No Rio, Corredor da Alameda está sem manutenção

terça-feira, 20 de setembro de 2011

Um ano e meio após sua inauguração, o Corredor Metropolitano da Alameda São Boaventura, no Fonseca, precisa de manutenção. Os equipamentos instalados nas plataformas são danificados ou destruídos por vândalos sem que haja fiscalização ou manutenção. Nas plataformas, adesivos com informações sobre linhas e itinerários colados nos abrigos e nos totens informativos foram arrancados, e não houve, até hoje, reposição. Em alguns desses pontos, as chapas de metal com informações em braile também foram retiradas.

Segundo acordo firmado em 2007, caberia ao governo estadual a construção do corredor, orçado em R$ 6,9 milhões. A prefeitura de Niterói, por sua vez, é a responsável pela instalação e manutenção dos equipamentos urbanos.

Mas, na prática, a realidade é outra. Os equipamentos das plataformas estão em más condições de uso. Os piores casos são os das estações Bairro Chic, João Brasil e Nossa Senhora das Mercês, onde alguns adesivos foram completamente removidos. Nesta última, um dos abrigos chegou a ser retirado do local e até hoje não foi substituído. Nas estações Horto, Riodades Brasil e Getulinho, a situação não é tão ruim, e os adesivos com informações foram removidos apenas parcialmente.

A prefeitura de Niterói, por meio da Niterói Transporte e Trânsito (NitTrans) acrescentou que está verificando o estado de conservação do Corredor Metropolitano da Alameda São Boaventura. O levantamento servirá para definir ações de remodelação que serão promovidas nas plataformas e nas pistas, com o objetivo de proporcionar melhorias para o conforto e a segurança dos usuários do Corredor Viário. A prefeitura não informou em que fase está o trabalho nem quando será concluído.


Fonte: O Globo

0 comentários:

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960