Metrô do Rio deveria se espelhar no de Amsterdã

sexta-feira, 5 de março de 2010


O metrô carioca deveria se espelhar na Prefeitura de Amsterdã (Holanda). Enquanto aqui no Rio esse transporte de massa é caótico, e, de acordo com o Ministério Público pode gerar acidentes gravíssimos, o da Holanda pode ser considerado excelente. Lá, a prefeitura já fechou um pedido com a Alstom para a fabricação de 23 trens para o metrô da cidade. O contrato inclui uma opção para a aquisição de composições adicionais para a linha Norte/Sul ainda em construção.
Como parte integrante da linha Metrópoles da Alstom, os trens serão produzidos nas instalações da empresa em Valenciennes (França) e Katowice (Polônia). A primeira composição será entregue no 2o trimestre de 2012. Todas as composições se destinam às linhas de metrô existentes em Amsterdã, com previsão de entrada em operação comercial no final de 2012.
Os trens da linha Metrópoles de Amsterdã permitem o acesso e facilitam o embarque graças a portas mais largas, piso baixo, assentos extralargos e passarelas entre os carros. Além disso, os informativos dinâmicos durante a viagem, as conexões de comunicação e os interiores transparentes vão melhorar a segurança e o conforto dos passageiros. Graças ao maior comprimento dos novos trens (116 m), a capacidade total de transporte aumentará em cerca de 50%.
Este pedido é uma parte de uma ambiciosa política de transporte público adotada pela prefeitura de Amsterdã, pela região metropolitana e pela operadora GVB.1 O programa de desenvolvimento e modernização do metrô de Amsterdã inclui algumas outras iniciativas, como a criação de uma nova linha Norte/Sul, a reforma da linha leste e a reconstrução da linha de Amstelveen.
- O novo metrô significa um grande salto de qualidade para todos os usuários, incluindo aqueles com necessidades especiais. Ele irá melhorar ainda mais a atratividade do sistema de metrô, o que é bom para o meio ambiente, para a cidade e para a região - declarou o vereador daquela cidade Hans Gerson.
A Alstom desenvolve e comercializa a mais completa linha de sistemas, equipamentos e serviços no setor ferroviário. Além disso, gerencia sistemas inteiros de transporte, cuidando de material rolante, sinalização e infra-estrutura, além de oferecer soluções de "pronto uso". O Setor Transporte da Alstom registrou vendas de 5,7 bilhões de euros no exercício fiscal de 2008-2009 e um aumento de 9% de pedidos em comparação ao ano anterior, estando presente em mais de 60 países e empregando aproximadamente 27 mil pessoas.
Fonte: Monitor Mercantil

0 comentários:

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960