Transporte coletivo de Cotia-SP tem problemas com horários e frota de ônibus antiga

sábado, 20 de agosto de 2011

O transporte coletivo municipal de Cotia, apesar de ter a menor tarifa da região (R$ 2,20), é objeto de inúmeras reclamações por parte da população, principalmente quanto à infra-estrutura.

A maior parte das queixas se refere ao longo tempo de espera entre os ônibus e à precariedade da frota, em sua maioria antiga, danificada e desconfortável.

“É bom saber os horários dos ônibus para não se estressar. Eu já fiquei até 40 minutos esperando no ponto e cheguei atrasado ao trabalho”, protesta Bruno Lins, de 21 anos, morador da cidade. Segundo ele, o tempo gasto de casa ao trabalho, em Alphaville, pode chegar a duas horas, dependendo do dia.

Eduardo Metroviche
A prefeitura de Cotia fará, no próximo dia 26, às 19h30, na Câmara Municipal, uma audiência pública para discutir o problema. Para Luiz Gustavo, de 20 anos, a iniciativa é positiva, por possibilitar a manifestação dos cidadãos. De qualquer forma, ele avalia positivamente a área de transportes na cidade. “Em uma escala de ruim a ótimo, o transporte de Cotia é bom.”

Segundo a assessoria de imprensa da prefeitura, a audiência pública consistirá na apresentação do projeto de concessão para exploração e prestação do serviço público de transporte. Depois, a discussão será aberta ao público, que poderá opinar, reclamar ou sugerir melhorias.

 “Nosso objetivo é trazer melhorias para o transporte e garantir qualidade para a população”, afirma o secretário de Transporte e Trânsito de Cotia, Claudio Olores.

Empresa opera há 40 anos
Cinco companhias prestam serviço de transporte coletivo em Cotia. Dessas, quatro são intermunicipais. A operação municipal é feita há mais de 40 anos pela Viação Danúbio Azul, pertencente ao Grupo Vida, o mesmo responsável pela Intervias Raposo Tavares LTDA, companhia que liga Cotia a São Paulo.

Além dessas empresas, Cotia conta com a Anhanguera Viação Osasco, que liga a cidade a Carapicuíba, Barueri, Itapevi, Jandira e Osasco; a Benfica BBTT, que vai até o Residencial de luxo Burle Marx, em Santana de Parnaíba; e a Intervias Maracatiba, que faz o trajeto até Embu das Artes e Itapecerica da Serra.



Fonte: Visão Oeste

0 comentários:

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960