DF: Motoristas de ônibus não respeitam locais de parada

sábado, 11 de dezembro de 2010

A lei é clara e determina que o motorista pare no ponto de ônibus, mas nem sempre é assim. “É muito desagradável, porque corremos o risco de sermos atropelados”, diz uma mulher. “Você dá sinal e ele vai embora, te deixa. Você aperta para descer e ele sai arrancando, você quase cai do ônibus. Já aconteceu comigo várias vezes, inclusive, quando estava grávida”, enumera outra passageira.

No início da Asa Sul as paradas costumam ser antecedidas por semáforos. Quando o sinal fecha, os passageiros desembarcam ali mesmo, o que é proibido. Pior é quando o motorista fica em fila dupla, não entra na baia e deixa os passageiros na pista, bem longe da calçada.

“É muito perigoso, principalmente para quem é gestante ou idoso. Não adianta reclamar, os motoristas brigam quando a gente reclama”, fala uma mulher.

“Quando acontecer um caso desses, o usuário deve pegar a numeração da lateral do ônibus e passar para a fiscalização do DFTrans pelo número 156. Passando, a gente vai tomar as providências, que inclui uma multa que varia de R$ 240 a R$ 1.080”, orienta o gerente de Fiscalização do DFTrans, Pedro Jorge Brasil.

A irresponsabilidade de um motorista quase causou uma tragédia ontem no Eixinho Sul, na altura da quadra 116. Ele parou num local onde não há proteção. Quando um passageiro desceu, se desequilibrou e despencou de uma altura de três metros.

Terezinha, que vende café na parada de ônibus, viu tudo. “Ele ficou muito atrás da parada, colado no meio-fio. Quando desceu, o rapaz não achou chão e caiu”, lembra. Testemunhas contaram que o motorista e o cobrador chamaram socorro e esperaram os bombeiros chegar.

Francisco Oliveira Costa, de 59 anos, foi levado para o Hospital de Base. Na queda, quebrou duas costelas. Por enquanto, Francisco vai continuar internado em observação, sem previsão de alta.

Fonte: DFTV

0 comentários:

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960