Primeira etapa da linha 2 do metrô de Salvador entra em operação a partir de julho

quarta-feira, 13 de abril de 2016

O secretário de Desenvolvimento Urbano do Estado, Carlos Martins, informou nesta quarta-feira (13) que, a partir de julho, o metrô de Salvador terá condições de iniciar a operação na Linha 2, entre as duas primeiras estações do trecho. Anteriormente, a previsão era em agosto. O anúncio foi feito durante vistoria às obras da Linha 2 do metrô.

“Estamos fazendo mais uma visita técnica para constatar o andamento das obras e podemos ver mais uma vez que o trecho do Acesso Norte ao Detran está em ritmo acelerado e com boas perspectivas de estar em pleno funcionamento no mês de julho”, destacou Martins, após percorrer pelos quase 2,5 km, que ligam as estações Acesso Norte à Rodoviária, passando pela estação Detran.

“Saindo do Detran até Pernambués temos um ritmo menor em função das intercorrências com o público e com o tráfego, mas está num ritmo adequado. Por isso, acredito que vamos continuar avançando em ritmo acelerado até o Imbuí”, disse. As obras da Linha 2 têm 24% de avanço físico e das 12 estações previstas até o Aeroporto, 10 já estão construção. 

Em relação às demais estações da Linha 2 na Avenida Paralela, o secretário também ressaltou a rapidez do andamento das obras e disse acreditar na manutenção do calendário previsto, com o metrô em operação nas primeiras estações da avenida até o final de 2016. “Na Paralela, a obra continua em ritmo acelerado, com algumas estações já com a cobertura praticamente concluída, e, portanto não deveremos ter problemas no cronograma da obra física”. 

Quando ficar pronta, até o final de 2017, a Linha 2 vai permitir que o trajeto de 23 quilômetros entre o Acesso Norte e o município de Lauro de Freitas, na Região Metropolitana de Salvador, seja percorrido em 27 minutos, passando pelas 13 estações que compõem o trecho. Destas, seis terão integração com os terminais de ônibus: Acesso Norte (já em operação), Rodoviária, Pituaçu, Mussurunga, Aeroporto e Lauro de Freitas. 

Assim como foi na Linha 1, as estações  da segunda linha também funcionarão em operação assistida, com horário diferenciado e velocidade reduzida. A medida será adotada por questão de segurança e logística, conforme a Secretaria Estadual de Desenvolvimento Urbano (Sedur).  

Ao lado do presidente da Companhia de Trens da Bahia (CTB), Eduardo Copello, o secretário observou todos os detalhes da obra e tirou dúvidas com Luis Valença, presidente da CCR Metrô Bahia, concessionária do metrô, e outros representantes do grupo. O secretário também comentou o andamento das obras nas estações Rodoviária e Pernambués, que se encontram em estágio anterior às demais.

Informações: Correio 24 Horas
READ MORE - Primeira etapa da linha 2 do metrô de Salvador entra em operação a partir de julho

Consórcios padronizam pintura de ônibus públicos de João Pessoa

Na última terça-feira (12) foi apresentada para os membros do Conselho Municipal de Mobilidade Urbana (CMMU) a nova padronização dos Consórcios Navegantes e Unitrans.  A adequação de toda a frota de ônibus tem o objetivo atender os contratos de concessões dos serviços de transporte coletivo urbano de passageiros de João Pessoa.

Os Consórcios Navegantes e Unitrans se comprometeram a renovar a frota, a fim de reduzir a idade média do sistema, adquirindo 60 ônibus e com o compromisso de ampliar ainda mais este número.

Antes da apresentação da padronização, foi feita a reunião do Conselho que avaliou o cumprimento do termo de compromisso acertado em fevereiro deste ano, entre a Superintendência Executiva de Mobilidade Urbana (Semob-JP) e os Consórcios.

O documento cita ainda a renovação da frota, a implantação de abrigos com piso e a aquisição do sistema de Rastreamento (GPS) capaz de oferecer ao usuário aplicativo para consulta do tempo de espera da linha pelo smartphones e similares.

DSCN7822No encontro, também foi discutida a avaliação do planejamento e metas de curto e médio prazo da Semob e a atualização de informes sobre o Plano de Mobilidade Urbana e BRT.

O superintendente de Mobilidade Urbana, Carlos Batinga, falou que os ônibus novos são com acessibilidade para pessoas com necessidades especiais, conforto e facilidade de embarque e desembarque oferecendo uma maior qualidade no atendimento ao usuário. “Todas as ações estão sendo acompanhadas pelo Conselho que se reúne mensalmente para avaliação do planejamento e das metas para a mobilidade urbana de João Pessoa” disse.

Informações: Prefeitura de João Pessoa
READ MORE - Consórcios padronizam pintura de ônibus públicos de João Pessoa

Faltam elevadores e escadas rolantes nos Terminais Integrados do Recife

De 40 equipamentos de acessibilidade nas estações de metrô e nos terminais de ônibus integrados a elas, 19 não funcionam. Em 11 estações, não há elevadores nem escadas rolantes. Idosos, pessoas com deficiência, pais com filhos de colo e passageiros de muletas precisam encarar longas escadarias para ter acesso às plataformas de metrô e aos pontos de ônibus, por onde circulam todos os dias cerca de 400 mil pernambucanos.

O levantamento foi realizado em um giro de dois dias feito pela reportagem do NETV 1ª Edição, que também encontrou muito lixo nos trilhos e comércio ambulante sem fiscalização dentro dos trens. O Grande Recife informou que, para os terminais mais antigos, estão previstas reformas que contemplam a adequação dos quesitos de acessibilidade.

Na Linha Sul do metrô, que vai da Estação Recife até Cajueiro Seco, e que conta com cinco integrações, são 14 equipamentos de acessibilidade sem funcionar e 18 operando. Apenas em Porta Larga, Shopping, Antônio Falcão e Largo da Paz não havia aparelhos parados. Em oito estações - Cajueiro Seco, Prazeres, Monte dos Guararapes, Aeroporto, Tancredo Neves, Imbiribeira, Joana Bezerra e Recife - há escadas rolantes e/ou elevadores inoperantes. E muita gente insatisfeita.

"Já tenho 72 anos. Você quer o quê, meu filho?", indaga a aposentada Ernanda Freire, para justificar as lágrimas que se tornam inevitáveis após a escadaria inglória da Estação Prazeres. Por lá, escada rolante e elevador estão há meses sem funcionar. Quem garante é a também aposentada Maria José Batista, 81 anos, que, de muletas, só consegue subir as escadas porque é ajudada por uma jovem. "Minha sorte é que sempre aparece um filho de Deus para me ajudar", conta.

Três paradas depois está a Estação Aeroporto, onde o governo inaugurou uma passarela na época da Copa do Mundo, investimento de R$ 26 milhões. Embora escada rolante e elevador estejam operando, a esteira que liga os terminais aéreo e metroviário está parada. "Eu precisava muito, porque tenho problema nas pernas, nos dois joelhos, mas está desse jeito aí", reclama o aposentado Givaldo Silva.

A situação da Linha Centro é ainda pior. Duas estações, Camaragibe e Cosme e Damião, contam com escadas rolantes e elevadores. São, ao todo, oito equipamentos, dos quais cinco estão sem funcionar. Nas 11 estações seguintes - Rodoviária, Curado, Alto do Céu, Coqueiral, Tejipió, Barro, Werneck, Santa Luzia, Mangueira, Ipiranga e Afogado - sequer há aparelhos de acessibilidade, apenas rampas que são motivo de reclamação. "Descer tudo bem, mas subir essas rampas é uma luta", lamenta a cadeirante Lilian Nery, que diz já ter sofrido até um acidente certa vez.

Em Joana Bezerra, uma das estações mais movimentadas, que recebe todo dia em torno de 40 mil passageiros, nenhum equipamento de acessibilidade está funcionando. São duas escadas rolantes e dois elevadores sem operar. "Minha filha foi atropelada, está de muleta e precisa subir essas escadas", esbraveja uma mulher. "Tenho problema de coluna e ninguém toma uma providência", acrescenta uma idosa.

Respostas
Em nota, o Grande Recife informou que "os Terminais Integrados da Região Metropolitana do Recife inaugurados a partir de 2008 foram projetados dentro dos padrões da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT)".  Para os terminais mais antigos, estão previstas reformas que contemplam a adequação desses quesitos.

Sobre a escada rolante e elevador do TI Tancredo Neves, o consórcio apontou "que os mesmos passaram por uma manutenção preventiva na última semana e estão funcionando normalmente".

Quanto às esteiras da Passarela do Aeroporto, afirmou "que não se trata de um equipamento de acessibilidade e sim um dispositivo que traz mais conforto para o usuário. Visto que o caminho do Aeroporto para o TI Aeroporto pela passarela é todo em nível, projetado para cadeirantes e pessoas com mobilidade reduzida. Contudo, informamos que as seis esteiras existentes estão funcionando e passando por uma manutenção preventiva nesta quarta-feira (13)".

Por Wagner Sarmento
Informações: TV Globo Nordeste
READ MORE - Faltam elevadores e escadas rolantes nos Terminais Integrados do Recife

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960