Fim da Greve de ônibus em Salvador, rodoviários aceitaram decisão do TRT

sábado, 26 de maio de 2012

Depois de quatro dias, a greve dos rodoviários chegou ao fim. Em assembleia na manhã deste sábado (26), no Sindicato dos Eletricitários, o sindicato da categoria decidiu aceitar o aumento concedido pelo Tribunal Regional do Trabalho (TRT) no julgamento do dissídio coletivo.

Durante a assembleia, o presidente do Sindicato dos Rodoviários, Manoel Machado, determinou a volta imediata da categoria ao trabalho. Agora, os motoristas e cobradores estão se dirigindo para as garagens das empresas para retomar a circulação de ônibus nas ruas. Apesar da decisão, a frota ainda não foi normalizada - poucos ônibus circulam, alguns acompanhados por viaturas da Polícia Militar, segundo a Superintendência de Trânsito e Transporte do Salvador (Transalvador). Existe resistência por parte dos rodoviários em retornar da greve.

No julgamento do dissídio, na sexta-feira, a desembargadora Maria das Graças Boness relatou que um conjunto formado por quatro desembargadores concedeu, após debate e votação, um aumento de 7,5% para a categoria, com base no Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), além do aumento do tíquete-refeição, de R$ 10,60 para R$ 11,22, e o retorno do quinquênio - benefício concedido a cada cinco anos de trabalho na empresa.

Na avaliação do presidente do sindicato, neste sábado (26), a categoria pôde avaliar que a decisão do TRT representou um avanço. “Sem a pressão emocional da sexta-feira, quando a categoria deixou o Tribunal, após o julgamento do dissídio, decidida a continuar o movimento, hoje foi possível fazer uma análise com mais tranqüilidade do resultado da campanha e concluir que houve ganhos", diz o presidente em nota divulgada pelo sindicato.
 

O TRT considerou a greve abusiva e determinou que, se o Sindicato dos Rodoviários (Sintroba) não retomasse as atividades ontem, a categoria pagaria uma multa de R$ 150 mil, descontada diretamente da conta bancária da organização. Em seguida, a cada 24 horas seriam descontados mais R$ 50 mil, além de descontos dos dias parados.

O Sindicato das Empresas de Transporte  (Setps) também será penalizado. A desembargadora determinou que os patrões paguem uma multa de R$ 75 mil no primeiro dia e R$ 25 mil nos subsequentes da paralisação. A avaliação dos desembargadores é que não houve pró-atividade dos patrões para que os rodoviários que quisessem trabalhar conseguissem colocar os ônibus nas ruas.

Os rodoviários reivindicavam reajuste de 13,8% no salário-base; retorno do quinquênio, retirado em 2006; e 30 tíquetes por mês de R$ 12. Os empresários ofereciam reajuste dos salários em 4,98%; se negavam a conceder o quinquênio; e queriam manter os atuais 26 tíquetes por mês de R$ 10,60.

Em nota, a Secretaria Municipal de Transportes e Infraestrutura (Setin) diz que o desfecho da assembleia resultou "no melhor para a população, com o término da greve dos rodoviários, devendo os coletivos voltarem à circular normalmente ainda nesta manhã de sábado”.

Ônibus no interior
De acordo com a TV Bahia, os ônibus intermunicipais já voltaram a circular nas cidades de Feira de Santana, Barreiras, e Vitória da Conquista. Em Juazeiro, as passagens começam a ser vendidas na tarde deste sábado (26).

Os ônibus que fazem linha para as cidades do interior da Bahia com origem na Rodoviária de Salvador também estão realizando viagens.

Durante a greve, os 540 horários oficiais de ônibus que saíam do terminal rodoviário de Salvador foram suspensos. Quem tinha passagem comprada e não conseguiu viajar tem o direito ao ressarcimento integral. O serviço tem de ser realizado nos guichês das companhias.

*Com informações do repórter Leo Barsan




READ MORE - Fim da Greve de ônibus em Salvador, rodoviários aceitaram decisão do TRT

Reduzir IPI para carros vai na contramão da economia verde

Nesta semana, o governo federal anunciou a redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) para veículos, diminuindo em quase 10% o valor dos carros e, consequentemente, incentivando sua compra. Para Helio Mattar, presidente do Instituto Akatu pelo Consumo Consciente e conselheiro do Planeta Sustentável, a medida é revoltante.

"Essa decisão do governo vai na contramão da economia verde. Trata-se de um incentivo ao passado. O que precisamos é de estímulos para a mobilidade do futuro, para transportes públicos de qualidade", disse o especialista durante o encontro Como podemos crescer dentro de uma economia de consumo consciente?, promovido na Editora Abril. "A primeira coisa que não deveríamos fazer, já fizemos: reduzir o IPI para carros", afirmou Mattar, fazendo referência ao tema do evento.

Para o especialista, um dos meios de transporte mais promissores para o futuro é o metrô. "E um metrô de superfície, ao invés dos subterrâneos. As obras são muito mais rápidas e fáceis, principalmente em cidades como São Paulo, que têm muitos altos e baixos em seus terrenos", explicou.

Repercussão internacional
No início desta semana, Helio Mattar também participou do encontro No caminho da Rio+20 e além, promovido em Nova York pelas Nações Unidas, e contou que, na ocasião, muitas pessoas do cenário internacional vieram questioná-lo se era realmente verdade que o governo brasileiro havia decidido reduzir o IPI para veículos.

"Ninguém conseguia acreditar que às vésperas da Conferência da ONU sobre Desenvolvimento Sustentável, que inclusive vai ser sediada no nosso país, o governo brasileiro tivesse tomado tal atitude. Minha vontade era entrar debaixo de alguma mesa e me esconder, mas tive que confirmar a notícia. Realmente, revoltante", concluiu Mattar.

Fonte: Exame Abril

READ MORE - Reduzir IPI para carros vai na contramão da economia verde

Florianópolis terá greve de ônibus a partir de segunda

Motoristas e cobradores da Grande Florianópolis vão entrar em greve por tempo indeterminado na próxima segunda-feira (28). A decisão foi tomada, por unanimidade, na quarta (23), em assembleias que reuniram cerca de 2.000 profissionais.

Como os ônibus são a única opção de transporte público em toda a região metropolitana, quase 400 mil pessoas serão afetadas. A Prefeitura de Florianópolis informou que vai solicitar judicialmente que, nos horários de pico, 70% do serviço seja mantido e, no restante do tempo, 30%.

A principal reivindicação da categoria é a redução da jornada de trabalho de seis horas e quarenta minutos para seis horas diárias, sem cortes no salário. O secretário de comunicação do Sintraturb (Sindicato dos Trabalhadores do Transporte Coletivo Urbano), Antônio Carlos Martins, diz que a razão para o pedido é o estresse ao qual os profissionais são submetidos no trânsito. "As empresas se recusaram a negociar esse ponto. Então, não nos sobrou alternativa a não ser parar", diz.

O presidente do Setuf (Sindicato das Empresas de Transporte Urbano de Florianópolis), Waldir Gomes, confirma que a entidade não quis discutir o assunto e não vai, em hipótese alguma, alterar a quantidade de horas diárias trabalhadas. "Para fazer isso, teríamos de aumentar o preço da passagem. Mas já temos uma das tarifas mais caras [R$ 2,70] do país. Não podemos subir mais", afirma.

Para o vice-prefeito e secretário municipal de Transportes, Mobilidade e Terminais, João Batista Nunes, que está intermediando as negociações, a solicitação é "justa do ponto de vista da categoria, mas inviável economicamente". Segundo ele, com base em um levantamento, foi concluído que as empresas não teriam como arcar com os custos de contratação de mais 200 empregados para compensar a redução da jornada. "E não existe chance de a passagem encarecer", complementa.

Os profissionais do transporte público também querem reajuste salarial para cobrir a alta do INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor) e aumento real de 5%. O Setuf ofereceu o valor do IPNC mais 1%, o que foi rejeitado pelos trabalhadores.

Fonte: Jornal de Floripa



READ MORE - Florianópolis terá greve de ônibus a partir de segunda

Motoristas de ônibus podem deflagrar greve em Fortaleza neste sábado

Os motoristas de ônibus de Fortaleza podem entrar em greve a partir deste sábado (26). Nesta quinta-feira (24), representantes do Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários no Estado do Ceará (Sintro) e Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Ceará (Sindiônibus)  se reuniram na 5º rodada de negociação para tentar entre em acordo, porém, sem sucesso.

Nesta sexta-feira (25), um novo encontro entre as partes está previsto. Os motoristas querem 25% de aumento, e as empresas oferecem 4,8%.

Assembleia
De acordo com o presidente do Sintro, Domingos Neto, no próximo sábado (26), duas assembleias da categoria serão realizadas na sede do Sindicato. O objetivo do encontro é repassar os assuntos discutidos com o Sindiônibus e tentar diminuir a porcentagem pedida pelos motoristas, fiscais e trocadores.

“Não podemos tirar o direito da categoria de deflagrar uma greve”, explica  Domingos Neto. No entanto, nenhuma movimentação de greve será realizada antes das assembleias de sábado. Caso a categoria rejeite as propostas, um indicativo de greve pode ser tirado, com uma paralisação proposta para a próxima quarta-feira (30).

Reivindicações
O Sintro quer reajuste de 25% nos salários, que hoje é de R$ 1.273,67 para motoristas, R$ R$ 764,20 para trocadores e R$ 891,57 para fiscais; reajuste na cesta básica, que hoje é de R$ 60,00; vale refeição, que hoje é de R$ 7,00, e a redução da jornada de trabalho de 44 para 42 horas semanais.


READ MORE - Motoristas de ônibus podem deflagrar greve em Fortaleza neste sábado

Em Suzano, Horários de ônibus são disponibilizados no site da Prefeitura

Nesta semana, a Prefeitura de Suzano disponibilizou em sua página na internet (http://www.radialtransporte.com.br/#!-suzano/cnd0) os horários de partida de ônibus das 17 linhas municipais, com destaque para a indicação dos horários dos veículos adaptados que estão distribuídos em dez itinerários atendendo todas das regiões da cidade.

Para baixar ou visualizar as tabelas é preciso clicar no link “Itinerários e horários dos ônibus municipais”, que está no menu à esquerda da tela. Ao abrir a página seguinte com os itinerários basta clicar sobre o nome da linha.

Os horários estabelecidos levaram em consideração as demandas existentes em cada linha, inclusive este também foi o critério para a definição dos trajetos que contam com ônibus adaptados para transporte de cadeirantes. Confira abaixo relação das linhas.

Com a nova frota, em circulação desde o dia 28 de abril, o município agora conta com 80 veículos em operação de segunda a sexta-feira (exceto feriados) realizando, segundo apontamento da Secretaria Municipal de Transportes, Sistema Viário, Trânsito e Mobilidade Urbana (Setrans), mais de 750 viagens por dia. Deste total são 17 ônibus adaptados que fazem 120 viagens.

Pedido de informações, elogios, reclamações ou denúncias sobre o transporte coletivo municipal podem e devem ser feitos diretamente à Setrans pelo telefone 0800 773 9300 ou pelo e-mail setrans@suzano.sp.gov.br. É importante sempre informar o prefixo ou placa do veículo, linha e horário.

Linha / nº de ônibus adaptado / nº viagens (dias úteis)
01-TR Cidade Edson – Sesc / 2 / 10
02-TR Miguel Badra – Colorado / 2 / 16
04-TR Jardim São José – Vila Barros / 2 / 16
05-TR Jardim Gardênia – Santa Casa / 1 / 9
06-TR Jardim Varan – Terminal / 2 / 15
10-TR Vila Fátima – Terminal / 2 / 13
11-TR Divisa de Ouro Fino – Terminal / 2 / 17
12-TR Palmeiras Duchem (via Jardim Dora) – Terminal / 1 / 8
13-TR Palmeiras Duchem (via Jardim Brasil) – Terminal / 1 / 8
16-TR Palmeiras (via Vila Cunha) – Cia. Suzano / 2 / 8
TOTAL / 17 / 120

READ MORE - Em Suzano, Horários de ônibus são disponibilizados no site da Prefeitura

Ribeirão Preto deve ter greve no transporte coletivo na segunda-feira

Os motoristas e condutores de ônibus urbanos de Ribeirão Preto, no interior de São Paulo, deverão entrar em greve na próxima segunda-feira. A decisão de cruzar os braços foi tomada em assembléia realizada nesta sexta-feira (25) pela manhã. O objetivo é que a paralisação atinja 100% da frota.

De acordo com o vice-presidente do Sindicato dos Empregados das Empresas de Transporte Urbano de Ribeirão Preto (Seturp), Alcides Lopes, uma nova assembleia deverá ser realizada na tarde desta sexta-feira, da qual participarão os funcionários que trabalham no período da tarde.

Lopes afirmou ao estadao.com.br que a greve pode ser recusada na reunião desta tarde. Como, no entanto, parte dos trabalhadores já recusou a proposta do governo, é provável que uma nova recusa seja feita nessa segunda reunião.

A primeira proposta das empresas Transcorp e Turbe foi feita no último dia 21. As companhias ofereceram à categoria reajuste salarial de 5%. Os trabalhadores querem, no entanto, 15%. Na tarde da última quinta-feira, em uma segunda negociação, a Prefeitura de Ribeirão Preto, em perceria com as empresas responsáveis pela categoria, elevaram a oferta para 6,3%. Mas o Seturp recusou a proposta nesta sexta-feira.

Fonte: jcnet.com.br

Siga o Blog Meu Transporte pelo Facebook
READ MORE - Ribeirão Preto deve ter greve no transporte coletivo na segunda-feira

Fortaleza deve ganhar 15 mil carros nos próximos 03 meses mais devido a redução do IPI

Com a redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) sobre os carros, Fortaleza deve receber cerca de 15 mil novos veículos até o dia 31 de agosto, segundo o vice-presidente da Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores no Ceará (Fenabrave), Raimundo Brasileiro. Isso representa um número de 3 mil carros a mais do que a previsão sem a redução do imposto.

A medida faz parte de um pacote anunciado na segunda-feira (21) pelo governo federal e publicada nesta terça-feira (22) no Diário Oficial da União.
Expectativa de vendas

Ainda de acordo com Raimundo Brasileiro, a expectativa é que as vendas registrem um aumento de 17%. No entanto, descontada a queda de 7% na comercialização dos veículos no último mês de abril, o real crescimento será de 10%.

De acordo com os dados da Fenabrave, no mês de abril de 2012 foram emplacados 3.845 novos carros em Fortaleza. Já no mês de março foram registrados 4.290 novos veículos rodando nas ruas da capital.

Descontos
Com a redução do principal  impostode 37% para 30% em cima do veículo, um carro até 1.000 cilindradas terá o preço reduzido para o consumidor final.
“Um carro popular que atualmente custa cerca de R$ 32,00 mil, com o desconto do IPI , ele passa a custar em torno de R$ 28.400. Uma redução de R$ 3.500 que já ajuda no pagamento do seguro”, explica Raimundo. A medida é válida até 31 de agosto deste ano.

Veículos rodando em Fortaleza
De acordo com dados do Departamento Estadual de Trânsito (Detran), há 12 anos havia 353.620 veículos rodando na capital e 280.251 no interior. Em dezembro de 2010 esses números dobraram na capital, com 707. 731 veículos, e triplicaram no interior, com 998.630 automóveis registrados.
Já em 2012, a frota de veículos na Capital chega a 1.972.480.  O maior aumento notado foi no interior, onde a número de veículos aumentou 225,44%. De 363.620 carros em 2002 para 1.183.357 em 2012.

Mobilidade urbana
Os efeitos do aumento da frota de veículos na Capital poderá ser reduzido com alguma migração de veículospara cidades como Sobral, Juazeiro do Norte e Quixadá, desafogando a Metrópole, segundo o Arquiteto Urbanístico, Euller Muniz.

De acordo com Euller, com a intensificação dos congestionamentos em Fortaleza em todos os horários, além de outras dificuldades como a falta de espaço para pedestres, o investimento em transporte público de qualidade ainda é a melhor saída para melhorar a mobilidade urbana.

Fonte: Jangadeiro Online

READ MORE - Fortaleza deve ganhar 15 mil carros nos próximos 03 meses mais devido a redução do IPI

Conheça a história do transporte público de Teresina

Dentre as várias histórias contadas no Especial "Vida e Trabalho", os telespectadores foram conduzidos a uma viagem na história da evolução do transporte público de Teresina. Confira agora os detalhes dessa história.
Década de 20


Nesta década através de registros fotográficos é possível observar a implantação na antiga rua Grande, hoje conhecida como Álvaro Mendes, do primeiro transporte público da capital. As usinas existentes não tinham capacidade de suprir a demanda de energia elétrica provenientes do trem elétrico.

A Intendência Municipal providenciou então a compra de um motor para que fosse adaptado ao bonde que circularia entre o cais de Parnaíba até a Estação Ferroviária na avenida Miguel Rosa. Já havia carros de aluguel que ficavam na praça Uruguaiana atual praça Rio Branco.

Carros maiores eram utilizados para viagens ao interior, onde os passageiros se aventuravam em cima desses veículos sem nenhum conforto ou segurança. Tinham os chamados transportes mistos onde as pessoas tinham lugar separado durante as viagens.

Transportes apelidados de enxutos eram os únicos na época que protegiam os passageiros da chuva e do sol. Uma viagem para a cidade de União, por exemplo, chegava a durar um dia inteiro.

Década de 30

Já na década seguinte o poder público começava a regulamentar o trânsito. Os proprietários de transportes como automóveis de carga ou passageiros e até de carroças começavam a ser multados caso transitassem sem estarem emplacados.

Em 1941 do total de 40 ônibus existes no Piauí 20 eram destinados apenas para a capital, onde após um decreto foi definido o valor da passagem em 400 réis.

Ponto de táxi

Próximo à Agência dos Correios havia um telefone que era utilizado para chamar esses veículos que ficavam enfileirados na praça Aquidabã. O taxímetro também não existia a cobrança era feita de acordo com cada freguês.

Depois a cobrança passou a ser feita por meio uma tabela que vigorou até o final da década de 60 quando apareceu esse modelo conhecido como capelinha.
Evolução


Aos poucos os veículos foram se tornando mais acessíveis ao público. O passo seguinte foi à evolução na urbanização da cidade com largas e movimentas vias como era o caso da avenida Maranhão, onde o transporte público era um símbolo de modernidade.

Geísa Chaves (Especial para o Cidadeverde.com)




READ MORE - Conheça a história do transporte público de Teresina

Conselho aprova crédito de R$ 12 milhões para obras de mobilidade urbana do PAC 2

O Conselho Monetário Nacional (CMN) criou uma linha de crédito de R$ 12,2 bilhões para obras de mobilidade urbana inscritas na segunda etapa do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 2). O dinheiro virá do Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT) e do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) e será emprestado pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e pela Caixa Econômica Federal.

Os recursos fazem parte do pacote de investimentos de R$ 32,7 bilhões em empreendimentos de mobilidade urbana anunciados no ano passado pela presidenta Dilma Rousseff. Desse total, R$ 10,3 bilhões vêm diretamente do Orçamento Geral da União; R$ 10,2 bilhões, das contrapartidas de prefeituras e governos estaduais. O restante dos recursos será financiado pela linha de crédito criada pelo conselho.

Os financiamentos beneficiarão cerca de 40 empreendimentos de mobilidade urbana aprovados em abril, pelo comitê gestor do PAC.

De acordo com o assessor econômico do Tesouro Nacional, Mathias Lenz, as obras não estão necessariamente vinculadas à Copa do Mundo de 2014 e aos Jogos Olímpicos de 2016. No entanto, de acordo com o pacote lançado no ano passado, a maioria das ações está relacionada aos dois eventos.

Fonte: Portal Brasil

READ MORE - Conselho aprova crédito de R$ 12 milhões para obras de mobilidade urbana do PAC 2

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960