Em Sorocaba e Votorantim, Sindicato diz que greve de ônibus é pouco provável

terça-feira, 31 de maio de 2011

Nesta terça-feira (31), em uma assembleia que será dividida em sessões às 10h e 18h, integrantes do Sindicato dos Condutores de Sorocaba decidirão se o transporte público vai parar em Sorocaba e Votorantim a partir da madrugada desta quarta-feira. Nesta segunda-feira (30), em reunião com os donos de empresas de ônibus, diretores do sindicato receberam uma proposta que nesta terça-feira (31) será votada pela categoria. Se não for aceita, à meia-noite os motoristas iniciarão oficialmente sua paralisação.
Nesta segunda-feira (30), por quase três horas,  representantes do sindicato e diretores das cinco empresas  (STU, Reunidas, Jundiá, Rosa, São João e Votur) que possuem ônibus atendendo a Sorocaba e Votorantim se reuniram na sede do Sindicato dos Condutores para tentarem um acordo.
O encontro foi intermediado por representantes da Urbes - Trânsito e Transporte. Ao final da reunião a portas fechadas, ambas as partes afirmavam que a conversa havia avançado consideravelmente. Prova disso é o fato da diretoria do sindicato sujeitar a proposta à assembleia nesta terça-feira. Antes do encontro, o vereador e vice-presidente do sindicato, Francisco França, disse que a proposta só seria avaliada se fosse “plausível e decente”. Caso contrário, estaria mantida a greve já para a madrugada desta terça-feira. 

Otimistas /Para o presidente do Sindicato dos Condutores, Paulo João Estausia, a proposta oferecida pelos donos de empresas de ônibus tem grandes chances de ser aceita em assembleia. “Caberá aos motoristas bater o martelo. Se eles optarem pela greve, cumpriremos, mas acredito que a proposta é boa.”

André Luís Abi Chedid, dono da empresa Jundiá, afirma que nesse ano as negociações caminharam melhor que em 2010, quando a empresa teve de entrar na Justiça solicitando que o Tribunal Regional do Trabalho arbitrasse o valor do dissídio para os motoristas. “Desta vez me parece que o bom senso das partes está prevalecendo.”

A principal reivindicação dos motoristas diz respeito ao reajuste salarial da categoria. Enquanto eles  exigem aumento de 10,6%, até  a semana passada os donos de empresas de ônibus ofereciam 7,3%. Nesta segunda-feira (30), no entanto, a nova proposta atingiu o patamar dos 9% de reajuste. A proposta também contempla R$ 700 de participação nos lucros e resultados (contra R$ 800 reivindicados) e ticket refeição  de R$ 14 (atualmente são R$ 13 e os motoristas pediam R$ 15).

Outra exigência do sindicato é a contratação de 100 agentes de bordo, que têm como função auxiliar a população e evitar a evasão através da ação dos pula-catracas. Os donos de empresas propuseram a contratação de metade, entre janeiro e março do próximo ano.

Menos usuáriosSegundo a Urbes - Trânsito e Transportes, entre 1997 e 2010 o sistema público de transporte em Sorocaba acumulou queda de 11% no número de usuários. No ano passado 4,4 milhões de pessoas foram transportadas. Esse número leva em conta o número de viagens, ou seja, se uma pessoa vai e volta do trabalho, são contadas duas viagens. Segundo a Urbes,  não há como contabilizar o percentual da população que utiliza o transporte público diariamente.

           Mais Notícias de São Paulo


0 comentários:

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960