Londrina: Comerciantes são contra a construção de corredor para ônibus que vai beneficiar a cidade

quinta-feira, 1 de abril de 2010


As obras para implantação da faixa exclusiva de ônibus na Rua João Cândido (Área Central de Londrina), iniciadas na semana passada, causaram descontentamento entre os comerciantes da região que, ontem, começaram a colher assinaturas para um abaixo-assinado que pedirá a suspensão do projeto. Por outro lado, motoristas ouvidos pela reportagem aprovam a ideia de um corredor para o transporte coletivo.

De acordo com José Antônio Machado, proprietário de um estabelecimento na rua, os chamados corredores para ônibus eliminarão os estacionamentos na via pública e prejudicarão o comércio local. ''Os comerciantes não foram ouvidos sobre as mudanças. Sem estacionamento, os clientes não virão até as lojas'', reclamou.

Ele enfatizou que a maioria dos estabelecimentos pertence a pequenos comerciantes que acumularão prejuízos por conta da extinção das vagas. Com o abaixo-assinado, eles esperam conseguir uma audiência com o prefeito Barbosa Neto. ''Queremos ouvir argumentos que nos convençam de que esse projeto será melhor para nós. Caso não sejamos convencidos, vamos tentar impedir essa obra'', afirmou. De acordo com estimativa de Machado, pelo menos 300 comerciantes estariam sendo prejudicados pela iniciativa da prefeitura.

Wilson de Jesus, diretor de Trânsito e Transportes da Companhia Municipal de Trânsito e Urbanização (CMTU), afirmou que não há a menor possibilidade de suspender as obras. ''O objetivo do projeto é melhorar o fluxo do trânisto, com prioridade para o transporte coletivo, onde viajam mais pessoas'', disse. Segundo ele, as dificuldades para conseguir estacionar no Centro dificultam o tráfego de veículos, pois os motoristas circulam em baixa velocidade à procura de vagas. ''Criando a terceira faixa, vamos melhorar o trânsito e o tempo de percurso dos ônibus.''

A faixa exclusiva de ônibus consiste na criação de uma faixa à direita em trechos da Rua Professor João Cândido e da Avenida Duque de Caxias, que, em determinados horários, funcionará apenas para o fluxo de ônibus e táxis com passageiros. O investimento será de aproximadamente R$ 150 mil, sendo que o Sindicato das Empresas de Transporte Coletivo de Londrina (Metrolon) viabilizará R$ 90 mil para a execução dos trabalhos. Já a administração municipal fica responsável por R$ 60 mil dos recursos.

Conforme informações do Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Londrina (Ippul), 12,5 mil veículos particulares e 375 ônibus circulam em cada um dos dois logradouros, em média, por dia. Só o total de ônibus coletivos, que passam em cada via, diariamente, carregam a média de 18.750 passageiros. Com a adoção do projeto, 1.2 mil metros da João Cândido e 1.3 mil metros da Duque de Caxias contarão com duas faixas exclusivas para carros e o corredor reservado aos ônibus.

Fonte: Bonde

0 comentários:

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960