Grande Vitória enfrenta filas nos terminais e população reclama de operação tartaruga no 2º dia de Greve dos ônibus

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

No segundo dia de greve dos rodoviários da Grande Vitória, algumas cenas desta quarta-feira (24) se repetem. Passageiros esperam nos pontos de ônibus e coletivos passam em um intervalo de tempo maior do que em dias normais.

A demora varia de acordo com o bairro e é maior em locais atendidos por menos linhas. A Justiça deve definir ainda nesta quinta-feira (25) se a greve continua ou não.

Diante da decisão da categoria de manter apenas 50% da frota nas ruas, os sindicados das empresas GVBus e Setpes ingressaram com um novo pedido no Tribunal Regional do Trabalho (TRT-ES), desta vez para suspender a paralisação.

O dissídio coletivo foi marcado pelo TRT para o dia 3 de dezembro, às 10h. Mas até lá os rodoviários prometem continuar pressionando as empresas.

De acordo com os fiscais que atuam nos terminais do Sistema Transcol, 50% dos ônibus estão circulando, como foi anunciado pela categoria.

Vila Velha

Em Vila Velha, cartazes com os dizeres 'estamos em greve' circulam com os veículos que estão em funcionamento durante a paralisação.

No Terminal de Vila Velha os ônibus partem de acordo com demandas das filas. Em alguns casos, os passageiros esperam até 40 minutos nesses locais. Logo no início da manhã o movimento no local era intenso. Aos poucos, a quantidade de passageiros diminui.

Já no terminal de Itaparica, no mesmo município, o movimento foi o mesmo do encontrado no de Vila Velha.

Serra
foto: Eduardo Fachetti
Ônibus já estão com avisos sobre a greve
Ônibus já estão com avisos sobre a greve
Na Serra, muitos passageiros afirmam que a situação desta quinta-feira é ainda pior do que a encontrada na quarta e relatam que estão tendo de esperar até uma hora e meia nos pontos de ônibus localizados no interior dos bairros e às margens da BR 101.

Eles reclamam que muitos ônibus têm passado pelo local e não estão parando. Devido a isso, muitos acabam tendo de caminhar até os terminais de Laranjeiras e Carapina para, nesses locais, embarcarem em um ônibus.

No Terminal de Carapina, houve um princípio de tumulto na manhã desta quinta-feira, por volta das 8h. A medida que os ônibus chegavam ao local, lotados, os passageiros que os aguardavam nas filas ficavam irritados com a situação. Três viaturas da Polícia Militar estavam no local e conseguiram controlar os ânimos mais exaltados.

Já no Terminal de Laranjeiras, a situação na manhã desta quinta foi um pouco mais tranquila, apesar da grande quantidade de veículos parados no local.

Além de todo o transtorno gerado pelo número reduzido de veículos em circulação, alguns motoristas estão fazendo, em Vitória e na Serra, uma espécie de "operação tartaruga", ou seja, estão dirigindo a uma velocidade muito abaixo da habitual.

No Terminal de Laranjeiras, um motorista confirmou que alguns ônibus estão trafegando a uma velocidade máxima de 40km/h. Segundo ele, a legislação de trânsito prevê que esse é o limite em centros urbanos, o que, na maioria das vezes, não é respeitado em dias normais de circulação.

Fonte: Gazeta Online

0 comentários:

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960