BRT é alternativa para diminuir a lentidão do trânsito .

segunda-feira, 22 de agosto de 2011

Sistema criado no Brasil em 1974 é exemplo de sucesso em todo o mundo. Rio de Janeiro se inspira em modelo do ABC paulista, que tem índices de aprovação equivalentes aos do metrô
Na discussão do planejamento das cidades para a Copa do Mundo de 2014, os projetos de mobilidade urbana são os que vêm ganhando mais atenção. Não somente pela necessidade de transportar de forma rápida e confortável os turistas, mas também pelo legado que deixarão para as respectivas populações. De acordo com pesquisa divulgada nesta quarta-feira pela CNT/Ibope, 42% dos brasileiros usam o transporte coletivo para ir e voltar da escola ou local de trabalho. Nas cidades médias e grandes, 32% da população levam mais de uma hora por dia nesse trajeto. A pesquisa revela, ainda, que nas capitais a falta de conforto e o longo tempo de locomoção são as principais razões apontadas pela população para não utilizar o transporte público.
Um exemplo que tem se mostrado eficiente e promete ser uma importante alternativa aos tradicionais meios de locomoção é o sistema de corredor de ônibus BRT (do inglês Bus Rapid Transport), que opera fisicamente segregado do trânsito comum. Esse modal, criado no Brasil em 1974, está sendo projetado para diversas capitais que sediarão a Copa do Mundo, como Manaus, Fortaleza, Recife e Porto Alegre. Somente no Rio de Janeiro, que também será sede dos Jogos Olímpicos em 2016, quatro grandes corredores BRT serão construídos - com os nomes de TransOeste, TransCarioca, TransOlímpica e TransBrasil -, somando 155 km de vias exclusivas para ônibus.
Na Grande São Paulo, o Corredor ABD, da EMTU (Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos), operado pela Metra, é um exemplo de BRT bem sucedido. Com 33km de extensão, o corredor liga as zonas Leste (São Mateus) e Sul (Jabaquara) de São Paulo passando, ainda, pelas cidades de Santo André, Mauá, São Bernardo do Campo e Diadema, no ABC. “Nosso corredor vem, há anos, dividindo com o Metrô a liderança na preferência dos usuários e isso é uma prova de que a solução para o transporte público já existe”, comenta o diretor da Metra, Carlos Alberto Sigliano.
O corredor paulista foi um dos locais visitados pelo secretário municipal de Transportes do Rio de Janeiro, Alexandre Sansão, responsável pela implantação dos corredores que promoverão uma ampla reformulação das formas de locomoção da população carioca, estimularão a racionalização do atual sistema de ônibus e darão maior agilidade aos deslocamentos das pessoas. "O corredor ABD impressiona pela eficiência conseguida, com simplicidade e foco na qualidade do serviço prestado ao usuário", disse o secretário.
Além de garantir maiores velocidades de operação para os ônibus, que não precisam disputar espaço com outros veículos, os corredores BRT trazem outras vantagens que encurtam o tempo de viagem dos usuários. Entre elas estão o embarque e desembarque mais rápidos, em função das plataformas serem feitas no mesmo nível do piso do ônibus; o pagamento da passagem antes do embarque, que reduz o tempo de parada; e áreas de ultrapassagem que evitam filas de ônibus nos pontos. A utilização de veículos mais modernos, maiores e mais confortáveis também é uma característica dos BRTs que traria mais usuários para o sistema.

0 comentários:

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960