Metrô-SP inaugura Linha Amarela com direito a escola de samba e atrasos

terça-feira, 25 de maio de 2010


Ansiedade, atraso, samba e chuva de papel picado marcaram a inauguração das duas primeiras estações da Linha Amarela do Metrô de São Paulo na tarde desta terça-feira (25). A festa atraiu centenas de pedestres para a entrada da estação Faria Lima, no Largo da Batata, e a da Paulista, na Rua da Consolação. Também era difícil circular pela conexão do trajeto com a estação Consolação, na Linha Verde, que cruza a Avenida Paulista.

O cerimonial começou ao meio-dia com discursos de políticos e também dos dirigentes do Metrô. O governador Alberto Goldman, o prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, e o ex-presidente da República Fernando Henrique Cardoso estavam presentes. A liberação para o público só aconteceu depois das 13h20 e parte dos presentes reclamou de esperar para finalmente matar a curiosidade. O anunciado pelos atendentens que estavam no local era de que às 13h o acesso estaria aberto. A multidão ensaiou coros pedindo pela abertura e logo se amontoou quando seguranças anunciaram que a linha passaria a funcionar. A assessoria de imprensa do Metrô entrou em contato com o Abril.com para e alegou que a programação inicial era de que às 13h30 os trens estariam liberados para o funcionamento.

Novidades

Entre a estação Paulista e a Faria Lima, o trem leva cerca de quatro minutos para completar os cerca de 3,6 km. Chegando ao veículo, as novidades ficam por conta das portas de vidro que separam o vagão do vão do trem (mesma tecnologia usada na estação Sacomã, da Linha Verde) e pelo fato de não haver "maquinista". O veículo se comunica com um centro de controle por meio de transponders e de antenas que ficam dentro dos túneis. No lugar da tradicional cabine, as extremidades dos trens possuem janelas que permitem aos usuários observar o trajeto subterrâneo.

Outra grande diferença é que não há divisão de vagões. É possível andar de uma ponta a outra do trem. A conexão entre uma parte e outra é semelhante à usada nos ônibus articulados que circulam pela capital paulista.

Inicialmente, a Linha Amarela funcionará apenas entre as estações Paulista e Faria Lima. Durante esse tempo de “degustação”, que deve durar entre uma e três semanas, o serviço será gratuito e restrito ao período das 9h às 15h, de segunda a sexta-feira, exceto feriados.

A expectativa é de que dois mil passageiros usem esse trajeto inicial por dia no período de testes. Quando a obra for finalizada, o trajeto ligará a Vila Sônia ao bairro da Luz, contando com 11 estações.

Fonte: Abril.com

0 comentários:

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960