Setor de ônibus no Brasil vive um momento de expectativa

quarta-feira, 10 de outubro de 2012

Setor de ônibus no Brasil rumo ao ponto futuro


O setor de transporte de passageiros no Brasil vive um momento de expectativa. A realização de grandes eventos de grande porte no país – leia-se Copa do Mundo e Olimpíadas – nos próximos anos serve como chamariz para investimentos em soluções de transporte público nas maiores capitais, que ficariam como "legado". Diante desse cenário, a 9ª FetransRio, feira realizada bianualmente no Rio de Janeiro e que ocorreu entre os dias 3 e 5 de outubro no Riocentro, reuniu 150 expositores e foi palco para fabricantes e encarroçadoras mostrarem suas novidades, de olho em licitações públicas e pedidos extras de empresas de transporte. No entanto, nem tudo teve relação direta com essas novas demandas. Algumas fabricantes aproveitaram o evento para levar novos conceitos e tecnologias que só aparecerão nas ruas brasileiras no futuro, como os ônibus híbridos que já rodam em algumas cidades na Europa – Londres, Barcelona e Munique, entre outras.

Sem dúvidas, as maiores vedetes da FetransRio foram os projetos de BRT – do inglês Bus Rapid Transport. Implantados em capitais como Curitiba, Belo Horizonte e Rio de Janeiro, eles conseguem levar um número maior de pessoas por viagem através de vias de tráfego exclusivo, cortando grandes avenidas. A Mercedes-Benz mostrou com otimismo os chassis OM 500 MDA e UDA, capazes de suportar carrocerias de até 23 metros de comprimento. O "superarticulado" pode levar mais de 200 passageiros e tem aplicação específica nesses sistemas de transporte, onde as paradas são feitas em estações  construídas junto aos corredores, nas quais o passageiro paga a passagem na própria estação e libera os ônibus das famigeradas catracas. Já a MAN Latin America mostrou o chassi 26.330 OTA, também com especificações para atender às necessidades dos BRTs. "Os ônibus articulados representam uma excelente opção para ampliar o atendimento ao usuário e diminuir o tempo de deslocamento", destacou Euclides Castro, gerente da linha de ônibus urbanos da Volvo Bus. A marca sueca também levou seus representantes no segmento para a FetransRio. Até a Iveco, novata no segmento de ônibus no Brasil, apresentou seus planos para chassis articulados.

A onda positivista também chegou às encarroçadoras, cuja produção acompanha diretamente os pedidos dos frotistas. As empresas mostraram novas soluções e avanços no design dos ônibus, que estão mais modernos que nunca. A Marcopolo aproveitou para lançar o Audace, o modelo rodoviário de curtas e médias distâncias. Além disso, reestilizou os Paradiso 1200 e 1050, que ganharam design inspirado e mais tecnologia a bordo. A Comil também levou seu primeiro rodoviário double decker – com dois andares –, o Campione  DD e anunciou a construção de uma nova fábrica em Lorena, no interior de São Paulo. Neobus e Caio focaram em suas carrocerias para BRTs – com seus MegaBRT e Millenium BRT respectivamente – que apresentam soluções semelhantes de funcionalidade no sistema de transporte.

Apresentados ainda como possibilidades para o futuro, os ônibus híbridos deram suas caras na FetransRio. A MAN levou o europeu Lion’s City Hybrid, enquanto a Volvo já tem seu modelo fabricado na fábrica da marca em Curitiba. Ambos utilizam um sistema semelhante, com um motor elétrico que impulsiona o veículo em baixas velocidades – a até cerca de 20 km/h –, a partir da qual entra em funcionamento o motor diesel convencional – mas de menor capacidade do que seria necessário caso ele empurrasse sozinho o ônibus. No entanto, as duas empresas divergem sobre o futuro da tecnologia no Brasil. "O híbrido diesel-elétrico ainda não é a tecnologia mais adequada ao país", afirma Ricardo Arouche, diretor de Vendas, Marketing e Pós-Vendas da MAN Latin America. Enquanto isso, a Volvo já testa o sistema em Curitiba e São Paulo, e aposta na redução de até 35% do uso de diesel e 90% das emissões de poluentes para convencer as empresas a gastarem cerca de 60% a mais num chassi híbrido da marca. O agito no segmento de ônibus está apenas começando.
Veja as principais novidades da FetransRio:

Caio – A encarroçadora apresentou uma reestilização na linha urbana Apache VIP, que ganhou novos faróis e interior levemente redesenhado. O modelo é um dos mais vendidos no Brasil e o produto mais bem-sucedido da Caio.

Comil – A novidade foi o Campione DD, o primeiro Double Decker da marca. O modelo é uma variação do Campione HD, e tem até 4,10 metros de altura e 14 metros de comprimento. O design é basicamente o mesmo do Campione já conhecido, apenas com a adição do piso inferior. 

Irizar – A espanhola Irizar mostrou o novo i6. A carroceria tem visual arrojado e elegante. A marca aposta no conforto e luxo a bordo para conquistar a clientela. O modelo tem faróis e lanternas com luzes de led, além do maquinário do ar-condicionado integrado às linhas do teto e bastante tecnologia. Ele pode ser encarroçado em chassis 4X2 ou 6X2, com opções de 12 e 14 metros de comprimento. 

Iveco – Novata no segmento de ônibus no Brasil, a marca italiana mostrou o microônibus CityClass, montado sobre a base do furgão Daily 70C17 com motor de 170 cv e PBT de até 7,2 toneladas e carroceria da Neobus. Além dele, o chassi S170 com motor dianteiro de quatro cilindros e 6.7 litros fez sua primeira aparição pública. O projeto está em fase final de testes e o lançamento está programado para 2013.

MAN Latin America – Além do elegante Lion’ City Hybrid, a fabricante levou para seu estande no evento o chassi Volksbus 17.230 OD – de motor dianteiro – com câmbio automatizado V-Tronic, a primeira aplicação de um sistema do tipo em um ônibus urbano da marca. Esse modelo também estreia o propulsor de quatro cilindros, que substitui em parte o seis cilindros, mas com o sistema EGR para reduzir a emissão de poluentes, que dispensa a reposição de aditivo Arla 32 pelo transportador. O modelo 17.280 OT, com propulsor atrás, também recebeu a transmissão.

Marcopolo – Junto aos Paradiso e Audace, a Marcopolo mostrou sua carroceria conversível Double Decker Sunny, com 12,5 metros de comprimento. O modelo possui dois andares, com o piso superior coberto por uma capota retrátil. A aplicação é focada no turismo dentro das cidades e permite que o passeio continue mesmo sob mau tempo, onde outros modelos obrigam os passageiros a usar capas de chuva. A fabricante também celebrou a fabricação da unidade de número 350 mil aos 63 anos de atividade. O veículo em questão, um Paradiso 1800 DD, recebeu pintura especial em comemoração ao feito.

Mercedes-Benz – Além dos chassis articulados OM500 MDA e UDA, a marca levou para a FetransRio o LO916, para microônibus. O modelo teve o posto de condução do motorista avançado em 27,5 cm para melhor aproveitamento do espaço traseiro e facilitar o encarroçamento. 

Neobus – A encarroçadora expôs seus modelos de BRT. O design mais arrojado é um diferencial e há variações biarticuladas de até 28 metros de comprimento. A Neobus também anunciou a construção de uma nova fábrica em Três Rios, no Rio de Janeiro, para melhorar a logística de fornecimento das carrocerias para as empresas de transporte. Além disso, a fabricante também anunciou os planos de entrada no mercado norte-americano, com uma parceria firmada com a Navstar, formando a empresa Neostar, que deve fazer e entregar ônibus nos Estados Unidos.

Scania – A Scania apresentou seu novo chassi para trólebus, os ônibus 100% elétricos alimentados por rede aérea. O modelo de 15 metros de comprimento foi desenvolvido especificamente para esta aplicação e já soma 51 unidades vendidas para a cidade de São Paulo. Além dele, os chassis da série K da marca também foram expostos, com motores entre 250 cv e 440 cv.

Volvo – A Volvo levou para a Fetransrio sua nova gama de chassis de ônibus urbanos e rodoviários equipados com os motores Euro 5. As maiores novidades estão nos propulsores mais econômicos e eficientes. As versões 4X2 têm potências de 340 cv e 380 cv. Há ainda opções de 6X2 e até 8X2, que chegam aos 480 cv. As variantes rodoviárias ainda usam o câmbio automatizado I-Shift, que promete ajudar ainda mais na diminuição do uso de diesel. Além dos novos ônibus, a marca sueca também mostrou seu novo sistema de telemetria desenvolvido especificamente para o uso em frotas de transporte público. 

Fonte: Motor Dream

READ MORE - Setor de ônibus no Brasil vive um momento de expectativa

CBTU publica edital para compra de dez trens para o metrô de BH

A Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU) informou, nesta terça-feira (9), que publicou o edital de licitação para compra de dez novos trens para o metrô de Belo Horizonte. Segundo a empresa, cerca R$ 211 milhões devem ser investidos para dobrar a capacidade de transporte de passageiros nos horários de pico.

De acordo com a CBTU, assim que for definida a empresa vencedora da licitação, ela terá nove meses para entregar o primeiro trem. O restante deve ser entregue nos meses seguintes – um a cada mês. A previsão é que toda a nova frota esteja em funcionamento em até dois anos.

Do G1 MG

Siga o Blog Meu Transporte pelo Facebook
READ MORE - CBTU publica edital para compra de dez trens para o metrô de BH

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960