Após acordo, Metrô do Recife não vai entrar em greve

quinta-feira, 13 de junho de 2013

Os metroviários do estado fizeram assembleia na noite desta quinta-feira (13) e encerraram a paralisação da categoria. O grupo, que havia aprovado a greve, mas ainda não a tinham deflagrado, resolveu acatar a proposta de reajuste oferecida pela Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU). 

A proposta de aumento oferecida pelos patrões é de 7,4%, no entanto, 6,49% viriam escalonados e o restante de forma linear. De acordo com a categoria, na prática, isso quer dizer que o reajuste salarial, em alguns casos, passaria de 10%. De início, a empresa só oferecia 2,2%, valor inferior até mesmo a inflação.

Com a manobra do escalonamento, quem ganha mais ficaria com reajuste na faixa dos 6% e quem ganha menos ficaria com reajuste real de até 30%. Além disso, a empresa propõe aumento do valor do ticket de alimentação em 7,4%, mesmo percentual oferecido pelo reajuste do plano de saúde. 

Impasse
A única divergência da categoria era por conta da hora extra. Atualmente, a hora extra está em 100% e acabou sendo reduzida, com o acordo atual, para 50%, o determinado pela lei. 

Informações: Diário de Pernambuco

READ MORE - Após acordo, Metrô do Recife não vai entrar em greve

Com fim da greve, trens da CPTM voltam a circular nesta quinta

Os ferroviários da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) encerraram a greve da categoria na noite desta quinta-feira (13) após assembleia dos funcionários, segundo o Sindicato dos Trabalhadores em Empresas Ferroviárias da Zona Sorocabana.
Foto: Diário da CPTM
A categoria deve voltar a trabalhar ainda nesta noite, mas não há previsão para o horário de retorno ao funcionamento. As Linhas 11- Coral e 12-Safira continuavam paralisadas no início da noite. A Linha 9-Esmeralda, que também estava parada, voltou a funcionar no trecho entre as estações Grajaú e Pinheiros por volta das 17h40 desta quinta-feira (13).


De acordo com o Tribunal Regional do Trabalho (TRT) da 2ª Região, a greve foi julgada não abusiva, com determinação de retorno imediato de 100% da categoria, sob pena de multa diária de R$ 200 mil. Houve um aumento da multa, que antes era de R$ 100 mil reais. Na próxima quarta-feira (19) haverá uma segunda reunião do julgamento do dissídio coletivo, também no TRT.

Nas linhas paralisadas, funcionava o Plano de Apoio entre Empresas em Situação de Emergência (Paese), com ônibus percorrendo os trechos entre as estações paralisadas. A estação Júlio Prestes da Linha 8-Diamante também estava fora de funcionamento no horário.

Encerramento
A greve que afeta quatro linhas da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) será encerrada nesta quinta-feira (13), segundo Everson Craveiro, representante do Sindicato dos Trabalhadores em Empresas Ferroviárias de Transporte de Passageiros da Zona Sorocabana.

Funcionários e representantes do sindicato dos ferroviários se reuniram em frente à Estação da Luz, na região central de São Paulo, nesta tarde para avaliar o movimento. O grupo anunciou que a greve será encerrada após julgamento do movimento no Tribunal Regional do Trabalho (TRT).

"Vamos terminar a greve comemorando ou decidindo nosso próximo passo", disse. Segundo ele, a paralisação será encerrada independentemente da decisão da Justiça. A sessão do tribunal ocorre às 17h no Tribunal Regional do Trabalho (TRT), na Rua da Consolação.

"Os trens voltam a funcionar tão logo a gente saia do tribunal e chegue aos locais de trabalho", disse. "Vamos voltar a trabalhar porque não tem mais o que fazer na greve. (...) O ferroviário é pacífico e tem comando", afirmou.

O grupo, até o fim da assembleia, por volta das 15h30, não havia chegado a um acordo com a CPTM em relação a três principais pontos: vale-alimentação, planos de cargo, carreira e salário e adicional de risco de vida.

Durante assembleia, representantes de outras entidades e sindicatos deram apoio à causa dos ferroviários. Altino de Melo Prazeres Júnior, presidente do sindicato dos metroviários, foi um deles. "A causa é uma só!", afirmou.
Ao fim da assembleia, os manifestantes se dirigiram em passeata até o TRT, com o pedido de Craveiro de que a marcha seja feita de "forma organizada" e "sem baderna".
Segundo a assessoria do TRT, no fim da tarde os magistrados irão julgar se a greve é ou não abusiva. Na quarta, durante audiência no TRT, representantes da CPTM e do sindicato dos ferroviários não chegaram a acordo.

Paralisação
A paralisação dos ferroviários interrompe completamente as linhas 9-Esmeralda, 11- Coral e 12-Safira. A linha 8-Diamante, que funcionava normalmente, agora circulará apenas entre as estações Itapevi e Barra Funda.

A greve dos funcionários da CPTM começou à 0h desta quinta-feira, após assembleia realizada na noite desta quarta-feira (12). Em nota, a CPTM afirmou que considera irresponsável a decisão dos sindicatos que representam os empregados das linhas 8-Diamante e 9-Esmeralda 11-Coral e 12-Safira de paralisar a prestação dos serviços.

A companhia divulgou nota dizendo que considera irresponsável a decisão do Sindicato dos Trabalhadores da Zona Sorocabana, representante dos empregados das linhas 8-Diamante e 9-Esmeralda e do Sindicato dos Trabalhadores em Empresas Ferroviárias da Zona Central, que representa os empregados das linhas 11-Coral e 12-Safira de paralisar a prestação dos serviços.

Diretor do Sindicato Central do Brasil, Lourival Júnior afirma que a categoria está em campanha salarial desde março e esgotaram-se as tentativas de conciliação na Justiça do Trabalho. "A gente ainda aguarda uma proposta digna", afirmou. O sindicato exige reajuste de 6,77% para reposição da inflação medida pelo INPC, do IBGE, e mais 5% a título de produtividade.

Segundo a CPTM, na reunião de conciliação realizada nesta terça-feira (12), no Tribunal Regional do Trabalho (TRT) a CPTM apresentou nova proposta garantindo 8,56% de  reajuste salarial, que repõe a inflação do período, considerando o IPC-FIPE de 5,91%, e garante aumento real de 2,5%. 

Além disso, também foi oferecido aumento de 20% no vale-refeição, que passaria de 22 para 24 cotas de R$ 23 por dia, totalizando R$ 552 ao mês. A empresa diz também que ofereceu a substituição da cesta básica por vale-alimentação, valor de referência ampliado de R$ 76,86 para R$ 100 e benefício optativo de adiantar 50% do 13º salário em janeiro.

O Sindicato dos Engenheiros Ferroviários em São Paulo e o Sindicato dos Ferroviárias de São Paulo chegaram a um acordo com a CPTM em relação à campanha salarial e aceitaram o reajuste salarial de 6,97% e a implantação de plano de cargos, carreiras e salários com adequações salariais.

Informações: G1 São Paulo

READ MORE - Com fim da greve, trens da CPTM voltam a circular nesta quinta

Motoristas de ônibus do Recife fazem protesto nesta sexta

Nesta sexta-feira (14/06)! Protesto dos motoristas!

Os rodoviários do estado vão parar por uma hora na manhã desta sexta-feira (14). O alerta foi dado pelo presidente da Oposição dos Rodoviários de Pernambuco, Juscelino Pereira Macedo, na tarde desta quinta-feira (13), após o adiamento da primeira reunião de negociação entre patrões, sindicato e oposição para definir o reajuste salarial da categoria. De acordo com o articulador, não é greve, apenas um "choque de advertência". 


Siga o Blog Meu Transporte pelo Facebook

A partir das 6h desta sexta, os motoristas que estiverem nos terminais de integração vão parar, os que estiverem circulando também deverão procurar os terminais para cruzarem os braços. A advertência se estenderá até as 7h, segundo Juscelino Macedo, para não atrapalhar os usuários.

"Estamos fazendo isso para o sindicato perceber que não estamos brincando. Até o momento, nenhuma proposta de aumento foi apresentada. Infelizmente, nosso sindicato tem sido omisso. Estamos tendo perdas e não vamos aturar isso, mas a população não sofrerá no horário de pico", tranquilizou o organizador.

- Metroviários do Recife também podem entrar em greve nesta sexta

A primeira reunião de negociação entre o Sindicato dos Trabalhadores Rodoviários de Pernambuco, o Urbana/PE e a Oposição Rodoviária foi adiada porque o mediador teria adoecido. Com isto, o estudo de propostas e contrapropostas só começará no dia 18. "Fomos autorizados pelo Ministério Público a participar da mesa de negociações. Ela deveria acontecer hoje (13), dia 18 e 25, mas agora só vai começar na próxima semana. Houve um consenso na pauta do sindicato e da oposição, mas nosso salário está defasado em 87% e temos outras exigências além do pedido pelo sindicato".

De acordo com o movimento Oposição dos Rodoviários, que na contagem da Central Única dos Trabalhadores (CUT) tem 102 membros, os servidores perderam benefícios com o Sindicato dos Rodoviários de Pernambuco à frente das negociações. "Deixamos de receber a salubridade, por exemplo, desde 1995. O próprio Ministério Público informou que é nosso benefício por direito. Não vamos mais esperar. Se a situação não for resolvida, depois da reunião do dia 18, vamos avaliar a possibilidade de parar de vez", concluiu Juscelino Pereira.

Categoria
Os rodoviários são motoristas, cobradores, despachantes e fiscais de ônibus, que atendem diariamente a 2,2 milhões de passageiros na Região Metropolitana do Recife. Procurado pela equipe de reportagem do Diario de Pernambuco, o presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rodoviários de Pernambuco, Patrício Magalhães, não foi localizado.

Informações: Diário de Pernambuco 

READ MORE - Motoristas de ônibus do Recife fazem protesto nesta sexta

Autorizado financiamento de R$ 444 milhões para BRT em Campinas

A Câmara de Vereadores aprovou a dois dias do fim do prazo, em sessão extraordinária nesta quarta-feira (12), projeto que autoriza a Prefeitura de Campinas (SP) a operar o crédito de R$ 444 milhões do Programa de Aceleração do Crescimento da Mobilidade Urbana (PAC 2) destinada às obras do Bus Rapid Transit (BRT) e para pavimentação de bairros.

Durante a sessão o projeto passou por duas votações, de legalidade e mérito. A proposta, agora, segue para promulgação do prefeito Jonas Donizette (PSB) e precisa constar no Diário Oficial do Município (DOM) até sexta-feira (14) para a cidade não perder o dinheiro, que virá da Caixa Econômica Federal (CEF). As obras de melhoria ainda não têm prazo para ocorrer.


O vereador Paulo Bufalo (PSOL) apresentou uma emenda que não chegou a ser colocada em votação, pois não passou pelas comissões. O parlamentar pedia que a Prefeitura apresentasse, trimestralmente, um relatório da execução financeira da verba, tanto para o conselho de transportes quanto para a Câmara.

Do montante, R$ 247 milhões são destinados à pavimentação de regiões que não possuem asfalto. O projeto prevê a melhoria em 21 bairros. A negociação com o governo federal teve início no fim do ano passado, durante o período de transição entre a administração municipal. O repasse foi anunciado pela presidente Dilma Rousseff (PT) no dia 06 de março, mas apenas na semana passada é que os vereadores receberam o projeto que autoriza o Executivo a contrair o financiamento.

BRT atrasado
Os corredores exclusivos de ônibus do BRT irão ligar as regiões do Campo Grande e Ouro Verde ao Centro. A licitação para a escolha da empresa está aberto e será encerrado no próximo dia 19. O anúncio do repasse da União ao município ocorreu em abril de 2012.

O início das obras estava previsto para o segundo semestre deste ano, mas a Prefeitura já admite iniciá-la somente no ano que vem. A atual administração diz que, neste caso, a demora para a aprovação para a captação de recursos ocorreu por falhas no governo passado, já que havia apenas um esboço do projeto, o que atrasou a licitação.

Serão três anos de intervenções em vias públicas para a conclusão das obras. Desde o ano passado, 15 veículos do BRT já fazem o percurso entre as regiões e o Centro. Mas, sem os corredores exclusivos, são poucas as melhorias sentidas pela população. A previsão é que o tempo de viagem no trecho de 17,8km, do Campo Grande ao Centro, tenha redução de 31%; do Ouro Verde ao Centro, a redução prevista é de 26%, em um trecho de 14,4km.

Além da pista exclusiva para os ônibus, estão previstas estações de transferência fechadas e plataformas em nível, com embarque e desembarque pela porta esquerda do veículo.

Informações: G1 GO
READ MORE - Autorizado financiamento de R$ 444 milhões para BRT em Campinas

Tarifa de ônibus em Goiânia volta a custar R$ 2,70

A Companhia Metropolitana de Transportes Coletivos (CMTC) anunciou, no fim da manhã desta quarta-feira (11), que o valor da passagem na Região Metropolitana de Goiânia voltará a custar R$ 2,70. A medida tera validade a partir de 0h de quinta-feira (12). O anuncio foi feito por meio das redes sociais, no twitter da Rede Metropolitana de Transporte Coletivo (RMTC).

O fim do reajuste foi determinado por liminar expedida pelo juiz Fernando de Mello Xavier, da 1ª Vara da Fazenda Pública Estadual. A decisão da Justiça foi deferida na tarde da última segunda-feira (11). Porém, o presidente da CMTC, Ubirajara Abud Alves, só foi notificado às 9h30 desta quarta, quando foi encontrado na sede da companhia por um oficial de Justiça.  Além de estabelecer o preço da passagem em R$2,70, a liminar também previa multa diária de R$ 100 mil caso a decisão não fosse cumprida.

Os usuários do transporte coletivo conviveram com a dúvida se a tarifa continuava conforme o reajuste do último dia 22 de maio, que estabeleceu o preço em R$ 3. Outro ponto questionado pelos passageiros é o ressarcimento dos 30 centavos pagos a mais pela tarifa.

De acordo com a decisão judicial, o aumento no valor da passagem de ônibus foi abusivo. Na decisão, o juiz argumentou que desde o último dia 1º de junho as empresas de transporte coletivo deixaram de pagar os impostos PIS e Cofins, porém essa isenção não foi repassada ao usuário goianiense.

Informações: G1 GO

READ MORE - Tarifa de ônibus em Goiânia volta a custar R$ 2,70

Greve da CPTM prejudica linhas de trem em São Paulo

Linhas da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) estão paralisadas na manhã desta quinta-feira (13) por causa da greve dos ferroviários, decretada na noite desta quarta-feira (12). De acordo com a assessoria da CPTM, a Linha 9-Esmeralda tinha todas as estações fechadas. Trechos das linhas 11-Coral (entre Guaianazes e Estudantes) e 12-Safira (entre Engenheiro Manoel Feio e Calmon Viana) também não funcionavam.

Nestes trechos, foi acionado o Plano de Apoio entre Empresas de Transporte em Situação de Emergência (Paese), às 2h30, com ônibus operando entre as estações Pinheiros e Grajaú (Linha 9) e Guaianazes e Estudantes (Linha 11). Na linha 12, a operação foi acionada entre as estações Itaquaquecetuba e Poá (Expresso Leste da Linha 11) e Itaquaquecetuba e Itaim Paulista (Linha 12). Apesar da promessa de paralisação na Linha 8-Diamante, os trens circulavam normalmente entre as estações Júlio Prestes e Itapevi.

Apenas na Linha 9, a mais afetada, 495 mil passageiros usam o serviço diariamente.

Em Osasco, na Grande São Paulo, passam duas linhas da CPTM, a 9-Esmeralda e a 8-Diamante. Por volta das 6h20 desta quinta, os passageiros que chegavam à estação eram informados sobre a paralisação total da Linha 9, mas tinham como alternativa a outra linha.

Como é feriado no município, os passageiros que desejam sair da cidade enfrentam ainda mais dificuldade, já que há menos ônibus em circulação. Segundo funcionários de um terminal de ônibus, as linhas municipais funcionam com 50% da frota e as intermunicipais, com 80%. A Prefeitura diz que cada empresa pode determinar quantos ônibus irão circular nos dias de feriado.

Muitos passageiros que chegavam no início da manhã à estação Grajaú, da Linha 9-Esmeralda, eram surpreendidos com a paralisação e se depararam com um cartaz informando sobre a greve dos ferroviários. Os ônibus da operação Paese não dão conta do número de pessoas que tentam embarcar até a estação Pinheiros, trecho até onde os ônibus foram disponibilizados.
A Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) informou na noite desta quarta-feira que, apesar da greve na CPTM, o rodízio municipal de placas funciona normalmente na cidade.

Paralisação
Funcionários das linhas 8-Diamante (Julio Prestes-Itapevi), 9-Esmeralda (Osasco-Grajau),  11-Coral (Luz-Guaianazes) e 12-Safira (Brás-Calmon Viana) da CPTM decidiram em assembleia entrar em greve a partir de 0h desta quinta.

A companhia divulgou nota dizendo que considera irresponsável a decisão do Sindicato dos Trabalhadores da Zona Sorocabana, representante dos empregados das linhas 8-Diamante e 9-Esmeralda e do Sindicato dos Trabalhadores em Empresas Ferroviárias da Zona Central, que representa os empregados das linhas 11-Coral e 12-Safira de paralisar a prestação dos serviços.
Diretor do Sindicato Central do Brasil, Lourival Júnior, afirma que os sindicalistas já percorrem as áreas para convencer funcionários operacionais e de manutenção a entrar em greve. Rogério Centofanti, do Sindicato dos Ferroviários Sorocabana, afirma que a próxima reunião de avaliação está marcada para as 15h desta quinta. Segundo ele, a tendência é a greve ganhar adesão ao longo do tempo.

Segundo Lourival, a categoria está em campanha salarial desde março e esgotaram-se as tentativas de conciliação na Justiça do Trabalho. "A gente ainda aguarda uma proposta digna", afirmou.

Segundo a CPTM, na reunião de conciliação realizada nesta terça-feira (12), no Tribunal Regional do Trabalho (TRT) a CPTM apresentou nova proposta garantindo 8,56% de  reajuste salarial, que repõe a inflação do período, considerando o IPC-FIPE de 5,91 %, e garante  aumento real de 2,5%. 

Além disso, também foi oferecido aumento de 20% no vale-refeição, que passaria de 22 para 24 cotas de R$ 23 por dia, totalizando R$ 552 ao mês.
A empresa diz também que ofereceu a substituição da cesta básica por vale-alimentação, valor de referência ampliado de R$ 76,86 para R$ 100 e benefício optativo de adiantar 50% do 13º salário em janeiro.

O Sindicato dos Engenheiros Ferroviários em São Paulo e o Sindicato dos Ferroviárias de São Paulo chegaram a um acordo com a CPTM em relação à campanha salarial e aceitaram o reajuste salarial de 6,97% e a implantação de plano de cargos, carreiras e salários com adequações salariais.

Informações: G1 SP

READ MORE - Greve da CPTM prejudica linhas de trem em São Paulo

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960