Falta de acessibilidade torna complicada a rotina de portadores de necessidades especiais em Taubaté

domingo, 25 de outubro de 2009

Atualmente a ABC, empresa responsável pelo transporte público de Taubaté, não tem ônibus adaptados. Mas, de acordo com a nova licitação, isso deve mudar. "O novo sistema pressupõe ônibus adaptados, GPS, monitoramento específico do sistema. É um sistema novo de transporte a partir de um contato novo", diz o diretor de Trânsito, que também cuida da área de transportes da cidade, Monteclaro César. A notícia não é nada animadora para os portadores de necessidades especiais. A ABC informou que até o fim do ano, dos cento e dois ônibus da empresa, apenas cinco serão adaptados. Enquanto isso, Margareth Cursino vive uma rotina desgastante. Com um ponto de ônibus sem rampa e veículos inadequados, ela desistiu do transporte coletivo. "Tem que sair de manhã pra não pegar muito sol, e a mesma coisa a tarde. São 45 minutos pra ir e mais 45 pra voltar".
O contrato entre a prefeitura e a ABC Transportes não estabelece um prazo para que a empresa faça a adaptação da frota, mas a ABC informou que os próximos ônibus adquiridos pela empresa virão equipados com elevadores para deficientes físicos. Sobre as rampas de acesso às calçadas, a prefeitura disse que vem realizando reformas, na medida do possível, para garantir a acessibilidade dos cadeirantes.

0 comentários:

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960