Metrô DF coloca 24 trens a mais devido a greve de ônibus

segunda-feira, 8 de junho de 2015

O Metrô informou que vai ampliar em uma hora e meia o horário de pico do serviço na noite desta segunda-feira (8) para atender passageiros e minimizar os efeitos da greve dos rodoviários do Distrito Federal. De acordo com a empresa, 24 trens vão rodar entre 16h e 21h – normalmente, o serviço funciona com capacidade máxima das 16h45 às 20h15. A ampliação também ocorrerá na manhã de terça. Haverá 24 trens rodando de 6h às 9h45 – o horário de pico usualmente termina às 8h45.
Foto: Isabella Calzolari/G1
Os 12 mil motoristas e cobradores do transporte público ignoraram a liminar do Tribunal Regional do Trabalho e cruzaram os braços a partir da meia-noite em protesto por 20% de reajuste salarial e 30% no tíquete refeição e plano de saúde familiar. As empresas oferecem 8,34% de reajuste nos salários com base no Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC).

A paralisação prejudica mais de 1 milhão de passageiros de todas as regiões administrativas do DF. A opção é contrária à indicação do sindicato da categoria, que pediu aos rodoviários que cumprissem a liminar do TRT. A multa diária por descumprimento da decisão é de R$ 100 mil. Os horários de pico vão de 5h às 9h30, das 11h às 13h e das 15h às 19h30.

O DF tem cerca de 12 mil rodoviários. Com a greve, as paradas de ônibus amanheceram lotadas. Policiais militares acompanharam a movimentação na garagem da Pioneira em Santa Maria, responsável por 200 mil passageiros de nove regiões. O DER liberou o trânsito de carros nas faixas exclusivas da EPTG e da EPNB até as 18h para diminuir os transtornos. Na W3 e no Setor Policial, a medida vale até meia-noite.

O vice-presidente do sindicato dos rodoviários, Jorge Farias, afirmou que vai cumprir a determinação da Justiça de manter 70% dosônibus em circulação nos horários de pico e, paralalemente, recorrer da decisão para tentar cassar a liminar. O salário de um motorista de ônibus é R$ 1.928 e o de um cobrador, R$ 1.008. As negociações com as empresas começaram em abril.

READ MORE - Metrô DF coloca 24 trens a mais devido a greve de ônibus

Greve de ônibus em Brasília deixa 1 milhão de usuários prejudicados

Descumprindo a liminar do Tribunal Regional do Trabalho que determina que 70% dos ônibus circulem em horário de pico e 50% no entrepico, motoristas e cobradores do transporte público do Distrito Federal cruzaram os braços nesta segunda-feira (8) em protesto por 20% de reajuste salarial e 30% no tíquete refeição e plano de saúde familiar. A greve começou à meia-noite e foi decidida em assembleia. As empresas oferecem 8,34% de reajuste nos salários com base no Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC).

A paralisação prejudica mais de 1 milhão de passageiros de todas as regiões administrativas do DF. A opção é contrária à indicação do sindicato da categoria, que pediu aos rodoviários que cumprissem a liminar do TRT. A multa diária por descumprimento da decisão é de R$ 100 mil. Os horários de pico vão de 5h às 9h30, das 11h às 13h e das 15h às 19h30.

O DF tem cerca de 12 mil rodoviários. Com a greve, as paradas de ônibus amanheceram lotadas. Policiais militares acompanharam a movimentação na garagem da Pioneira em Santa Maria, responsável por 200 mil passageiros de nove regiões. O DER liberou o trânsito de carros nas faixas exclusivas da EPTG e da EPNB até meio-dia para diminuir os transtornos.

O trânsito nos arredores da região era intenso, e havia congestionamento também nas vias internas. O terminal do Expresso DF estava vazio. Passageiros do Gama informaram que vans piratas cobravam R$ 10 para o transporte pelo Plano Piloto.

Por volta das 7h15, micro-ônibus da Cootarde rodavam no Setor O, em Ceilândia. Passageiros aproveitavam os veículos para ter acesso ao centro da região e conseguir pegar o Metrô. A autarquia contava com 24 trens rodando no horário – número usado diariamente no horário de pico – e registrava movimentação intensa nas estações.

O vice-presidente do sindicato, Jorge Farias, afirmou que vai cumprir a determinação da Justiça e, paralalemente, recorrer da decisão para tentar cassar a liminar. O salário de um motorista de ônibus é R$ 1.928 e o de um cobrador, R$ 1.008. As negociações com as empresas começaram em abril.

Informações: G1 DF
READ MORE - Greve de ônibus em Brasília deixa 1 milhão de usuários prejudicados

Metrô de Porto Alegre e Belo Horizonte pode entrar em pacote de concessões do governo

O governo avalia incluir no seu novo pacote de concessões grandes obras de mobilidade urbana, privatizando projetos de metrô há mais de 20 anos prometidos para grandes capitais, mas nunca realizados. Os trens de Porto Alegre e Belo Horizonte devem ser os principais desse adendo ao programa de logística, que já prevê investimentos em rodovias, ferrovias, aeroportos e portos. A previsão é que o valor movimentado ficará entre R$ 110 bilhões e R$ 130 bilhões nos próximos anos.

Para inflar o tamanho do pacote que será anunciado na próxima terça-feira, o Planalto chamou o Ministério das Cidades para apresentar quais projetos de mobilidade estariam prontos para ser incorporados imediatamente à nova fase do plano de investimentos.

O setor vem tentando, sem sucesso, destravar com dinheiro público grandes empreendimentos nas principais metrópoles do País desde a preparação para a Copa do Mundo, iniciada em 2009. Em 2013, foi criado um Pacto pela Mobilidade para tentar responder aos primeiros protestos populares de meados daquele ano, mas a maioria das obras continua no papel.

Segundo apurou o Estado, o problema é que, como muitos desses empreendimentos também dependem de parcerias com governos estaduais e municipais, poucos projetos estariam com seus estudos suficientemente preparados para ser anunciados agora.

De acordo com interlocutores do ministro das Cidades, Gilberto Kassab, o ministério está desenvolvendo projetos de concessões para ajudar os Estados, mas uma boa parte não está "madura", então ainda não seria possível anunciá-los. Por isso, ainda está sendo avaliado o quanto a pasta poderá contribuir para o plano.

Ainda assim, pelo menos dois metrôs administrados pelo governo federal podem integrar o pacote de privatizações. Um deles seria o de Belo Horizonte, operado pela Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU), estatal vinculada ao próprio Ministério das Cidades. Inaugurado em 1986, o metrô de BH ainda tem apenas uma linha em funcionamento, enquanto os projetos de duas outras não saíram do papel.

A ideia de uma Parceria Público Privada (PPP) para o metrô da capital mineira chegou a ser proposta pelo governo estadual em 2009, na gestão do tucano Aécio Neves, durante as preparações para a Copa do Mundo de 2014, mas nunca houve acordo com o governo federal. Agora, com o governo do Estado nas mãos do petista Fernando Pimentel, a concessão do sistema de Belo Horizonte deve virar realidade.

Outro projeto mais consolidado e pronto para ser passado ao mercado seria o metrô de Porto Alegre, operado pela estatal federal Trensurb e inaugurado há 30 anos, em 1985. Além disso, o governo federal estuda a criação de um fundo garantidor para viabilizar os financiamentos necessários para ampliação dessas linhas de metrô.

Portos

Conforme adiantado ontem pelo Estado, o pacote de Dilma, a ser anunciado na terça-feira, deve incluir 11 rodovias (4.382 km), quatro aeroportos em grandes capitais (Salvador, Fortaleza, Porto Alegre e Florianópolis), sete aeroportos regionais, além de ferrovias.

Também será tentado colocar na rua as licitações do bloco 1 de arrendamento portuário recém-liberados pelo Tribunal de Contas da União (TCU). São 29 terminais, sendo nove em Santos e 20 no Pará, com previsão de investimento total de R$ 4,7 bilhões. Colaborou Ricardo Della Coletta. 

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.
READ MORE - Metrô de Porto Alegre e Belo Horizonte pode entrar em pacote de concessões do governo

Em Natal, CBTU apresenta projeto de expansão da linha férrea até o aeroporto

A Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU) apresentou, na manhã desta sexta-feira (5), a proposta de expansão da linha férrea para interligar o Aeroporto Internacional Governador Aluízio Alves ao atual sistema de Veículo Leve sobre Trilhos (VLT). A nova linha férrea terá 17 quilômetros e já foi aprovado pela CBTU nacional.

A expectativa é que o projeto seja incorporado ao Plano Plurianual 2016-2019 da Companhia, que quer incluí-lo no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 3), para Mobilidade Urbana.

“Esse ramal até o aeroporto - que não estava no projeto inicial, mas por um diálogo entre o governo do estado e a CBTU prosperou - irá potencializar a nossa conquista para Natal ser sede do hub da TAM”, destacou o governador Robinson Faria, que acrescentou ainda que o tramo norte da linha roxa, como foi definido no projeto, irá beneficiar cerca de 15 mil pessoas.

A linha está orçada em R$ 249,8 milhões e prevê a instalação de 10 novas estações e compra de cinco composições de VLT, cada uma com três carros. O projeto de modernização do sistema já em curso contempla 12 composições, das quais três já foram entregues e estão em funcionamento. 

Expansão

O projeto de expansão férrea no estado, além da linha que vai de Extremoz a São Gonçalo do Amarante, prevê um linha estimada em 23 quilômetros integrando o Aeroporto Aluízio Alves à Macaíba e seguindo até a BR-101, em Parnamirim. Este outro trecho, chamado de tramo sul da linha roxa, não tem ainda o estudo de viabilidade. Também dentro do projeto completo de expansão, está projetada a criação de um anel em Natal, com a implementação de mais duas linhas levando o VLT até o campus da Universidade Federal do Rio Grande do Norte. 

Informações: Tribuna do Norte
READ MORE - Em Natal, CBTU apresenta projeto de expansão da linha férrea até o aeroporto

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960