Cuiabá parada: Poucos agentes deixam trânsito caótico

quinta-feira, 10 de maio de 2012

Paciência e tolerância. Desde que as obras de mobilidade urbana para a Copa do Mundo de 2014 começaram, a população residente em Cuiabá se viu obrigada a desenvolver, ainda mais, essas duas virtudes. Porém, para o tenente-coronel Wilson Batista, responsável pelo Batalhão de Trânsito da Polícia Militar, tais adjetivos terão que ser trabalhados ainda mais pelos motoristas da Capital.
Nos primeiros dias em que a Avenida Miguel Sutil foi parcialmente interditada, o que os motoristas mais sentiram foi a falta de agentes de trânsito ou policiais militares a orientar o tráfego nos cruzamentos, sobre tudo no centro de Cuiabá.

Atualmente, o Batalhão de Trânsito da PM trabalha com 80 homens nas ruas de Cuiabá. Ainda este ano, 2.000 vagas serão preenchidas na PM; deste total, ainda não se sabe quantas vão ser destinadas ao tráfego. O intuito é que 300 novos policiais estejam aptos a atuar nesta área até 2014.

“Mesmo assim, todos sabem que é impossível colocar policiais na cidade inteira, isso não acontece nem na Europa. Estamos fazendo nossa parte, mas também temos que contar com a colaboração do motorista”, diz Batista. Ao contrário do que muitos pensavam, o “caos” não se instalou nos pontos exatos das obras e sim no centro da cidade, principalmente nas avenidas Prainha, Isaac Póvoas e Getúlio Vargas (o que automaticamente inclui dezenas de ruas do entorno). O tumulto se deu devido às poucas alternativas que os motoristas têm para fugir do tráfego pesado.

Conforme o diretor de trânsito da Secretária Municipal de Transportes Urbanos (SMTU), Jackson Messias, a situação se agrava por conta dos percalços que ocorrem nas vias. “Em horário de pico, cerca de cinco mil carros passam pela Avenida Miguel Sutil; esses veículos estão optando agora por transitar na Lava Pés e descerem a Isaac Póvoas e, quando há algum acidente, por exemplo, a circulação fica ainda mais lenta”, explica.

Ele ainda diz que parte da vagarosidade acontece porque os condutores não respeitam os cruzamentos ou passam no sinal verde mesmo quando a fila de carros não permite passagem, “trancando” as ruas. Para sanar o problema, multas serão aplicadas e uma campanha será lançada com o objetivo de conscientizar o condutor para que não haja mais fechamentos.

A SMTU atua com 50 agentes de trânsito divididos em dois turnos (matutino/vespertino). No próximo dia 21, mais 200 agentes serão postos nas ruas; eles já foram empossados em seus cargos, resultado do último concurso público e neste momento recebem treinamento.

Por Jéssica Benitez / Diário de Cuiabá

0 comentários:

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960