Em São Paulo, Ampliação do corredor ABC ficará pronta no 2º semestre

quarta-feira, 23 de dezembro de 2009


A partir do segundo semestre do próximo ano, a população do ABC terá acesso mais fácil a zona sul de São Paulo por meio da extensão do Corredor Metropolitano ABD. A medida, que faz parte do Plano de Expansão São Paulo recebeu investimento de R$ 24 milhões e ligará a cidade de Diadema até o bairro do Morumbi e beneficiará cerca de 15 mil usuários por dia.
Serão implantados 12 quilômetros de faixas de ônibus exclusivas, com 18 pontos de paradas e cinco estações de transferência no trajeto do terminal Metropolitano Diadema até a futura estação de transferência Morumbi, onde os usuários terão acesso a Linha 9 Esmeralda (Osasco Grajaú), da CPTM (Companhia Metropolitana de Transporte Metropolitano).
Além disso, o corredor estará interligado com a Linha 5 Lilás do Metrô, na futura estação Brooklin - Campo Belo. Na visão dos Transportes Metropolitanos, José Luiz Portella, este projeto beneficiará a população a medida que prevê a integração das tarifas e ainda permitira que os municípios do ABC tenham acesso mais fácil a São Paulo. "Isso mostra que o plano de expansão não é só metrô, trem e estação, e sim um estudo amplo do transporte de São Paulo que foca a integração de todos os tipos de transporte", destaca.
Para o governador José Serra, este é um corredor que deu certo e precisa de investimentos para ser aprimorado. "Para nós o investimento no transporte coletivo é fundamental porque beneficia os assalariados", defende.O corredor, gerenciado pela EMTU, receberá cinco novas estações: Jardim Miriam, Washington Luiz, Vereador José Diniz, Santo Amaro e Morumbi. Também será realizada a complementação do pavimento rígido da faixa exclusiva a esquerda no trecho próximo ao Shopping Morumbi, a execução da sinalização viária horizontal, vertical e semafórica, travessias de pedestres, recapeamento das faixas adjacentes e paisagismo.

Metrô Leve
O evento marcou ainda a assinatura do protocolo de intenções para a elaboração do projeto funcional do Metrô Leve que atenderá as cidades de São Bernardo e São Caetano. O meio de transporte ligará as duas cidades até a estação Tamanduateí, que atende hoje a Linha 10 Turquesa da CPTM e, a partir do próximo ano, a Linha 2 Verde do Metrô."O transporte de massa é uma saída para solucionar os graves gargalos de trânsito e a integração da região do ABC com as estações de trem e metro é uma ação importantíssima", observa o prefeito de São Bernardo, Luiz Marinho.
O projeto básico e também o funcional será elaborado em conjunto entre as duas prefeituras e a Secretaria de Estado de Transportes Metropolitanos. Para o projeto básico, o Ministério das Cidades liberou recursos da ordem de R$ 27,6 milhões e o município de São Bernardo colaborou com cerca de R$ 2 milhões. A execução da obra será de responsabilidade do Governo do Estado.

Fonte:Reporter Diário
READ MORE - Em São Paulo, Ampliação do corredor ABC ficará pronta no 2º semestre

Uberaba: Empresas do transporte coletivo começam a reduzir frotas


Com a chegada do período de férias e diminuição de cerca de 40% no número de usuários do transporte coletivo, haverá mudanças nas linhas e horários dos ônibus no município.
De acordo com Claudinei Nunes, diretor de Trânsito e Transportes da Prefeitura, das 38 linhas, 20 serão modificadas. “Seguirão tabelas especiais, com redução dos veículos”, afirma, mas na maioria delas a diminuição será muito menor nos horários de pico, ou seja, das 18h às 20h, completa.
Segundo Nunes, em função do aumento da frota de ônibus, ocorrida devido à substituição das empresas prestadoras do serviço em Uberaba, alguns trajetos apresentarão o mesmo número de veículos e horários da época em que o funcionamento era executado pelas companhias Transmil e São Bento. “A Tutunas-Cartafina, por exemplo, vai praticar a mesma tabela de dias úteis da Transmil, então não será tão drástico”, descreve o diretor.
No total, a redução da frota nos horários de pico será de 12 veículos e, nos entrepicos, a redução pode chegar até 18. Em trajetos mais movimentados, Nunes afirma que, mesmo com grande redução de usuários devido às férias escolares e de trabalhadores, poucos ônibus serão suprimidos da tabela. “De todos os veículos, os que vão para a Uniube são os que perdem mais passageiros, mas no Cássio Resende-Uniube, por exemplo, que faz trajetos mais longos e com mais pessoas, vamos manter os horários das 18h às 20h”, finaliza.
Para os ônibus rurais, com destino às comunidades da Baixa, Capelinha do Barreiro, Santa Fé e Vale do Sol, as mudanças foram implantadas ontem. Nas linhas urbanas, a redução vale a partir da próxima segunda-feira (28) e vão até o dia 29 de janeiro.
READ MORE - Uberaba: Empresas do transporte coletivo começam a reduzir frotas

João Pessoa recebe mais ônibus novos e tem a melhor frota do Nordeste


Em menos de cinco anos, a frota de ônibus coletivo da cidade de João Pessoa tornou-se a mais nova entre todas as capitais nordestinas, com idade média de 3,8 anos. Dos 463 veículos em circulação, 319 foram adquiridos ao longo da atual administração. Na manhã desta terça-feira (22), o prefeito Ricardo Coutinho entregou 16 ônibus adaptados à população, elevando para 58 o número de veículos com mecanismos de acessibilidade. A solenidade foi realizada no anel interno do Parque Solon de Lucena (Lagoa).

Ricardo Coutinho falou que há mais de cinco anos, a média de idade dos ônibus que circulavam na cidade era de 7,4 anos. Antes, existiam apenas 4 ônibus adaptados para transporte de portadores de necessidades especiais. Na atual gestão foram implantados o sistema de GPS em toda frota e os projetos como Integração Temporal e a construção da Integração do Varadouro. “Esses são avanços importantes e que refletem o desejo e o trabalho desta gestão. Estamos melhorando muito e respeitando, principalmente, as necessidades e os direitos dos cidadãos”, ressaltou o prefeito.

A superintendente de Transporte e Trânsito (STTrans), Laura Farias, disse que a meta é garantir que todas as linhas de transporte público da cidade tenham acessibilidade e que garantam a mobilidade segura para aqueles que necessitam diariamente do transporte público. “O prefeito Ricardo Coutinho está trabalhando com afinco para atender toda demanda e por isso já alcançamos objetivos significantes e que refletem no dia-a-dia da cidade”, comemorou Laura.
Usuário
Carlos Antônio dos Santos, 45, morador do bairro do Padre Zé, sofreu uma paralisia nas pernas e em um dos braços ainda quando tinha nove meses de idade. Ele relatou que passou a maior parte de sua vida dentro de casa porque não tinha como se locomover na cidade. “Agora eu sou um homem livre. Posso sair de casa junto com minha esposa porque eu sei que tem transporte de qualidade para isso”, disse Carlos.

Veículos adaptados
Todos os veículos que foram entregues possuem elevador que dá acesso com mais facilidade aos cadeirantes. Os veículos são zero quilômetro, têm novo design e motorização eletrônica que causa menos poluição ao meio. Os ônibus possuem itens que melhoram a acessibilidade. A porta é mais larga, mede um metro e 10 centímetros, enquanto as dos ônibus convencionais medem 90 centímetros. As cadeiras também são mais largas, destinadas a gestantes e obesos.

Os veículos têm corrimões especiais para deficientes visuais e sinal de parada com escrita em Braile. Os ônibus já vêm equipados de fábrica com um dispositivo que só possibilita a partida após o completo fechamento das portas.
READ MORE - João Pessoa recebe mais ônibus novos e tem a melhor frota do Nordeste

Os relatos de um cidadão sobre o transporte público no Rio


O transporte público no Rio continua sendo um retrato do inferno, do caos, do descaso, da falta de respeito, da incompetência, da omissão, do desdém e do total desrespeito do governador e do prefeito com a população, que é obrigada a pagar para o estado e município inúmeros impostos e taxas, porém, é tratada como se fosse gado.
A qualquer hora do dia constatamos engarrafamentos nas principais vias de acesso à cidade do Rio de Janeiro (Av. Brasil, Linha Vermelha, Linha Amarela etc). Os motoristas enfrentam um trânsito lento, caótico e desorganizado, além de transitar por vias completamente esburacadas. Os atrasos são constantes. O problema deveria ser encarado como de calamidade pública, pois prejudica a economia local e nacional, e, portanto, devem ser tomadas medidas emergenciais.
Enquanto o xerife da Seop, do marketing e da pirotecnia e o relator da Lei Seca mandam a população deixar o carro em casa e usar transporte público (aliás, segundo o xerife da cidade, ele vai triplicar o número de reboques nas ruas, visando aumentar a arrecadação da prefeitura), andar de ônibus é uma aventura com todos os riscos de acidentes e total falta de segurança.
Se pegarmos o Metrô, os trens estão superlotados, não há manutenção do sistema, existem pouquíssimas composições e ainda temos que aturar as constantes paradinhas súbitas que arremessam as pessoas umas contra as outras. Isso sem falar no absurdo do preço da passagem. Esses problemas no Metrô (mau atendimento, falta de informação, falta de trens, trens sem ar-condicionado, superlotados, truculência dos seguranças etc) são constantes e diários, sem que ninguém seja responsabilizado ou punido.
O Metrô cobra uma tarifa absurda, recebe dinheiro de graça do BNDES, arrecada milhões, porém presta um péssimo serviço à população. Ainda somos obrigados a ouvir o discurso cínico da companhia de que "o Metrô Rio agradece a preferência". E como todos sabemos, a agência que deveria fiscalizar não fiscaliza nada, apenas autoriza aumentos.
Não temos transporte público decente há décadas: trens, ônibus, barcas e metrô prestam um péssimo serviço à população durante o dia e não funcionam de madrugada. As empresas privatizadas (Supervia, Barcas e Metrô) vivem atormentando a vida dos passageiros e o Estado não faz absolutamente nada.
O Metrô não tem a menor consideração pelos passageiros e no horário do rush ninguém consegue entrar nos trens. No caso da Supervia, além do péssimo atendimento à população mais carente, os atrasos são frequentes, há falta de investimentos maciços, os trens estão sucateados e seguranças truculentos e mal preparados já foram filmados chicoteando covardemente a população.
No caso das Barcas, o serviço é péssimo, já ocorreram diversos acidentes, mas tudo continua rigorosamente igual, diante da omissão, cumplicidade e incompetência do governo do estado.
As concessionárias arrecadam milhões para transportarem a população em verdadeiras latas de sardinha. Não existem meios de transporte no Rio decentes e não existe nenhuma política visando a melhoria do transporte público. É inaceitável que à noite não funcione o Metrô, existam pouquíssimos ônibus circulando, além do péssimo serviço prestado pelos taxistas, que ainda cobram bandeira dois.
O Poder Público é totalmente incompetente e omisso em relação ao transporte público. Por que não colocar esses secretários de Transporte (do estado e município), o governador e o prefeito para pegarem o Metrô, os trens, os ônibus e as barcas no horário do rush? Será que eles acham que todos têm condições de andar de táxi? Será que eles sabem que os taxistas cobram bandeira dois na madrugada?
Em qualquer lugar do mundo esses secretários incompetentes e omissos já teriam sido sumariamente demitidos. Ocorre que são secretários nomeados politicamente e que não têm nenhum compromisso com a população. Os secretários de Transportes, tanto do estado como do município, não são do ramo. O secretário de Transportes do estado, além de não ser do ramo, não passa de um bon vivant. Quanto ao secretário de Transportes do município, a sua missão não é cuidar do trânsito: sua especialidade é instalar pardais e lombadas por toda a cidade numa suspeitíssima e vergonhosa indústria das multas, que age impunemente na cidade extorquindo os motoristas diariamente.
Resta andar de carro, mas, nesse caso, somos assaltados nos sinais de trânsito pelos bandidos que estão em cada esquina da cidade, e assaltados pela CET-Rio (Companhia de Engarrafamento de Trânsito), através da indústria das multas, que instalou centenas de caça-níqueis para nos multar que funcionam em plena madrugada. Ressaltando que os motoristas também estão sendo vítimas diariamente da indústria ilegal e imoral dos reboques a serviço do Detran, Seop e da CET-Rio (na verdade, o que esses burocratas estão fazendo é um verdadeiro confisco que a lei não autoriza).
Infelizmente, esses secretários são nomeados politicamente e não têm nenhum compromisso com a população. Portanto, o caos e o inferno no trânsito vão continuar diante da omissão do estado e da prefeitura, que só pensam em aumentar e criar mais impostos e taxas e estão solenemente se lixando para a população, que vai continuar sustentando com seus impostos esse bando de incompetentes e demagogos.

Fonte: O Globo

Este artigo foi escrito por um leitor do Globo.
READ MORE - Os relatos de um cidadão sobre o transporte público no Rio

São Carlos: Passageiros reclamam da qualidade do transporte coletivo


O aumento na passagem dos ônibus em São Carlos levantou a discussão sobre a qualidade do transporte coletivo na cidade. A passagem que antes custava R$ 2,20, passou para R$ 2,30 nesta terça-feira (22), mas os passageiros reclamam das lotações nos ônibus, do tempo de espera nos pontos e do atraso nos horários de circulação.
O secretário de Transportes e Trânsito, Nilson Carneiro, afirma que este ano 12 novos ônibus começaram a rodar. São 120 nos horários de pico e 54 no restante do dia.
“Nós vamos executar um projeto para fazer um levantamento do sobe e desce em todas as linhas de cidade em 2010, para melhorar a qualidade do transporte coletivo aqui em São Carlos”, disse o secretário.
A má qualidade do serviço leva muita gente a desistir dos ônibus e a comprar uma moto ou um carro. O resultado é um trânsito cada vez mais lento e complicado e, além disso, a queda no número de passageiros torna ainda mais difícil investir em melhorias no transporte público.
Para o especialista em trânsito Coca Ferraz, a solução seria aumentar os subsídios pra deixar a passagem mais barata e mudar o atual sistema de transporte. “Nós temos que ter subsídio nas tarifas para que resulte em preço menor, como uma tarifa de R$ 1 em São Carlos e Araraquara, por exemplo. E temos que trabalhar para melhorar a qualidade do sistema de trransportes, com novas linhas, ônibus menores, talvez, para oferecer um menor intervalo entre um carro e outro”, sugere.
READ MORE - São Carlos: Passageiros reclamam da qualidade do transporte coletivo

Continua o impasse no transporte público de São Luís

Continua sem definição o impasse no transporte coletivo da capital. Sem receber nenhuma proposta da Prefeitura de São Luís, o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros (SET) sustenta a afirmação de que algumas empresas demitirão um percentual que varia entre 10% e 15% de seus trabalhadores. Em consequência, o Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários do Maranhão (STTREMA) ameaça novamente paralisar suas atividades a partir da 0h de amanhã (23).
Semana passada, a diretoria do STTREMA anunciou que faria uma paralisação quarta-feira, dia 16, em protesto contra as empresas que iniciaram os processos de demissão de aproximadamente 15% de seu efetivo. Segundo o presidente do STTREMA, Dorival Sousa da Silva, a paralisação foi adiada a pedido do secretário Municipal de Trânsito e Transportes, Ribamar Oliveira, em reunião na sede da SMTT com a participação do presidente do SET, José Luís Medeiros. "Nós ficamos aguardando um posicionamento do SET sobre o cancelamento dos avisos-prévios. Até ontem (21) não recebemos nada deles. Só temos a informação de que continuam valendo os avisos assinados", observou Dorival da Silva.
READ MORE - Continua o impasse no transporte público de São Luís

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960