Tarifa de ônibus de Manaus é reajustada para R$ 3,30

quinta-feira, 26 de janeiro de 2017

O valor da tarifa de ônibus do transporte coletivo de Manaus será reajustado de R$ 3 para R$ 3,30. O novo preço foi anunciado pela Prefeitura de Manaus na manhã desta quinta-feira (26), uma semana depois da greve que paralisou 100% da frota na capital. A meia passagem estudantil seguirá R$ 1,50.

O novo valor começa a valer a partir de sábado (28). A mudança foi discutida ao longo da semana em reuniões com empresários e trabalhadores do sistema rodoviário. A base da nova tarifa foi calculada em 10%, mesmo valor concedido ao reajuste salarial dos rodoviários.

"Fruto de muita discussão e pesquisa, levando em consideração o atual momento econômico do país, levando em consideração o pagamento do subsídio que a Prefeitura pagou sozinha, por conta própria, resolvemos impactar o menor possível para a sociedade e aumentar 10% o valor da tarifa", disse o prefeito em exercício, Marcos Rotta.

Rotta afirmou que Prefeitura arca com R$ 0,25 de subsídios na passagem convencional. O valor referente à passagem estudantil é de R$ 0,15. Os valores representam R$ 5 milhões por mês em subsídios.

Em contrapartida, as empresas se comprometeram em renovar e aumentar a frota de ônibus. A Prefeitura anunciou também que deve reforçar a fiscalização de transporte irregular. Além disso, os pontos de ônibus voltam a ser responsabilidade da Superintendência Municipal de Transportes Urbanos(SMTU).

Na segunda-feira (23), o vice-prefeito havia confirmado à Rede Amazônica que o valor da tarifa do transporte coletivo da capital seria reajustado. Rotta, que intermediou a discussão, justificou que defasagem no valor.

Impasse
Desde o ano passado, o aumento da passagem tem sido alvo de luta judicial entre o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Amazonas (Sinetram) e a Prefeitura de Manaus.

No dia 17 deste mês, rodoviários de diversas empresas do transporte público paralisaram as atividades. Nenhum dos 1,4 mil ônibus da capital circulou por mais de 10 horas. A paralisação da categoria descumpriu a decisão da Justiça do Trabalho, que determinou, na segunda (16), que 100% da frota estivesse nas ruas, após anúncio de greve pela classe. Ao todo, 400 mil usuários são prejudicados.

Segundo o diretor do Sindicato dos Trabalhadores em Transporte Rodoviários de Manaus (STTR), Demógenes Egleses, a categoria exige o pagamento do dissídio coletivo de 2016 e o adicional de insalubridade, que também está atrasado.

Para 2016, a categoria deveria ter recebido reajuste entre 8,5 e 9,5%, segundo Egleses. Na semana anterior, os rodoviários tinham anunciado a greve da categoria, que foi suspensa após o Tribunal Regional do Trabalho (TRT) acatar o pedido feito pelo Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Amazonas (Sinetram).

Informações: G1 AM

0 comentários:

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960