tem como uma de suas metas o cadastramento de aproximadamente duas mil empresas, as quais compram vales regularmente no Strans. Na oportunidade de lançamento da nova tecnologia, ontem, 31, no Salão Nobre da Prefeitura, o prefeito Elmano Ferrer anunciou que ainda esta semana estará enviando ao PAC II a proposta para construção dos terminais da cidade, completando assim a integração do sistema de transporte coletivo de Teresina.

Fim dos vendedores de vale e do comércio de papel

Trabalhando há mais de 10 anos com a venda de vale transporte, Francisco das Chagas viu na comercialização do ticket uma forma de complementar a renda de aposentado. No entanto, o anúncio da migração do vale de papel para o eletrônico o deixará mais uma vez sem uma fonte extra para seu sustento, já que dentro de alguns meses o vale tradicional deixará de existir. “Quando soube da mudança não pensei que fosse ser feita em tão pouco tempo, então o jeito é eu me acostumar com as novas mudanças e aproveitar os meses que ainda me restam para juntar mais algum dinheiro”, afirma.

Assim como os vendedores de vales, outro segmento que sairá perdendo com a transição será os comerciantes, principalmente aqueles de pequeno porte. Estes, não raramente, utilizam os vales transportes como moeda de troca para seus produtos, abarcando uma clientela desprovida de dinheiro em espécie. “Todo dia recebo vales como pagamento pelos lanches que vendo, sendo que eu repasso os vales que recebo a um preço mais caro”, revela o comerciante Baltazar da Silva.

Contudo, para Ricardo Freitas, superintendente da STRANS, o vale transporte não foi pensado para servir como moeda de troca, sendo que sua função está sendo desvirtuada por boa parte das pessoas. “A informatização vai garantir que o vale resgate a sua finalidade, que é a de transportar o usuário”, enfatiza.

Fonte: Portal O Dia


READ MORE - Vale transporte eletrônio começa a ser implantado em Teresina

Horários e itinerários são alterados em Sorocaba


A partir desta quarta-feira (01) a Urbes – Trânsito e Transportes informa que serão realizadas cinco alterações em linhas do Sistema de Transporte Coletivo de Sorocaba. Confira:

08 – Trujillo: Terá seu ponto final alterado para a avenida Mario Covas nas proximidades da Escola Municipal Avelino Leite de Camargo;

31 – Cajuru: Alteração do horário de partida do Terminal São Paulo de 13h33 para 13h28, de segunda a sexta-feira;

60 - Ouro Fino: Alteração do itinerário e do ponto final do atendimento ao Wanel Ville V. O novo itinerário será:
Partindo do Terminal Santo António - Segue normal até a rua Zenilda Alves Mascarenhas e depois pela rua Darcy Fruet e avenida Joaquim de Carvalho Gil, onde passará a realizar ponto final.
Partindo do Novo Ponto Final - Parte da avenida Joaquim de Carvalho Gil, e depois segue pelas ruas Nelson Antonio Henrique e Zenilda Alves Mascarenhas, retornando ao seu itinerário normal até o Terminal Santo António.

63 – Esmeralda: Alteração do itinerário sentido bairro-centro:
Partindo do Novo Ponto Final - segue normal até a alameda dos Antúrios, e depois pela alameda das Papoulas e avenida Américo Figueiredo, retornando ao seu itinerário normal até o Terminal Santo António.

77 - Santa Bárbara: Voltará a atender a rua Almir Muza Soares em ambos os sentidos e a realizar ponto final na rua Alexandre Dias Batista, portanto, fica suspenso o atendimento ao bairro Jardim Tropical.

Fonte: Jornal Cruzeiro do Sul


READ MORE - Horários e itinerários são alterados em Sorocaba

Mobilidade urbana demanda compromisso de longo prazo de novos governantes


Centros urbanos brasileiros estão à beira de um apagão no seu sistema de transporte. Uma pesquisa da Fundação Dom Cabral (FDC) aponta que, sem investimentos, São Paulo vai praticamente parar daqui a quatro anos, avenidas do Rio de Janeiro ficarão intransitáveis em oito e Belo Horizonte e Porto Alegre terão lentidão permanente em suas vias daqui a 12 anos.

A solução dos problemas da mobilidade urbana é um dos desafios do próximo presidente da República e governadores, que serão eleitos este ano, e dos atuais prefeitos. Durante os quatro anos de mandato, os governantes terão de colaborar para minimizar as falhas no transporte coletivo e no sistema viário das principais cidades brasileiras.

Para a solução definitiva do problema, porém, compromissos em longo prazo serão essenciais. Especialistas em mobilidade urbana afirmam que só com o comprometimento de investimentos em obras de longa maturação será possível desafogar o trânsito das metrópoles.

“Precisamos de compromisso”, diz o coordenador do núcleo de Infraestrutura e Logística da FDC, Paulo Resende. “No Brasil, o político acha que tem que desconstruir o que seu antecessor fez. Isso prejudicou os investimentos em transporte durante a década de 90 inteira.”

Em entrevista à Agência Brasil, Resende afirmou que a frota das grandes regiões metropolitanas aumenta cerca de 15% por ano. A cada cinco anos, o número de carros nessas áreas dobra.

Para ele, apenas obras de grande porte podem acomodar toda essa demanda ou criar alternativas para que a população possa deixar seu carro em casa. O problema é que essas obras levam tempo para ser concluídas e, por isso, muitas vezes acabam deixadas de lado.

“O político não quer iniciar uma linha de metrô, por exemplo, que só será inaugurada depois que ele não estiver mais no cargo”, disse. “Acaba investindo em pequenas intervenções, que melhoram algumas coisas, mas não resolvem o problema definitivamente”, completou.

O arquiteto e urbanista Jorge Wilheim, que participou da elaboração do plano diretor dos municípios de São Paulo e Curitiba, ressaltou que a reorganização do sistema de transporte público nas grandes cidades é fundamental para o deslocamento das pessoas.

Segundo ele, estações de metrô têm de ter estacionamento para bicicletas e carros. Devem ser também interligadas a linhas de ônibus que trafegam por corredores exclusivos do transporte coletivo. “Isso não é fácil, custa caro e demanda tempo. Pelo menos 15 anos. Mas é preciso que os governantes assumam o compromisso de pelo menos iniciar as obras”, disse.

De acordo com o diretor-superintendente da Associação Nacional das Empresas de Transportes Urbanos (NTU), Marcos Bicalho dos Santos, seriam necessários cerca de R$ 10 bilhões anuais por pelo menos uma década para criar sistema de transporte público eficiente em todas as cerca de 50 cidades com mais de 500 mil habitantes do país.

O Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) da mobilidade urbana, principal programa de investimento no setor de transportes urbanos, contém projetos orçados em R$ 11,4 bilhões. Lançado em janeiro, o programa planeja os investimentos na mobilidade das 12 cidades-sede da Copa do Mundo até 2014. Para Santos, ainda é pouco. “O PAC é um começo”, avalia. “Não podemos ficar limitados às cidades da Copa. Muitas cidades ainda precisam de investimento”, completou.

Fonte: Ecodesenvolvimento


READ MORE - Mobilidade urbana demanda compromisso de longo prazo de novos governantes

Mais pontos de vendas de passagens de ônibus urbano em Caxias


A partir desta quarta-feira, dia 1º de setembro, os usuários do transporte coletivo urbano de Caxias do Sul poderão contar com mais 3 pontos para aquisição de passagens de ônibus. A Visate já disponibilizava 23 pontos comerciais e, a partir deste mês, as Livrarias Rossi também irão disponibilizar o serviço.
Os clientes da Visate já podiam adquirir cartões e créditos em pontos comerciais diversos desde maio de 2008. Entre eles estão: 15 supermercados da Rede Super Bom, quatro postos de Controle da empresa, três pontos de atendimento ao cliente Visate e campus 8.
Nos mercados da Rede Super Bom e Livrarias Rossi pode ser adquirido cartão comum e recarregado cartão estudantil. No campus 8 da UCS o serviço está disponível junto à biblioteca. Nos Postos de Controle podem ser comprados cartões comuns e na Central de Atendimento ao Cliente, MAC UCS e MAC Triches todos os serviços oferecidos pela Visate estão disponíveis aos clientes.
• Durante dois anos a Visate firmou parceria para venda de créditos com a Rede de Farmácia Total Farma , porém em junho de 2010, a Resolução da Diretoria Colegiada da Agência Nacional de Vigilância Sanitária – ANVISA, RDC Nº 44, 17 de agosto de 2009, impossibilitou a continuidade da parceria. A legislação proíbe a dispensação e comercialização de produtos e a prestação de serviços farmacêuticos em farmácias e drogarias e outras providências.

Fonte: TV Soluções


READ MORE - Mais pontos de vendas de passagens de ônibus urbano em Caxias

Prefeitura de Praia Grande altera datas na licitação de transporte coletivo


A Prefeitura de Praia Grande alterou os prazos para a licitação de concessão de serviços de transporte coletivo urbano (ônibus) no município. O representante da empresa poderá retirar o edital corrigido da concorrência pública nº 012/2010, mediante a entrega de CD-R, na Secretaria de Trânsito e Transporte (Setransp), localizada na Avenida Presidente Kennedy, 9.000, 2º andar, Bairro Mirim, a partir de quarta-feira (1), das 8h30 às 12 horas e das 13 às 16 horas. As mudanças foram solicitadas pelo Tribunal de Contas, depois de questionamentos sobre alguns itens do edital.

Para a continuidade dos serviços, a Prefeitura prorrogou por 180 dias o contrato emergencial com a atual empresa responsável pelo transporte público, a Viação Piracicabana. Caso haja necessidade, o prazo, que vencerá em dezembro, poderá ser prorrogado.

A data para a garantia contratual de participação das empresas foi adiada para dia 27 de outubro e o prazo de entrega das propostas e documentação ficou marcado para dia 3 de novembro, até 10 horas. A abertura dos envelopes será na mesma data, às 14 horas. Todas as informações serão analisadas por comissão especial, formada por funcionários públicos das áreas administrativa, técnica e jurídica.

As empresas interessadas devem apresentar três envelopes contendo informações técnicas e administrativas. "No envelope de habilitação serão apresentados os documentos da empresa. O de metodologia deve conter informações técnicas mostrando seu conhecimento em sistemas de transportes. E no terceiro envelope, a empresa deve apresentar a melhor proposta comercial que, segundo o edital, deve ter o valor de outorga maior do que 1%", explicou Claudenir de Barros.

Atualmente, a empresa Viação Piracicabana transporta por mês cerca de 1,2 milhão passageiros, com frota de 69 veículos e valor de outorga de 1% por passageiro pagante.

Fonte: Prefeitura de Praia Grande


READ MORE - Prefeitura de Praia Grande altera datas na licitação de transporte coletivo

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960