Paralisação dos rodoviários deixa São Luís sem ônibus por 5 horas

domingo, 31 de janeiro de 2010


A paralisação de advertência dos rodoviários, em protesto ao não reajuste salarial dos cobradores de ônibus para R$ 510, ocorrida na manhã de ontem, em São Luís, deixou os usuários do transporte coletivo da capital sem ônibus durante cinco horas. Das 4h às 9h, nenhum carro saiu das garagens das empresas. Nas ruas, a aglomeração de pessoas nas paradas e nos terminais de integração foi grande, e intensa a movimentação de veículos particulares. Após a interrupção do serviço, representantes do Sindicato dos Rodoviários participaram de uma reunião na Secretaria Municipal de Trânsito e Transportes (SMTT), mas saíram de lá com expectativas de uma greve-geral para o próximo dia 8.
O presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários no Estado do Maranhão (STTREMA), Dorival Sousa da Silva, disse, após a paralisação, que a categoria continuará exigindo justamente os seus direitos, e pediu mais atenção das empresas e das autoridades para a situação que certamente penalizará a população nos próximos dias. "Às 10h, estivemos na SMTT, como já havíamos agendado com o secretário Ribamar Oliveira, mas nem ele próprio compareceu, e fomos recebidos por técnicos. Aguardaremos até o quinto dia útil de fevereiro para que a classe patronal se manifeste, caso contrário vamos parar por tempo indeterminado", prometeu o presidente do STTREMA.

Durante a paralisação, mais de 2.500 cobradores em atividades se dividiram em reuniões nas portas das garagens das empresas de toda a cidade. No pátio externo da Taguatur (Anjo da Guarda), por exemplo, mais de 230 trabalhadores manifestaram suas indignações perante o diretor de Política Social do STTREMA, Isaías Castelo Branco. Washington Nildo Brando, 36 anos, é funcionário da empresa há mais de quatro anos, e se mostrou indignado com a possibilidade de ter que criar a mulher e os três filhos com menos de um salário mínimo, R$ 465.
"Infelizmente, com o pouco que ganhamos, ainda não dá para comer o que gostaríamos de comer. Temos que nos contentar com aquilo que dá para comprar. Não é novidade para ninguém que a tarifa de ônibus de São Luís é uma das mais caras do país. Agora o que não se pode aceitar é que o impasse entre os empresários e a Prefeitura Municipal de São Luís comprometa a qualidade de vida básica dos trabalhadores rodoviários", protestou o funcionário da viação, que também é morador da área Itaqui-Bacanga.

0 comentários:

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960