Fortaleza: Paralisação-surpresa atinge 167 ônibus

terça-feira, 25 de maio de 2010


O Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários no Estado do Ceará (Sintro) cumpriu o prometido. Em assembleia realizada no sábado, 22, a categoria havia anunciado que faria, até a quinta-feira próxima, paralisações-surpresa como forma de pressionar o sindicato patronal a ceder em sua proposta de reformulação salarial. Das 5 às 7h30min de ontem, os 167 ônibus da empresa Dragão do Mar não puderam deixar a garagem. Um veículo do Sintro impediu os coletivos, que operam linhas como Parangaba-Papicu / Via Montese e Parangaba-Náutico, de circularem. A ação teve reflexos sobretudo nos terminais da Parangaba e do Papicu.

Em campanha salarial desde o início de maio, o Sintro exige cerca de dez vezes o valor de reajuste apresentado pelo Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Ceará (Sindiônibus), que é de 4,5%. Segundo Domingos Gomes, presidente do sindicato, essa proposta não deve ser alterada. ``Votamos que não vai ser rebaixada. Vai ser mantida a proposta de 45%.`` A categoria, continua Gomes, também reivindica plano de saúde, aumento do vale alimentação, que hoje é de R$ 5, incremento na cesta básica e redução na jornada de trabalho de motoristas e cobradores. Gomes explica que, para não pagar hora extra, as empresas organizam horários que prejudicam os trabalhadores. ``Motoristas são obrigados a ficar nos terminais até três horas, esperando.``

De acordo com Frederico Lopes, presidente da comissão de negociação do Sindiônibus, ``não tem a menor possibilidade`` de os 4,5% de aumento no salário apresentados pelas empresas se transformarem nos 45% exigidos pelo Sintro. O presidente da comissão informa que o percentual calculado está no patamar dos aumentos oferecidos à categoria em outras cidades. ``Em Goiânia, foram 5,88% de aumento para motoristas. Em Belo Horizonte, 6,5%. Em Belém, 6%. Curitiba, 4,57% e, em Manaus, 4%``, enumera. Para Frederico, ``foi uma surpresa quando eles levaram (proposta) para assembleia, dia 22, e, depois de rejeitarem, pararam o terminal da Parangaba por meia hora``.

Ainda ontem, o Sindiônibus esteve reunido com representantes da Empresa de Transporte Urbano de Fortaleza (Etufor). No fim da tarde, na sede do sindicato patronal, informa Frederico, foram discutidas ``que medidas devem ser tomadas no sentido de garantir o direito de ir e vir da população``. Além de descartar o aumento pedido pelo Sintro, o Sindiônibus também desconsidera alterar o valor do vale alimentação, interferir na cesta básica e reduzir a carga horária.

O presidente do Sintro rebate. Segundo Domingos Gomes, a proposta das empresas ``já foi rejeitada em assembleia``. Gomes garante: a categoria realizará paralisações-surpresa até quinta-feira, 27. A reunião entre Sindiônibus e Sintro será dia 28, às 8h30min, na Superintendência Regional do Trabalho e Emprego. Para Gomes, a deflagração de greve dependerá do resultado da reunião, que será avaliado em assembleia no mesmo dia, às 16 horas, na sede do Sintro.

Fonte: O Povo online

0 comentários:

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960