Pedala BH amplia ciclovias e incentiva o uso de bicicletas na cidade

terça-feira, 9 de fevereiro de 2010


A rede cicloviária planejada de Belo Horizonte, com cerca de 345 km de ciclovias, será totalmente interligada. A iniciativa faz parte do programa Pedala BH, que tem como objetivo incentivar o cidadão a usar a bicicleta como meio de transporte. O planejamento prevê a implantação de cerca de 20 km por ano de rotas cicloviárias, para que, na Copa de 2014, Belo Horizonte tenha, no mínimo, 100 km de ciclovias para interligar os principais pontos da cidade ao Mineirão. A ideia é fazer da bicicleta uma opção real de locomoção.

Como veículo de transporte, os usuários poderão, por exemplo, utilizar a bicicleta em seu primeiro deslocamento até uma estação de integração, onde poderão deixá-la em segurança em um bicicletário, utilizando, em seguida, o ônibus ou o metrô para completar a sua viagem. Para maior comodidade dos ciclistas, serão instalados paraciclos para o estacionamento de bicicletas em vários locais da cidade.

Além de desafogar o trânsito, a bicicleta não polui, é um veículo barato e acessível, muito utilizada para percorrer distâncias médias em torno de 5 km. Pesquisas realizadas pela Fundação João Pinheiro mostram que o uso da bicicleta existe em toda cidade. Cerca de 0,6% de pessoas fazem uso dela, ou seja, 25 mil viagens por dia são feitas diariamente por esse veículo. Atualmente, Belo Horizonte possui três paraciclos, com um total de 17 vagas, sendo seis vagas em frente ao Parque Guanabara (Pampulha), seis vagas na Rua Pernambuco com Avenida Getúlio Vargas (Savassi) e cinco vagas junto ao Restaurante Popular, próximo à Santa Casa. As vagas são oferecidas gratuitamente à população.

O Pedala BH tem três subprogramas, envolvendo campanhas educativas, monitoramento e infraestrutura, o que abrange a implantação da rede cicloviária planejada, de bicicletários em áreas e prédios públicos e em estações de integração, como também em pontos estratégicos espalhados pela cidade, por meio de parcerias público-privadas, criando facilidades ao usuário da bicicleta.
Fonte: BH Notícias

0 comentários:

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960