Primeiro trecho do BRT de Salvador terá 9 estações entre Lapa e Iguatemi

terça-feira, 19 de novembro de 2013

O sistema BRT (Bus Rapid Transit, na sigla em inglês) Lapa-Iguatemi terá vias exclusivas de ônibus articulados e climatizados, três viadutos, cinco elevados e nove estações de embarque e desembarque. O tempo gasto para percorrer os 8,6 km de avenidas que ligam os dois pontos será de 16 minutos.

O anúncio foi feito ontem pelo prefeito ACM Neto, durante a apresentação do projeto do primeiro BRT da capital baiana, que será integrado a outros dois corredores: de 13,7 km (ligando a Paralela ao aeroporto) e de 27 km (ligando a Pituba à orla e ao aeroporto), totalizando 49,3 km de corredores de transporte com faixas exclusivas.

A previsão da prefeitura é que as obras sejam iniciadas em abril do próximo ano e sejam finalizadas no início de 2016. A obra totaliza investimento de R$ 800 milhões, com R$ 300 milhões do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) Mobilidade Urbana e R$ 500 milhões financiados pela Caixa Econômica Federal, com a contrapartida do Executivo municipal.

Estações
O trecho do BRT será entre a estação da Lapa e o Iguatemi e passará pela avenidas Vasco da Gama, Juracy Magalhães e ACM (veja infografia).

O secretário municipal de Urbanismo e Transporte José Carlos Aleluia explicou que a avenida Vasco da Gama terá quatro das nove estações previstas: Dique, Hospital Geral do Estado (HGE), Ogunjá e Rio Vermelho.

As outras cinco serão na Lucaia, Ceasa, ACM (na saída do Itaigara), Hiper Posto e Iguatemi. Para integrar a via a outros corredores, serão construídos viadutos na avenida Garibaldi, no Parque da Cidade e no Iguatemi.
Com os viadutos, alguns pontos de retenção deverão ser eliminados. Segundo o projeto, não haverá cruzamentos e semáforos no trajeto, que também serão eliminados por conta dos viadutos, o que vai permitir fluxo contínuo no trânsito. O projeto também prevê espaços dedicados a pedestres e ciclistas.
Para quem anda de carro, o sistema prevê uma via expressa, que ligará a avenida Garibaldi à Paralela.

"Com os 16 minutos - da Estação da Lapa até o Iguatemi -, a população estará ganhando 44 minutos. Essas intervenções significam ganho de horas em família, horas em lazer. O objetivo é convidar as pessoas a voltarem a usar o ônibus. Elas só vão voltar quando o ônibus tiver qualidade, conforto e segurança", ressaltou Aleluia.

Segundo Aleluia, a velocidade média dos ônibus no BRT será de 30 km/h a 40 km/h. Atualmente, esta velocidade é de cerca de 20 km/h.

Por Luan Santos
Informações: A Tarde Online
READ MORE - Primeiro trecho do BRT de Salvador terá 9 estações entre Lapa e Iguatemi

Eletra e Mitsubishi produzem o primeiro ônibus elétrico brasileiro

A Eletra, empresa brasileira especializada em veículos de transporte urbano com tração elétrica, e as japonesas Mitsubishi Heavy Industries e Mitsubishi Corporation lançam o E-Bus, primeiro ônibus elétrico brasileiro movido 100% a baterias. O veículo tem autonomia operacional de 200 Km, considerando recargas rápidas, e estará em testes no Corredor ABD, na Grande São Paulo, administrado pela concessionária Metra.

A EMTU/SP e a concessionária METRA integram a parceria para operar, monitorar e avaliar o resultado dos testes.

Com chassi Mercedes-Benz, carroceria Induscar/Caio e motor elétrico WEG, o veículo articulado, com ar condicionado e capacidade para 150 passageiros, é o primeiro ônibus elétrico a baterias com 18 metros de comprimento no mundo. Estará operando no trecho Diadema – Brooklin e as baterias poderão ser recarregadas no terminal, de acordo com a necessidade da operação.

A tecnologia das baterias e das estações de recarga foi desenvolvida pela Mitsubishi Heavy Industries, que tem manifestado interesse em transferir esta tecnologia para empresas brasileiras. Já o chassi, carroceria e todo o sistema elétrico de tração são fabricados no Brasil, semelhantes aos trólebus desenvolvidos pela ELETRA. A interface entre os dois sistemas foi desenvolvida pelas engenharias das duas empresas: Eletra e Mitsubishi Heavy Industries. A Mitsubishi Corporation é responsável pela coordenação entre as empresas.

Iêda Maria Oliveira, gerente comercial da ELETRA, ressalta a importância do lançamento. “O Brasil já tem tradição na fabricação de ônibus elétricos e a parceria da Eletra com a gigante japonesa Mitsubishi concede ao país um papel de vanguarda no seleto grupo de empresas detentoras desta tecnologia. A necessidade de reduzir a poluição nos centros urbanos passa pela não utilização de combustíveis fosseis, principalmente nos corredores que cortam o coração das grandes cidades. Neste sentido, os ônibus elétricos com EMISSÃO ZERO DE POLUENTES terão papel fundamental para o transporte público.”

Informações: Bem Paraná

Leia também sobre:
·         Metrô São Paulo
·         SPTrans
·         EMTU-SP
READ MORE - Eletra e Mitsubishi produzem o primeiro ônibus elétrico brasileiro

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960