Sinal Fechado, Plano Diretor de Transporte Urbano da Região Metropolitana do Recife está atrasado

domingo, 6 de junho de 2010


Aos 16 anos, o adolescente Luiz Felipe Paes, de classe média, morador da Zona Norte do Recife, não vê a hora para se tornar motorista. Mas já sabe que terá mais dificuldades para enfrentar o trânsito no ano de 2012, quando tiver idade mínima para tirar a carteira de habilitação. Os cenários projetados para 2012 e 2020 pelo Plano Diretor de Transporte Urbano (PDTU) da Região Metropolitana do Recife (RMR) são preocupantes. O estudo, que teve como base o ano de 2007, aponta que o desempenho das vias se nenhuma intervenção for realizada até 2012, sofrerá um aumento de 200% de congestionamento e uma redução de 63% das que estão em boas condições de uso. Já o tempo gasto em vias congestionadas sofrerá um aumento de 83% em relação a 2007.

Passado mais da metade do prazo para a primeira projeção, as intervenções previstas não foram concluídas e a maioria das obras sequer iniciadas. O cenário preocupante tem a seu favor o plano de mobilidade para a Copa de 2014. Pelo menos é o que ainda se espera. O PDTU indica, porexemplo, a implantação de corredores exclusivos de ônibus, integração dos terminais de ônibus com o metrô, expansão da linha do metrô, e melhoria da rede viária com a construção de viadutos, duplicação de trechos já saturados, implantação da 3ª perimetral, e a construção de uma via metropolitana para desafogar o trânsito da BR-101, que passa em zonas urbanas.

Alheio aos futuros projetos viários, mas consciente do que acontece na prática no trânsito da cidade, o estudante Luiz Felipe já treina o exercício da paciência. "Se eu sair de casa faltando cinco minutos para as 7h, encontro um congestionamento menor do que se eu sair às 7h05. Eu sei que a tendência é piorar. Já estou me preparando para isso", afirmou. O prognóstico de Luiz Felipe dependerá do andamento das ações previstas até 2012. O ano que pode ser o começo de um fim ou o início de uma nova era. Assim como Felipe, o futuro de Leonardo Breckenfeld, 8 anos, como motorista, a partir de 2020, quando for tirar a sua carteira de habilitação, ainda é uma incógnita. A mãe de Leonardo, Diana Breckenfeld, 37, gasta hoje até 45 minutos em um trecho, que sem congestionamento seria feito em menos de 10 minutos. "Nós moramos há poucas quadras do colégio das crianças, mas o tempo gasto é absurdo. E se um carro quebrar ou houver um acidente, a via fica insuportável", afirmou. Na estratégia do Nada Fazer, simulada no PDTU, o cenário é ainda mais desolador. Haverá um aumento de 213% das vias congestionadas e uma redução de 64% das vias que hoje tem boas condições de fluidez. Já o tempo gasto nos deslocamentos, previstos em 2020, se nenhum intervenção for feita, será de 96% em relação ao tempo gasto em 2007.

Para garantir a mobilidade, os investimentos previstos pelo PDTU estão orçados em R$ 3,5 bilhões. Desses, R$ 2,5 bilhões devem ser aplicados até 2012 e R$ 1 bilhão até 2020. A maior parte dos recursos está prevista no Pacto de Aceleração de Crescimento da Copa. A estimativa é de aplicar 63% dos recursos no sistema de transporte público e 37% no sistema viário. Na etapa posterior para 2020, a aplicação prevê 4% dos recursos para o transporte público e 96% para o sistema viário. "Infelizmente a gente está a um ano e meio de 2012 e as obras estão longe de serem concluídas", criticou o professor do departamento de engenharia civil da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), Oswaldo Lima Neto, especialista em transporte urbano.

A estratégia mínima para 2012 está voltada principalmente ao atendimento às carências de mobilidade, incluindo a melhoria de corredores viários como o Norte/Sul, Leste/Oeste e o da Avenida Norte. Além da 3ª perimetral e a integração dos terminais de ônibus à linha Sul do metrô, à arena da Copa e ao Complexo Portuário de Suape. A previsão do governo do estado é de licitar este ano as obras dos três corredores viários. "Nós estamos dentro do prazo. Agora em junho vão ser licitadas as obras dos três corredores viários e os terminais de integração vão ser concluídos até o próximo ano", afirmou o secretário das Cidades de Pernambuco, Dilson Peixoto.

Fonte: Diário de Pernambuco

0 comentários:

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960