Prefeitura de Porto Alegre assume gestão da bilhetagem do transporte coletivo

quarta-feira, 25 de janeiro de 2017

A gestão da bilhetagem eletrônica do transporte público de Porto Alegre passa a ser feita pela prefeitura a partir desta semana. Atualmente a Associação dos Transportadores de Passageiros de Porto Alegre (ATP), que representa as empresas de ônibus, tinha exclusividade sobre os dados. Com a mudança, a administração municipal passa a ter o controle on-line de todas as informações sobre o número de passageiros que utilizam cada linha, quantos cada veículo transportou, quanto foi pago em dinheiro e quanto no cartão TRI, e neste caso quantos utilizaram vale-transporte, passe antecipado, vale estudante ou ainda possuem algum tipo de isenção. A medida deve garantir redução dos custos e, consequentemente, tarifa do transporte coletivo mais barata para o usuário.

O diretor técnico no exercício da presidência da Procempa, Michel Costa, explicou que, com a gestão do sistema de bilhetagem eletrônica, além de ter maior controle sobre as informações, a prefeitura pode realizar auditorias periódicas, avaliando supostas irregularidades e o uso indevido do cartão TRI e de benefícios, como isenções. Michel explicou que, mesmo ainda sem ter recursos como o reconhecimento facial e GPS em todos os veículos, será possível reduzir custos do transporte. “No momento em que detectarmos alguma fraude, será possível fazer o ajuste. Isso coíbe abusos e irregularidades que acabam refletindo na tarifa do transporte público. Porque toda a fraude, todo o prejuízo que o sistema tem não prejudica o empresário, prejudica o usuário do transporte que paga a tarifa”, afirmou. 

A medida dá sequência ao Plano de Modernização, Transparência e Gestão do Transporte Público no Município. Os equipamentos e sistemas que permitirão essa gestão compartilhada da bilhetagem eletrônica em Porto Alegre, entre a prefeitura e a Associação dos Transportadores de Passageiros de Porto Alegre (ATP), já foram apresentados ao prefeito Nelson Marchezan Júnior e seu vice, Gustavo Paim. 

Uma equipe será mantida pela EPTC e Procempa para acompanhar as informações. Esta etapa não precisou de investimento, pois estão sendo utilizados infraestrutura e funcionários da prefeitura. Os dados são transmitidos on-line diariamente, quando o ônibus entra na garagem, e agora passam a ser enviados ao mesmo tempo para a ATP e a prefeitura. A mudança também garante um backup dessas informações, uma vez que estarão armazenadas em mais de um local. 

Informações: EPTC

0 comentários:

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960