No Rio, Plano de racionalização, com 20 corredores expressos, deve tirar da frota 800 ônibus até 2012

terça-feira, 21 de setembro de 2010

A implantação do bilhete único nas linhas municipais de ônibus do Rio (R$ 2,40, podendo o passageiro pegar dois coletivos em até duas horas), a partir do dia 30 de outubro, será o primeiro passo para a prefeitura adotar, com os quatro consórcios que venceram a licitação do setor, um plano de racionalização que pode levar à redução de cerca de 10% da frota em circulação até o fim de 2012. Na prática, seriam 800 ônibus a menos em circulação nas ruas, mesmo com reforços prometidos na frota da Zona Oeste.

O plano - ainda em fase de estudo por técnicos da prefeitura, que analisam os melhores traçados - consiste em implantar 20 corredores de tráfego (incluindo Barra da Tijuca, Centro, Tijuca e os bairros da Zona Sul), nos quais coletivos teriam prioridade sobre carros, motos, táxis e vans. Um plano de racionalização também está sendo estudado para as linhas intermunicipais, com o objeto de reduzir o número de ônibus no Centro.

- A estimativa de redução da frota em 10% se baseia em estudos feitos pelo Instituto de Pesquisas Econômicas Aplicadas(Ipea) e pela Associação Nacional de Transportes Públicos (ANTP) sobre o tempo que os coletivos perdem nos congestionamentos na cidade. Com a racionalização, essa estimativa ainda poderá ser revista - disse o presidente do Sindicato das Empresas de Ônibus da Cidade do Rio (Rio Ônibus), Lelis Marcos Teixeira.


Projeto piloto será em Copacabana

Os detalhes do programa começaram a ser discutidos ontem entre o secretário municipal de Transportes, Alexandre Sansão, e o presidente do Rio Ônibus. Sansão contou que, na semana que vem, ficam prontos os estudos para implantar o projeto piloto na Avenida Nossa Senhora de Copacabana e na Rua Barata Ribeiro , durante as férias escolares de janeiro de 2011. As vias, que terão duas faixas segregadas do trânsito normal, na verdade farão parte de um corredor maior, com prioridade para ônibus que circulam entre Copacabana e o Centro (via Aterro).

A faixa reservada aos ônibus no Aterro, por sinal, já está sinalizada em ambos os sentidos desde a última administração do ex-prefeito Cesar Maia. Mas o corredor de tráfego não é fiscalizado, e as invasões nas faixas exclusivas são comuns.

- As dificuldades para executar o programa piloto vão ditar o ritmo de implantação das mudanças. O sistema deve começar sem cortes de linhas ou da frota - disse Sansão.

A mudança gradual também se dará em relação ao novo padrão visual dos coletivos. O modelo apresentado na semana passada pelo prefeito Eduardo Paes será adotado à medida que novos veículos entrarem em operação, para substituir veículos mais velhos. Segundo Lelis, alguns desses novos ônibus já devem estar em circulação no dia 30 de outubro. O que ainda será discutido com a prefeitura é como será feita a distribuição da frota nos primeiros dias de operação.

Transoeste entra em operação em 2012

Os planos de racionalização empregados no passado não deram certo. Sansão e Lelis argumentam que desta vez o desfecho será diferente, porque a lógica da operação do serviço mudou com a licitação para a concessão dos serviços pelo prazo de 20 anos. No momento em que as empresas se reúnem em consórcios, elas deixam de concorrer entre si por passageiros. Isso permite que ponham à disposição uma frota de acordo com a demanda.

- A revisão dos roteiros e das linhas também dependerá da entrada em operação dos futuros serviços de BRTs (corredores de tráfego com ônibus articulados, que também serão operados por consórcios). Em 2012, será inaugurado o primeiro deles, ligando Santa Cruz à Barra (Transoeste) - informou Sansão.

O secretário ainda não estabeleceu prazos para integrar o bilhete único com as vans do chamado Sistema de Transporte Público Local (formado por linhas e trajetos já licitados).

O subsecretário municipal de Transportes, Rômulo Dante Orrico Filho, acrescentou que as soluções de tráfego poderão variar, conforme as vias escolhidas.

- A solução pode passar pela implantação de novos corredores e pelo reordenamento de pontos, entre outras melhorias, para dar maior fluidez aos coletivos - disse Rômulo.

Sobre as linhas intermunicipais, ele afirmou que estão sendo estudadas maneiras de integrá-las com as municipais fora do Centro. O objetivo é que apenas as linhas expressas usadas por passageiros que de fato têm a região como destino final parem no Centro:

- No caso das linhas intermunicipais que circulam pela Avenida Brasil, estudos indicam que 60% dos passageiros descem antes de o veículo chegar à Rodoviária Novo Rio. É muito mais racional que esses ônibus possam retornar ainda na Zona Portuária, deixando a passagem livre apenas para as linhas expressas.



READ MORE - No Rio, Plano de racionalização, com 20 corredores expressos, deve tirar da frota 800 ônibus até 2012

Pane no Metrô de São Paulo deixou passageiros aflitos

O problema que afetou a Linha 3-Vermelha do Metrô de São Paulo na manhã desta terça-feira (21) prejudicava, das 7h50 até por volta das 10h15, o funcionamento das 18 estações da linha, que vai de Coritinhians-Itaquera, na Zona Leste, até a Barra Funda, na Zona Oeste. Segundo o Metrô, uma blusa que impedia o fechamento das portas teria dado origem ao problema.
Por volta das 9h50, o problema ainda não havia sido resolvido. O Metrô alega que para restabelecer o funcionamento é preciso retirar todos os passageiros da via e dos trens. Os passageiros desceram dos trens e começaram a andar nas vias.
O Metrô afirma que, às 7h50, o botão que aciona a abertura de portas foi acionado e a empresa teve que desenergizar o trecho para evitar riscos para os passageiros. Por isso, os dois sentidos estavam parados.
Na Estação Sé, a maior de São Paulo, o acesso dos passageiros estava restrito apenas a duas catracas para embarque na Linha 1-Azul. Funcionários do Metrô informaram que as plataformas da Linha Vermelha estavam lotadas.
De acordo com o Metrô, o Plano de Apoio entre Empresas em Situação de Emergência (Paese) foi acionado por volta das 8h20. Linhas de ônibus que levavam passageiros da Zona Leste até as estações de metrô da região estão realizando o transporte até o Centro. Além disso, a integração com a Linha 11 da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) foi liberada gratuitamente nas estações Tatuapé e Itaquera.
O Metrô informou ainda que a circulação só poderá voltar ao normal após todos os passageiros serem retirados dos trens e das vias.
Em entrevista à Rádio CBN, o diretor de Operações do Metrô, Conrado Grava de Souza, disse que uma blusa que impedia o fechamento da porta de uma das composições da Linha 3-Vermelha teria sido a origem do problema que afetou o funcionamento da linha nesta terça-feira (21). Segundo ele, ao impedir o fechamento da porta, os usuários da composição se assustaram, acionaram o dispositivo de abertura de portas e caminharam pela via. Os passageiros do trem que vinham logo atrás também apertaram o botão e seguiram pela via, tendo início um efeito cascata.
O diretor informou ainda que às 10h15 a Linha 3-Vermelha havia sido energizada novamente podendo, portanto, voltar a operar normalmente. Grava de Souza acredita que ainda nesta manhã o serviço será restabelecido.

Fonte: G1.com

Share |
READ MORE - Pane no Metrô de São Paulo deixou passageiros aflitos

Após 30 anos, São Paulo ganha transporte rápido para o ABC

Com seis meses de atraso e a 12 dias das eleições, a Estação Tamanduateí do Metrô abre hoje suas portas - às 11h30 para autoridades; às 13h para o público. Última da Linha 2-Verde do Metrô (Vila Madalena-Vila Prudente) a ser inaugurada, ela integrará, de forma mais rápida, trens e ônibus da região do ABC ao sistema metroviário da capital. E colocará em prática um projeto intermunicipal de transporte discutido há décadas.
A Linha 2-Verde começou a ser planejada há 30 anos e, em 1991, abriu as primeiras estações - entre o Paraíso e a Consolação. Nos últimos anos, começou a ganhar corpo a necessidade de se discutir ações conjuntas entre as cidades da Região Metropolitana para melhorar o transporte público. Um convênio assinado com a prefeitura de São Caetano de Sul para ligar linhas de ônibus à nova estação de metrô deve ser o embrião da futura autoridade metropolitana - um gestor comum que planeje e administre o setor, em vez de as cidades definirem ações isoladas.
Nos primeiros meses, a Estação Tamanduateí vai funcionar em operação assistida - de segunda a sexta-feira, das 9 horas às 16h30 -, com viagens gratuitas no trecho até a Vila Prudente. O esquema é de praxe para se corrigir eventuais problemas. Quem quiser seguir viagem pela Linha 2 ou migrar para a Linha-10 Turquesa da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) pagará tarifa. Das 4h40 às 9 horas e das 16h30 às 21horas, haverá ônibus da Ponte Orca entre Tamanduateí e Sacomã, de segunda a sexta, exceto feriados.
A previsão é que 70 mil passageiros passem diariamente pelas catracas da nova estação. Devem ser principalmente moradores do Ipiranga e passageiros que usam trens da CPTM entre a Estação da Luz e Rio Grande da Serra, no ABC. Essa linha transporta em média 337 mil passageiros por dia útil - 20 mil deles devem fazer integração com o metrô.
É o caso da trainee Ana Caroline Portela, que mora em Santo André e trabalha na Avenida Brigadeiro Luís Antônio, na capital. Ela leva 1h50 para fazer o trajeto e conta que gasta boa parte desse tempo esperando ônibus da Estação Sacomã (Linha 2-Verde) para a Tamanduateí (Linha-10 da CPTM). Daí, segue ao ABC. "Devo ganhar uns 40 minutos, já que agora vou poder ir direto."
Lotação. Especialistas temem que as novas conexões sobrecarreguem a Linha Verde. Até 2015, a Estação Vila Prudente ganhará ligação com o monotrilho que vem da Cidade Tiradentes. Estudo do Metrô mostra que o volume de passageiros nas 14 estações da linha deve saltar dos atuais 420 mil usuários para 840 mil por dia. A companhia informou, em nota, que o ramal foi projetado para atender a toda a demanda e, portanto, "o ingresso de novos passageiros não vai sobrecarregar a linha".
A conexão entre Metrô e CPTM em Tamanduateí permitirá que usuários escolham o melhor roteiro pela rede metroferroviária. A demanda será redistribuída e o tempo das viagens, reduzido. Viagem entre a Estação Tamanduateí da CPTM e a Avenida Paulista dura hoje 60 minutos. Com a nova estação, o trajeto poderá ser feito em 39 minutos, segundo a empresa.
Para usuários dos ônibus com ponto final na Tamanduateí serão entregues bilhetes convencionais exclusivos para embarque na CPTM ou no Metrô. Ao adquirir o bilhete de integração (R$ 4,60), ele terá de informar se seguirá viagem por trem ou metrô. Já usuários de carro terão de esperar pela construção de estacionamento integrado, com previsão de entrega em dezembro.

Fonte: Estadão

Share |
READ MORE - Após 30 anos, São Paulo ganha transporte rápido para o ABC

Recife: Prefeitura e Governo não se organizaram para o ''Dia Mundial sem Carro''

É incrível que os governos e instituições de Recife não se sensibilizaram quanto a um dos principais fatores hoje no mundo inteiro e claro aqui no Brasil, hoje o trânsito é visto como uma epidemia de doenças em todos os aspectos seja estresse, atrasos, e também de mortes, a cidade de Recife hoje é uma das qual entrará em colapso em poucos anos devido ao alto número de carros nas ruas, pessoas que insistem em não usar o transporte publico achando que chegarão mais cedo aos seus destinos, acabam abarrotando de carros e mais carros as avenidas da cidade.
O blog Meu Transporte vem relatando o que vem sendo organizado nesse dia mundial nas cidades brasileiras e também no mundo, porém a população de Recife tem que dá uma vaia aos governantes da cidade (Prefeitura do Recife, CTTU, DETRAN, Consórcio Grande Recife de Transporte) que sequer se organizaram a fazerem uma mobilização e sensibilidade quanto ao problema da mobilidade urbana que existe hoje na cidade, parabéns as cidades que de uma maneira ou de outra estão se organizando a tirar pelos menos um dia sem carro, pois só com atitudes com essas é que muitas dessas pessoas irão ver que uma cidade sem muitos carros é bom para todos.
Fonte: Meu Transporte


Share |
READ MORE - Recife: Prefeitura e Governo não se organizaram para o ''Dia Mundial sem Carro''

Desafio testa meio de transporte mais eficiente em Aracaju

Com o intuito de medir o tempo gasto para se locomover de diferentes formas na capital sergipana, bem como avaliar os custos e o impacto ambiental de cada meio de transporte, será realizado nesta segunda-feira, 20, o terceiro Desafio Intermodal de Aracaju. O evento, que tem largada marcada para as 18h na Praça Olímpio Campos, tem o objetivo de testar qual o meio mais eficiente para deslocamentos na cidade.

O desafio, promovido pelo projeto Mobilidade Verde, em parceria com a organização não-governamental Ciclo Urbano, pretende também estimular o debate sobre formas alternativas de mobilidade urbana em Aracaju. A iniciativa, cujo trajeto termina no prédio da Escola de Trânsito da Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (SMTT), localizado no Distrito Industrial de Aracaju (DIA), contará com 15 participantes.

Eles irão utilizar diferentes modais, divididos nas categorias ‘a pé', ‘bicicletas em vias rápidas', ‘bicicletas em vias alternativas', ‘moto', ‘carro' e ‘ônibus'. Serão analisados o tempo gasto para se chegar ao destino final, o custo que cada um dos meios de transporte gera e quantos quilos de gás carbônico eles emitem. Ou seja, o que importa não é apenas quem chega primeiro, mas também que impactos ambientais são gerados por esse modal.

Segundo Luciano Aranha, do projeto Mobilidade Verde, ir de ônibus até algum lugar não é tão mais demorado que o carro. "Imagine então se tivéssemos corredores de verdade, ou até mesmo o Veículo Leve sobre Trilhos [VLT], um projeto que o prefeito Edvaldo Nogueira pretende desenvolver em Aracaju", defende. Ele afirma, ainda, que a grande importância do Desafio Intermodal é que ele vai mostrar a eficiência de cada meio modal com relação ao tempo, conforto e percepção da cidade.

Regras

Todos os participantes deverão respeitar as leis do Código de Trânsito Brasileiro, assim como as leis municipais, que determinam a velocidade máxima de 60 km/h em avenidas, e 40 km/h em vias locais. Será levado em conta o tempo que a pessoa leva até o modal e também o que ele perderá até estacionar o veículo.

Durante o deslocamento, os pedestres também terão que obedecer as regras, atravessando na faixa, a não ser que ela esteja localizada a uma distância maior que 50 metros. Nesse caso, de acordo com o art. 69 do CTB, ele poderá atravessar no local que considerar mais seguro. O pedestre corredor terá que correr na calçada e, somente se isso não for possível, será tolerado que ele utilize a rua.

Programação

17h - Concentração Praça Olímpio Campos, em frente ao Palácio-Museu Olímpio Campos
17h30 - Alinhamento dos participantes e explicação das regras do desafio
18h - Largada
18h20 - Previsão de chegada dos primeiros participantes
19h20 - Previsão de chegada do último participante

Fonte: Prefeitura de Aracaju


Share |
READ MORE - Desafio testa meio de transporte mais eficiente em Aracaju

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960