No Rio, SuperVia coloca 17º trem chinês em operação

quinta-feira, 9 de agosto de 2012

Os usuários da SuperVia ganharam ontem mais um novo trem para garantir conforto às viagens. A 17ª composição adquirida na China pelo Governo do Estado para renovação da frota já está em operação. Com os novos trens, a concessionária ampliou em 100 mil a oferta de lugares para os passageiros todos os dias.

Mais 13 composições chinesas começam a rodar gradativamente até o fim do ano.

Com capacidade para até 1,3 mil pessoas, os veículos contam com ar-condicionado, painéis de LED, TVs de plasma, câmeras de monitoramento interno, bagageiros e sistema de comunicação direta com o Centro de Controle Operacional.

Jornal do Brasil
READ MORE - No Rio, SuperVia coloca 17º trem chinês em operação

Prefeitura de Uberlândia pleiteia corredores de ônibus pelo PAC Mobilidade


A Prefeitura de Uberlândia enviou, ontem, para o Ministério das Cidades, projeto no valor estimado de RS 127,5 milhões para a implantação de mais cinco corredores de ônibus na cidade. O Município ingressou na seleção para o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) Mobilidade Médias Cidades.
Uberlândia está entre as 75 cidades de médio porte, com população entre 250 mil e 700 mil habitantes, pré-selecionadas para apresentar projetos de transporte público neste programa, lançado mês passado pela presidente Dilma Rousseff. Os municípios têm prazo até dia 31 de agosto para enviar os projetos de mobilidade urbana.
A lista de cidades selecionadas será divulgada no dia 14 de dezembro. A contratação das obras está programada para o início de 2013. São R$ 7 bilhões previstos para serem liberados pelo governo federal, em forma de financiamento, para a aquisição de equipamentos que modernizem e integrem o transporte público, como estações e terminais de ônibus.
Prevista para ser concluída em dois anos, a proposta uberlandense inclui cinco novos corredores do Sistema Integrado de Transporte (SIT) para os setores sul, oeste, sudoeste, leste e norte, partindo do Terminal Central.
Atualmente, há dois corredores exclusivos de ônibus implantados em Uberlândia ao longo das avenidas João Naves de Ávila e Monsenhor Eduardo, além de cinco terminais – Central, Umuarama, Planalto, Industrial e Santa Luzia – e 13 estações fechadas, todas na avenida João Naves de Ávila.

Proposta prevê 4 novos terminais

Enviado ontem pela Prefeitura de Uberlândia ao Ministério das Cidades para aderir ao Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) Mobilidade Médias Cidades também prevê a construção de quatro terminais de embarque e desembarque. Eles ficariam no corredor sul (no setor universitário), oeste (no bairro Jardim Patrícia), sudoeste (na região dos Jardins, próxima ao bairro Nova Uberlândia) e Novo Mundo, nas imediações do bairro Morumbi, na zona leste.
Há também previsão de construção de mais 63 estações fechadas nos cinco corredores, incluindo duas na praça Tubal Vilela e uma na praça Clarimundo Carneiro, ambas no setor central. As intervenções urbanas contidas no projeto também contemplam a construção de dois novos viadutos: na rua Paraná, no bairro Brasil, e na rua México, no bairro Martins, além da duplicação da ponte do Praia Clube, no bairro Tabajaras, na zona sul. “Vamos deixar encaminhado para o próximo prefeito”, afirmou o prefeito de Uberlândia, Odelmo Leão.

Cidade aguarda liberação de financiamento há dois anos

A Prefeitura de Uberlândia aguarda há cerca de dois anos a liberação de um financiamento de R$ 101 milhões que seria proveniente do programa Pró-Transporte do Ministério das Cidades para investir em melhorias no transporte público urbano. A proposta contida neste primeiro projeto, que aguarda liberação de recursos desde 2010, é semelhante à que foi enviada ontem pelo Município para participar da seleção do PAC Mobilidade Médias Cidades.
“Não queremos perder o trabalho que já foi feito, mas também estamos ingressando um projeto para o PAC 2”, afirmou o prefeito Odelmo Leão.
Segundo o chefe do Executivo, as obras que já foram iniciadas pela prefeitura para ampliar os corredores, como os viadutos da avenida João Naves, já concluído, e da Nicomedes Alves dos Santos, com previsão para ser entregue neste mês, entrariam como contrapartida do município, caso o projeto por meio do PAC seja aprovado.
De acordo com o edital do PAC Mobilidade Médias Cidades, a seleção do Ministério das Cidades vai priorizar projetos de integração de transporte público que já estão em curso em cidades de médio porte.

Corredores estruturais projetados

Sul
Avenida Nicomedes Alves dos Santos

9 estações e terminal Universitário
Sudoeste
Avenida Getúlio Vargas

7 estações e terminal Jardins
Oeste
Avenidas José Fonseca e Silva e Marcos Freitas Costas

18 estações e terminal Jardim Patrícia
Leste
Avenida Segismundo Pereira

12 estações e terminal Novo Mundo (no bairro Morumbi)
Norte
Avenida Cleanto Vieira Gonçalves

14 estações – ligação com o Terminal Industrial (já existente)
3 Estações de embarque e desembarque nas praças Tubal Vilela (2) e na Clarimundo Carneiro (1)
Fonte: Correio de Uberlândia
Siga o Blog Meu Transporte pelo Facebook
READ MORE - Prefeitura de Uberlândia pleiteia corredores de ônibus pelo PAC Mobilidade

Governo Federal cria estatal do trem-bala

Nesta quarta-feira, dia 8, o Governo Federal criou a Etav (Empresa de Transporte Ferroviário de Alta Velocidade), estatal que vai ser responsável pela construção do trem de alta velocidade (TAV), que ligará as cidades de Campinas, São Paulo e Rio de Janeiro.

Durante a assembleia-geral de constituição da Etav foram definidos os nomes dos integrantes dos conselhos Administrativo e Fiscal, e confirmado, como diretor presidente, o nome de Bernardo Figueiredo, ex-diretor da ANTT - Agência Nacional de Transportes Terrestres. A empresa terá a incumbência de planejar e promover o desenvolvimento do transporte ferroviário de alta velocidade no país.


A obra tem um orçamento total superior a R$ 33 bilhões. O projeto prevê a realização de dois leilões, um para contratar a tecnologia que será empregada no trem e o seu operador, e outro, posterior, para a obra (construção de trilhos, estações, etc). O leilão vem sendo adiado desde o ano passado. A estimativa agora é que o primeiro deles aconteça no primeiro semestre de 2013.
Rafael Massadar / Mercado e Eventos


READ MORE - Governo Federal cria estatal do trem-bala

Obras do VLT de Cuiabá continuam mesmo com decisão da Justiça Federal


Um dia após a decisão da Justiça Federal que mandou suspender as obras do VLT (Veículo Leve sobre Trilhos), o consórcio construtor manteve a atividade nos quatro pontos em que o trabalho já começou. Por meio de sua assessoria, o consórcio VLT Cuiabá (liderado pelas empresas CR. Almeida, Santa Bárbara e CAF Brasil) disse que, até o final da tarde de ontem, não havia sido notificado da liminar concedida pelo juiz Marllon Sousa, substituto da 1ª Vara.

Até ontem, segundo a Secopa, haviam sido iniciadas obras de duas trincheiras em Várzea Grande (Zero Quilômetro e Dom Orlando Chaves) e de dois viadutos em Cuiabá (trevos da UFMT e da saída para Santo Antônio de Leverger). Pela manhã, no acesso à UFMT, operários do consórcio faziam a marcação do terreno, que recebeu placas de isolamento e de indicação da obra, cujo orçamento total é de R$ 1,47 bilhão.
A assessoria da Justiça Federal disse que as notificações foram repassadas ontem aos oficiais de Justiça, mas, até a conclusão desta edição, a entrega ainda não havia sido confirmada. Além da paralisação das obras, a decisão determinou ainda a suspensão de quaisquer repasses do financiamento obtido pelo governo do Estado com a Caixa Econômica Federal.
“[Não é] crível que um Estado da Federação que não aplique sequer o mínimo constitucional obrigatório em ações de educação (...) contraia dívida de mais de R$ 1 bilhão em apenas uma obra”, disse. Para o juiz, a continuidade das obras poderá acarretar “lesão de magnitude gigantesca ao patrimônio público”. “A opção pelo VLT (...) mostra-se dotada de completa irrazoabilidade e de desproporção gritante.”
A liminar foi concedida a pedido dos ministérios públicos Federal e Estadual, que protocolaram uma ação conjunta na qual a obra é qualificada como “inviável” e “ilegal”. “Não somos contra o VLT. O que estamos afirmando é que, da forma como foi licitada, a obra é ilegal”, disse o promotor Alexandre Guedes, do MPE, em entrevista coletiva concedida na segunda-feira.
O VLT foi contratado por meio do RDC (Regime Diferenciado de Contratação), modalidade de licitação criada pelo governo federal para acelerar obras da Copa e das Olimpíadas de 2016.

Informações: O Documento

Siga o Blog Meu Transporte pelo Facebook
READ MORE - Obras do VLT de Cuiabá continuam mesmo com decisão da Justiça Federal

Em Belém, Obras do BRT interditam cruzamentos na Almirante Barroso


Os cruzamentos que cortam a avenida Almirante Barroso, em Belém, ficarão parcialmente restritos a partir de hoje, de acordo com a Unidade Gestora de Projetos Estratégicos (UGPE). A medida será tomada para viabilizar a conclusão de mais uma etapa das obras de implantação do BRT (Ônibus de Trânsito Rápido, em livre tradução do inglês). A Companhia de Transportes do Município de Belém (CTBel) deverá interditar apenas uma parte de cada cruzamento, permitindo o fluxo de veículos, mesmo durante o trabalho dos operários. A UGPE afirma que até o dia 20 de setembro esta etapa seja concluída, normalizando o trânsito nas vias que cortam a Almirante Barroso.

A restrição no fluxo começa pela avenida Júlio César, no bairro do Souza, passando à travessa Lomas Valentina e, então, em direção ao bairro de São Braz. Nessa etapa das obras, apenas um lado de cada interseção será bloqueado. Ao término de um lado da via, as obras passarão para o lado oposto, inicando novamente pela avenida Júlio César.

A avenida Tavares Bastos só receberá as obras quando as demais vias estiverem prontas, já que esta via registra atualmente um elevado fluxo de veículos por conta da proibição parcial do trânsito na rotatória do Entroncamento. O intervalo entre a obra de um lado e outro é de cerca de 15 dias.

De acordo com o engenheiro Leonardo Lopes, da Prefeitura de Belém, no decorrer dessa etapa será concluído o pavimento rígido, feito de concreto, material que possui maior resistência para suportar o elevado peso dos ônibus biarticulados do BRT.

Fonte: O Liberal

Siga o Blog Meu Transporte pelo Facebook
READ MORE - Em Belém, Obras do BRT interditam cruzamentos na Almirante Barroso

ANTT garante condições de acessibilidade no transporte rodoviário de passageiros


A Agência Nacional de Transportes Terrestres – ANTT – estabeleceu, por meio da Resolução nº 3.871/2012, os procedimentos para assegurar condições de acessibilidade às pessoas com deficiência ou com mobilidade reduzida que utilizam o transporte rodoviário interestadual e internacional de passageiros.

Esses usuários têm direito a receber tratamento prioritário e diferenciado nos ônibus com segurança e autonomia, total ou assistida, sem pagar tarifas ou acréscimo de valores no preço das passagens.

As empresas de ônibus deverão adotar, 30 dias após a publicação da resolução, as providências necessárias para assegurar as instalações e serviços acessíveis, observando o Decreto nº 5.296/2004, as normas técnicas de acessibilidade da ABNT e os programas de avaliação de conformidade desenvolvidos e implementados pelo Inmetro.

Deverão providenciar os recursos materiais e o pessoal qualificado para atender os passageiros e divulgar, em local de fácil visualização, o direito a atendimento prioritário de pessoas com deficiência ou com mobilidade reduzida, inclusive com deficiência visual e auditiva.

As transportadoras deverão também avisar, com dispositivo sonoro, visual ou tátil, os pontos de parada entre a origem e o destino das viagens de forma a garantir as condições de acessibilidade. No embarque ou desembarque deverão apresentar as seguintes possibilidades:

- passagem em nível da plataforma de embarque e desembarque do terminal (ou ponto de parada) para o salão de passageiros;
- dispositivo de acesso instalado na plataforma de embarque, interligando-a ao veículo;
- rampa móvel colocada entre o veículo e a plataforma;
- plataforma elevatória; ou
- cadeira de transbordo.

Os passageiros poderão transportar, gratuitamente, os equipamentos que utilizam para sua locomoção, mesmo que extrapolem as dimensões e excedam os limites máximos de peso. Nesse caso, deverão informar à transportadora com antecedência mínima de 24 horas do horário de partida do ponto inicial. No caso de locomoção com cão-guia, o animal será transportado gratuitamente, no piso do veículo, próximo ao seu usuário.

De acordo com a resolução da ANTT, os ônibus interestaduais, com características urbanas, deverão ter 10% dos assentos disponíveis para o uso de pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida, garantindo o mínimo de dois assentos, preferencialmente localizados próximos à porta de acesso.

Para assegurar as condições de acessibilidade, a frota total de veículos das transportadoras deverá ser fabricada ou adaptada. Até 2 de dezembro de 2014, as condições de acessibilidade para os veículos utilizados exclusivamente para o serviço de fretamento serão exigidos somente daqueles fabricados a partir de 2008. Após essa data, as condições de acessibilidade serão exigidas da totalidade da frota.

As empresas que descumprirem a resolução da ANTT estarão sujeitas à multa e os veículos poderão ser descadastrados do Sistema Informatizado da agência.

Informações: ANTT


READ MORE - ANTT garante condições de acessibilidade no transporte rodoviário de passageiros

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960