Concorrência leva ônibus do Rio ao mesmo lugar

quinta-feira, 2 de setembro de 2010


O resultado da licitação das linhas de ônibus municipais do Rio atropelou as esperanças dos passageiros de contar com melhorias. Apesar das queixas de atrasos, má conservação dos coletivos e despreparo dos profissionais, os vencedores foram os quatro consórcios formados pelas empresas que operam há anos na capital.

Eles têm 40 das 47 viações cariocas que concorreram. Das 5 piores empresas no ranking da prefeitura, três continuarão na ativa: Madureira Candelária (2ª com mais queixas); Transurb (3ª) e Vila Isabel (5ª).

Análise da Secretaria Municipal de Transportes, divulgada em março, mostrava que mais de 1 milhão de passageiros — 30% do total — circulava todo dia em ônibus com serviços precários. O relatório revelou que 16 de 41 viações de transportes estavam abaixo do nível de qualidade.

Ontem, a secretaria publicou no Diário Oficial o resultado da análise da documentação dos concorrentes. Todos foram habilitados. Mas, na primeira fase da licitação, os consórcios cariocas saíram na frente porque apresentaram a melhor proposta técnica. Isso porque na 2ª etapa também houve ‘empate’: todos anunciaram tarifa de R$ 2,40, a máxima.

Os dois paulistas, que perderam, têm cinco dias úteis para recorrer. Se não, o resultado oficial da licitação deve ser publicado até dia 8. Os contratos serão assinados em seguida. O Rio Ônibus só vai se pronunciar após a homologação.

Enquanto isso, nas ruas, as reclamações não param. “Se o time está perdendo, tem que mexer. O serviço é precário, deveriam dar chance a gente mais capacitada”, cobra o servente Jorge Luiz Delgado, 37, usuário da linha 222 (Vila Isabel-Hospital dos Servidores), da Transportes Vila Isabel. O operador financeiro Carlos Souza, 46, se queixa da conservação da linha 355 (Tiradentes-Madureira): “Já desci numa ladeira da Penha, com outros passageiros, porque o carro com ar perdeu a potência”. Reportagem de Celso Oliveira e Mahomed Saigg

Fonte: O Dia


0 comentários:

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960