Metrô de São Paulo lança edital para a Linha 15-Branca

sábado, 1 de setembro de 2012

Com mais essa obra, cidade de São Paulo terá cinco linhas de metrô e monotrilho em construção simultâneamente.
A Companhia do Metrô publicou nesta sexta, 31, o edital de licitação para contratar os trabalhos de construção da Linha 15-Branca (Vila Prudente-Dutra). O anúncio da publicação foi antecipado no dia 23 de agosto pelo governador Geraldo Alckmin e pelo secretário de Estado dos Transportes Metropolitanos, Jurandir Fernandes.


Após a publicação do edital, ocorre a fase de pré-qualificação. As propostas deverão ser apresentadas em aproximadamente 40 dias pelas empresas interessadas. E depois da análise das propostas, a companhia divulgará o vencedor. A expectativa é que as obras sejam iniciadas no segundo semestre de 2013. Com a Linha 15-Branca em obras, a cidade de São Paulo terá cinco linhas de metrô e monotrilho em construção simultânea.



A Linha 15-Branca vai ligar a zona leste até Guarulhos. Serão 13,5 km de extensão e 12 estações (Orfanato, Água Rasa, Anália Franco, Vila Formosa, Guilherme Giorgi, Nova Manchester, Aricanduva, Penha, Penha de França, Tiquatira, Paulo de França e Dutra). Terá interligação com outras três linhas do Metrô (2-Verde, 3-Vermelha e a 6-Laranja) e três da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM), as linhas 11-Coral, 12-Safira e 13-Jade.

Do Portal do Governo do Estado
READ MORE - Metrô de São Paulo lança edital para a Linha 15-Branca

Em Belo Horizonte, 1350 motoristas e cobradores estão de licença médica por problemas emocionais e de saúde

O desgaste diário no trânsito congestionado das maiores cidades brasileiras tem aumentado o número de motoristas de ônibus que se afastam do trabalho por estresse.
Uma rua estreita e um impasse.
“Eu estou na minha preferência aqui”, grita um taxista.
“Ele vinha descendo e acelerou para obstruir a passagem. Como que dá ré em um ônibus grande desse daí com as ruas estreitas que têm atrás?”, questiona um motorista de ônibus.
“Eu preciso trabalhar.Tempo é dinheiro”, grita uma mulher enquanto buzina.
É só mudar de bairro para constatar que está faltando paciência para todo lado. Na hora do rush então...
“Uma guerra no trânsito. Ninguém respeita ninguém”, resume um motorista.
Pressão do tempo, cobrança das empresas e dos passageiros são fatores que estão levando um número cada vez maior de profissionais do volante a situações extremas de estresse. Por causa dele surgem problemas de saúde e muitos casos de afastamento do trabalho.
Em Belo Horizonte, 1350 motoristas e cobradores sindicalizados, quase 10% do total, estão de licença médica por problemas emocionais e de saúde, segundo o Sindicato dos Trabalhadores. Dos afastados, mais da metade por estresse. Os números refletem a exposição a riscos como assaltos e agressões.
Rodrigo Coelho abandonou o ônibus lotado no meio da rua, na Zona Sul da capital mineira, minutos depois de ser fechado por um carro.
“Ele foi e fez gesto obsceno para mim. Aí foi a hora que eu estourei, ultrapassei ele e atravessei o ônibus na frente dele, deixei o ônibus atravessado. Desliguei, joguei a chave no capô e fui embora”, conta o condutor.
Hoje ele está de licença médica. Segundo a psicóloga Sest/Senat Patrícia Teixeira da Cunha, a volta ao batente, geralmente, é sofrida.
“O fator estressante não vai sair do ambiente. Se ele não aprender a lidar com isso inicialmente, nós vamos ter o caso de doenças, síndrome do pânico, depressão”, analisa.
“Tem que gostar do serviço, não é? Se não gostar, aí perde a paciência, estressa, mas dá para levar legal”, diz o motorista Welington Silva.
A Associação Nacional das Empresas de Transportes Urbanos (ANTU) declarou que estuda, com os associados, formas de reduzir o problema.
Fonte: Jornal Nacional



READ MORE - Em Belo Horizonte, 1350 motoristas e cobradores estão de licença médica por problemas emocionais e de saúde

Ônibus em Salvador circulam com fotos de desaparecidos

As fotografias de 61 pessoas desaparecidas já começaram, nesta quinta-feira (30), a circular estampadas em 50 ônibus do sistema de transporte coletivo de Salvador e Lauro de Freitas.

A ação é resultado da parceria entre a Polícia Civil, a agência Mídia Bus e o Sindicato das Empresas de Publicidade Exterior do Estado da Bahia (Sepexba) e visa ampliar o volume de informações sobre o paradeiro de pessoas procuradas.

Até 5 de setembro, as fotos estarão expostas em 100 ônibus, nas duas cidades.

Todo o material faz parte do acervo de fotografias de pessoas desaparecidas, cadastradas na Delegacia de Proteção à Pessoa (DPP), do Departamento de Homicídios de Proteção à Pessoa (DHPP).

Foram produzidas duas peças publicitárias, uma com duas fotos, que será afixada na chaparia ou vidro traseiro do ônibus, e outra para a divisória de vidro atrás do motorista, facilmente visível para todos os passageiros.

Além de exibir as fotografias, as peças publicitárias informam também o local onde o desparecido foi visto pela última vez, o nome da pessoa, idade e o telefone da DPP para contato, que é o 3116-0357.

Para facilitar a identificação, todas as fotos passaram antes por um minucioso tratamento visual, para que a impressão tivesse uma melhor qualidade. Elas poderão ser vistas em quase todos os itinerários existentes em Salvador e Lauro de Freitas, circulando por dezenas de bairros diferentes.

Segundo a titular da DPP, delegada Juceli Rodrigues, localizar uma pessoa desaparecida apenas com o trabalho da polícia, em uma cidade como Salvador, pode ser uma missão muito difícil e demorada.

Para ela, a iniciativa permitirá ampliar a rede de informações dos setores de investigação da unidade policial e ajudará a localizar um desaparecido com mais rapidez. “Estamos buscando utilizar diferentes meios de divulgação que ajudem a encontrar pessoas desaparecidas em menos tempo”, afirma a delegada.
Da Tribuna da Bahia
READ MORE - Ônibus em Salvador circulam com fotos de desaparecidos

Em Fortaleza, Transporte alternativo terá que ser licitado

Assim como aconteceu com os ônibus que circulam na Capital, que foram licitados, a Prefeitura Municipal, por meio da Empresa de Transporte Urbano de Fortaleza (Etufor), decidiu licitar, também, o transporte alternativo, que, agora, será complementar. Ou seja, dará suporte às linhas regulares da cidade.
O novo processo foi apresentado, ontem, em audiência pública realizada no auditório do Instituto Municipal de Pesquisas, Administração e Recursos Humanos (Imparh), no bairro Damas. O evento contou com a presença de empresários, integrantes das cooperativas de vans do município, além de parlamentares.
FOTO: KID JÚNIOR
Segundo a Etufor, o novo sistema permitirá uma melhor organização do serviço de transporte coletivo de Fortaleza, já que redistribuirá a oferta, complementando o atendimento já feito pelo transporte regular (ônibus), além de permitir e facilitar a integração entre os modais.
Segundo o presidente da Etufor, Ademar Gondim, caso não haja nenhuma objeção ao projeto, o processo de concorrência deve ser lançado no começo de 2013. Atualmente, existem 320 vans em Fortaleza. Elas atuam na cidade por meio de um termo de permissão. Agora, segundo o presidente, para obedecer à Constituição Federal, esses veículos só poderão operar depois de participarem da licitação.
Com o novo sistema, as linhas do transporte alternativo serão postas somente em uma área de operação, no caso a Capital. Porém, a circulação de vans nos grandes corredores deve diminuir. Poderão participar da concorrência, em relação à área de operação, toda e qualquer pessoa jurídica ou física a vinculada a uma cooperativa regularmente estabelecida, atenda às condições de capacidade jurídica, capacidade técnica, idoneidade financeira e regularidade fiscal/previdenciária.
No caso de pessoa jurídica individual ou pessoa física, só poderá participar da licitação com uma permissão que deverá estar ligada a uma cooperativa. É preciso ainda comprovar experiência na execução de serviços de transporte coletivo urbano na modalidade complementar na operação de linhas regulares urbanas de passageiros.
De acordo com a Etufor, somente miniônibus poderão ser utilizados na prestação dos serviços de transporte coletivo de passageiros, na modalidade complementar.
A licitação será por melhor técnica e preço (maior oferta pela outorga da permissão), e o valor mínimo da outorga para área é de R$ 3 milhões. O prazo do Contrato de Permissão será de 15 anos, podendo ser renovado por até igual período, isso, de acordo com a Lei Orgânica do Município (LOM).
Palanque
Durante a audiência, foi aberto espaço para sugestões tanto da população quanto de vereadores presentes. Dentre os parlamentares estavam os integrantes da comissão de Transportes da Câmara Municipal, que em vez de darem sugestões, utilizaram o evento como palanque político e pouco se entendiam.
Por Thays Lavor / Diário do Nordeste
READ MORE - Em Fortaleza, Transporte alternativo terá que ser licitado

Ciclistas ganham vias em motofaixa e monotrilho de São Paulo

A motofaixa da Rua Vergueiro, em São Paulo, receberá ciclistas nos domingos e feriados. O benefício será concedido entre o trecho do bairro Paraíso, na zona sul, e a região da Sé, no centro da cidade.
Os ciclistas pedem que o corredor exclusivo para motos possa ser utilizado também por eles desde 2010. Certa vez, foram até desenhadas bikes no chão da via em protesto para a abertura do trecho.
Foto: © Mayra Rosa/CicloVivo
Desde então, os ciclistas continuaram a pressionar os órgãos competentes. Segundo a CET (Companhia de Engenharia de Tráfego), a motofaixa foi criada para atender mais de mil motos que passariam pelo local diariamente. No entanto, a área exclusiva não atraiu tantos motoqueiros como esperado.
Estava previsto outros corredores na cidade, mas o baixo movimento fez com que a Prefeitura de São Paulo desistisse dos planos. O projeto de proibir motociclistas na avenida 23 de Maio também foi abandonado.
De acordo com a Secretaria Municipal dos Transportes, o local será liberado nas próximas semanas. Quem defende o uso da bicicleta como meio de transporte diário reivindicam o uso das motofaixas também em dias de semana. Em breve será inaugurada uma ciclofaixa na Avenida Paulista que também funcionará apenas aos finais de semana.
Outra via destinada aos ciclistas poderá ser construída sob o monotrilho da Linha 2 – Verde, na Zona Leste da capital paulista. O projeto é uma ciclovia de 10,3 quilômetros exigida para a licença ambiental das obras.
De acordo com o site Vá de Bike, é provável que haja bicicletários em todas as estações. Além disso, o entorno de tais estações serão adaptados para atender portadores de necessidades especiais. A previsão do Metrô é que o trecho entre Vila Prudente e Oratório fique pronto em 2013.
Com informações do Noticias R7 e Vá de Bike. Redação CicloVivo
READ MORE - Ciclistas ganham vias em motofaixa e monotrilho de São Paulo

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960