São Paulo: Bus TV leva diversão aos passageiros de ônibus

sábado, 7 de março de 2009




Dentro dos ônibus da cidade, a propaganda é controlada pela Lei Cidade Limpa e, hoje, se restringe às telas da BusTV, uma empresa européia responsável pela programação e administração de monitores instalados nos coletivos.

Segundo diretor de comunicação da empresa portuguesa, João Coragem, a BusTV funciona desde 2004 na Europa e desde abril deste ano em São Paulo, Rio de Janeiro, Curitiba, Belo Horizonte, Brasília, Recife e Porto Alegre.

“Nosso principal objetivo é entreter pessoas que ficam muito tempo dentro dos ônibus com notícias leves, que não sejam violentas”, diz o diretor. O conteúdo, principalmente composto por notícias de esportes, cultura, cidadania, música, entrevistas, horóscopo e publicidade, é feito pela própria empresa e específico para cada região.

O gerente de marketing da SPTrans, José Nader, diz que ainda não há cálculos da receita gerada pela publicidade nos ônibus. Hoje, a BusTV já atinge cerca de 150 ônibus dos 8.500 de São Paulo. Nader afirma que o número pode chegar a 2.500 até o ano que vem. “Ainda é uma experiência, mas deve gerar uma receita razoável até o final do ano”, afirma.
READ MORE - São Paulo: Bus TV leva diversão aos passageiros de ônibus

Curitiba: Presidente da URBS diz que não há saída para superlotação


Com a presença de estudantes que faziam protestos nas galerias da Câmara de Vereadores, o presidente da Urbs, Marcus Isfer, respondeu perguntas sobre o transporte coletivo de Curitiba. Entre os pontos destacados na sessão, que durou mais de quatro horas, Isfer afirmou que não há solução para os ônibus lotados. Isfer explicou que não há o que a Urbs possa fazer em determinados horários. "Não há no mundo sistema de transporte sem lotação, principalmente nos horários de pico", disse.
O presidente da Urbs disse ainda que a licitação para escolher as empresas que vão prestar os serviços em Curitiba está em andamento. Segundo Isfer "a Urbs considera esta uma prioridade absoluta e deve empossar o Conselho Municipal para debater a questão, além de realizar audiência pública antes de abrir processo licitatório". O reajuste de cerca de 15% do custo das passagens de ônibus, implantação de seguro contra acidentes embutido na tarifa, criação e ampliação de linhas, entre outros assuntos, foram levantados pelos demais parlamentares. Quando questionado sobre a chamada "caixa preta da Urbs", Isfer disse que não há caixa preta. "Por isso, convido qualquer interessado a comparecer à Urbs, para conhecer a empresa e como as coisas são feitas."

READ MORE - Curitiba: Presidente da URBS diz que não há saída para superlotação

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960