Empresas habilitadas ao BRT visitam Sorocaba

sexta-feira, 14 de março de 2014

Termina em 11 de abril o prazo para as seis empresas habilitadas apresentarem os projetos técnicos de implantação e operação do sistema Bus Rapid Transit (BRT) em Sorocaba. Os representantes dos consórcios estiveram ontem na cidade e percorreram os eixos norte/sul e leste/oeste, onde serão instalados os futuros corredores de ônibus rápido. O grupo foi acompanhado pelo secretário de Planejamento e Gestão, Rubens Hungria de Lara, e pelo diretor-presidente da Urbes, Renato Gianolla.

Após a entrega das propostas, a Prefeitura de Sorocaba terá 60 dias para analisar os conteúdos e consolidar o projeto. Na sequência será iniciado o processo licitatório para a contratação de uma ou várias empresas voltadas à execução das obras.

Estiveram ontem em Sorocaba os representantes das empresas KPMG, Consur, Promon, Proficenter, Elenco e Creta. A visita técnica teve início pela avenida Ipanema, nas proximidades da Cruz de Ferro, e seguiu por todo o percurso dos futuros corredores do BRT.

Uma das paradas ocorreu no local onde será construído o hospital público de Sorocaba, na extinta sede da empresa Transporte Coletivo Sorocaba (TCS). No projeto, consta a construção de um terminal em frente ao terreno capaz de suportar um elevado número de passageiros.

Segundo o secretário de Planejamento e Gestão de Sorocaba, a visita técnica teve o objetivo de proporcionar aos representantes das empresas um contato visual mais direto da realidade do município. "Já que está próxima a data de apresentação dos estudos", conta. De acordo com Gianolla, o objetivo da Prefeitura de Sorocaba é entregar o BRT em julho de 2016. "As obras deverão começar um ano antes", ressalta.

Sistema BRT

O BRT consiste na implantação e operação de aproximadamente 35 quilômetros de corredores de transporte coletivo, nos quais se incluem as paradas e os terminais urbanos. A linha norte/sul terá início nas avenidas Ipanema e Itavuvu e passará pelas ruas Comendador Hermelino Matarazzo, Comendador Oeterer, região central, Padre Luiz, Barão de Tatuí até a avenida Antônio Carlos Comitre. Já a leste/oeste será formada pela avenida São Paulo, Centro, General Carneiro e Armando Pannunzio.

O investimento inicial previsto gira em torno dos R$ 190 milhões em infraestrutura, que se somará ao serviço de transporte coletivo já existente. O município já conta com financiamento aprovado pelo Governo Federal por meio do PAC-2 da Mobilidade para investimentos nessa modalidade de infraestrutura pública. 

Informações: Cruzeiro do Sul

Leia também sobre:

0 comentários:

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960