DF: Falta de parada de ônibus na EPIA causa transtorno aos usuários do transporte público

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

Desde setembro do último ano, há quase seis meses, quem tenta utilizar o transporte público na Estrada Parque Indústria e Abastecimento (EPIA) enfrenta dificuldades. Existe apenas uma parada de ônibus, atualmente, funcionando em toda a EPIA.Com o início das obras da Linha Verde, as paradas da EPIA, que ficavam na altura das quadras 103 e 109 do Cruzeiro Novo foram retiradas. E nada foi colocado no local. O único ponto de ônibus hoje da EPIA fica embaixo da passarela, o que dificulta o acesso daqueles que moram distante da parada.
Idosos, grávidas, deficientes andam vários metros para chegar à única parada que restou.Segundo o prefeito comunitário de Cruzeiro Novo, Salim Sidarta, já foram entregues vários pedidos para a construção de novos pontos de ônibus, a Secretaria de Transportes do Distrito Federal (STDF) e ao Transporte Urbano do Distrito Federal (DFTrans), mas eles não deram nenhum posicionamento.
"Estamos há seis meses sem parada, nossa comunidade, a população, os trabalhadores precisam disso. É um absurdo!", explica o prefeito.
A assessoria do Departamento de Estradas de Rodagem (DER-DF) e do DFTrans afirmaram que as paradas foram retiradas por causa das obras realizadas na EPIA e que só serão reecontruídas com o término das benfeitorias. De acordo com as assessorias, não há uma data prevista para a instalação das novos pontos de ônibus.
Manifestação - A comunidade do Cruzeiro Novo começou na manhã desta quarta-feira (24/2) uma manifestção contra a derrubada destas paradas. Os manifestantes estão em uma tenda, na EPIA, na altura da quadra 109 do Cruzeiro Novo, em frente ao hipermercado Extra.
O protesto começou às 6h15, com faixas escrito "aqui havia uma parada, queremo-lá de volta!". De acordo com o Salim Sidarta os manisfestantes ficaram na tenda até às 18h.
Fonte: Correio Brasiliense

0 comentários:

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960