Internet gratuita em ônibus de SP agrada passageiros

segunda-feira, 8 de setembro de 2014

Testes feitos em ônibus com wi-fi que circulam em São Paulo apontaram sinal instável ou com lentidão: houve dificuldade em realizar tarefas simples como postar foto em rede social ou enviar mensagens de texto. Apesar das instabilidades na rede 3G oferecida, passageiros aprovaram a conexão gratuita que está disponível desde terça-feira (2).

O serviço está disponível em apenas quatro novos veículos em duas linhas que circulam na Zona Sul (875P Terminal Campo Limpo - Paraíso e 809P-10 - Terminal Campo Limpo - Terminal Pinheiros).

"Às vezes cai, mas é melhor que usar o 3G do celular, né?”, disse a tesoureira Rose Meire Leite, de 36 anos.

O serviço é responsabilidade da concessionária SP Urbanuus, que opera os ônibus da Viação Campo Belo, e contratou o serviço de internet. Na terça-feira, o prefeito de São Paulo Fernando Haddad (PT) disse que a internet seria um modo de tornar a viagem do trabalhador "útil”, já que ele poderia adiantar o serviço ou suas leituras de dentro do ônibus.

Durante três viagens em dias diferentes, o G1 testou a conexão na linha 809P-10 Campo Limpo. Usando um iPhone 5S e um aplicativo para testes de velocidade, a primeira conclusão foi de que o sinal cai com frequência. A velocidade mais rápida de download obtida nos testes foi de 1,44 Mbps, abaixo da velocidade obtida com o 3G do celular, que usa um pacote de dados da operadora Vivo (5,51 Mbps).

Download

A velocidade já seria baixa para atividades como ver vídeos no YouTube se ela se mantivesse constante, mas essa foi a maior velocidade disponível. Nos testes, ela chegou a ser de 0,17 Mbps, no horário de pico e com o ônibus lotado. Por usar tecnologias de rede de celular, o Wi-Fi do ônibus também depende da localização do veículo e do sinal oferecido pela operadora na região.

Segundo a concessionária SP Urbanuus, a velocidade contratada é de 2,4 MB, o equivalente a 19,2Mbps. "Ela permite acesso simultâneo e de qualidade a 46 passageiros. Acima disso a velocidade reduz”, informou a empresa. Os ônibus articulados, ainda segundo a própria empresa, têm lotação máxima de 200 passageiros (56 assentos e 144 em pé).

A informação de que a velocidade da internet dos ônibus é de 2,4MB compartilháveis foi confirmada pela responsável pela tecnologia, instalação, manutenção e suporte dos modens, a empresa Vero Tecnologia. A Nextel, fornecedora do chip de internet, não respondeu aos questionamentos da reportagem.

Especialistas consultados pelo G1 afirmaram que a velocidade de 2,4 MB não é baixa, especialmente para uma internet pública. Entretanto, eles alertaram para o fato de ela ser compartilhada.

Ronaldo Prass, colunista de tecnologia do G1, avalia que a iniciativa é positiva, mas tem limitações pela escolha do 3G e da banda contratada. "É um começo. A medida que for melhorando o serviço móvel aqui no Brasil, ele já está disponível nos ônibus e pode ir melhorando, também. É válido e é um conforto", disse.

Ele, entretanto, alertou que o serviço, por ser 3G, acaba sendo tão ruim quanto os contratados para celular. Especialmente conforme mais pessoas vão acessando a rede. "Dois mega compartilhado em quarenta pessoas dá para atualizar o feed de notícias do Facebook, de repente, mas não mais do que isso. Uma foto, um videozinho do Whatsapp, se dez pessoas estiverem fazendo isso ou no YouTube, acabou a navegação de todos os usuários", avalia.

Para ele, se o serviço fosse 4G a velocidade oferecida poderia ser maior, mas a cobertura da rede no Brasil deixa muito a desejar. "Mesmo se fosse 4G é muito variável os pontos onde o sinal é melhor, depende também da quantidade de pessoas que estão usando, da maneira como estão usando", explicou.

Upload

Nos testes de velocidade de upload – quando o internauta "posta” ou envia algo - o desempenho foi pior. É comum, porém, que na contratação de serviços a velocidade de upload seja de fato inferior a de download, mas em diversos momentos a velocidade chegou a zero dentro do coletivo. Isso significa, como a equipe de reportagem constatou, tarefas como mandar mensagem pelo Whatsapp, compartilhar um novo status no Facebook ou postar uma foto no Instagram se tornam impossíveis.

A reportagem, que em momentos conseguiu visualizar imagens tranquilamente no Instagram, com o ônibus longe de sua lotação máxima, em outros não conseguiu postar uma foto na rede social. Uma mensagem enviada pelo popular aplicativo Whatsapp chegou a levar 10 segundos para ser enviada ao servidor (quando aparece aquele primeiro sinal abaixo da mensagem), mensagens com imagens mostravam falha e não eram enviadas. Um post no Facebook levou cerca de 10 segundos para ser publicado. Após erros sucessivos, sites levaram quase um minuto para carregar.

Questionada sobre a baixa velocidade da internet oferecida, a Secretaria Municipal de Transportes não respondeu à reportagem. A SPTrans, por meio de nota, que "a contratação do serviço é de responsabilidade da operadora, neste caso, a Viação Campo Belo".

Ideal para 40 passageiros

A SPUrbanuss, responsável pela Viação, respondeu que "a empresa responsável informou que a velocidade da internet funciona bem sendo compartilhada por uma média 40 usuários. Em vista de que sites com conteúdo adulto e downloads serão bloqueados, acreditamos na proposta da empresa, já que assim a internet ficará "mais leve”. Pesquisas também apontam que a grande maioria dos usuários usam mais as redes sociais como Facebook e Whatsapp, apps que não demandam de tantos MB. Podendo assim usar uma internet com boa qualidade", informou em nota.

Passageiros aprovam

O Wi-Fi é pouco conhecido por passageiros, mas o ar-condicionado e a "modernidade” dos novos ônibus impressionaram. Duas mulheres que pegaram o ônibus por volta das dez horas da manhã de quinta (4) se surpreenderam como os novos veículos, chamados de "super-articulados”. "Mas que chique que está isso aqui, hein?”, comentou Orizete Tesce, a assistente social de 58 anos, para o motorista da linha do Terminal Campo Limpo que costuma leva-la diariamente para o trabalho. Sua amiga, a monitora escolar Lúcia Saporito, de 53 anos, concordou.

"O ônibus é mais bonito, mais espaçoso, o ar-condicionado é ótimo”, diz Lúcia. Nenhuma das duas, porém, sabia que estavam em um ônibus com internet de graça. A maior parte dos passageiros daquela viagem tampouco sabia que o veículo vinha equipado com Wi-Fi livre. Informadas pela reportagem, as senhoras aprovaram, mas mantiveram os celulares guardados.

A tesoureira Rose Meire Leite, de 36 anos, também não sabia que alguns dos novos ônibus tinham Internet livre e resolveu testa-la. "Às vezes cai, mas é melhor que usar o 3G, né?”, comenta. Mas ela aprovou a experiência nos novos ônibus. "Estou pegando um desses todos os dias, nem preciso esperar. Ele é muito grande confortável, você não fica tão sufocada e esse eu nem sinto ele balançar”, disse. Os novos super-articulados, de fato, impressionam. Apesar de serem tão longos quanto os bi-articulados, o passageiro não sente aquele tremor típico e incômodo.

A linha que as três mulheres pegam diariamente é a 809P Terminal Campo Limpo, uma das poucas contempladas com os novos ônibus e uma das mais lotadas da Zona Sul - não é raro o ônibus já sair cheio do Terminal Pinheiros, nos horários de pico. No total, apenas quatro carros têm Wi-Fi. É preciso sorte ou esperar para pegar um veículo com internet livre. Os veículos "offline" super-articulados e que possuem ar-condicionado são mais comuns.

O ajudante de montagem Leandro Francisco, 20 anos, é um dos poucos passageiros que navega usando a internet de graça. Ele não precisou ser avisado pela reportagem do Wi-Fi livre e "já estava usando para tudo”. "Facebook, Whatsapp, está tudo muito bom. E o ar-condicionado é bom, também”, disse, sem tirar os olhos do celular.

Para o cobrador Erinaldo Cardoso da Silva, de 39, 17 deles no trabalho como cobrador de ônibus em São Paulo, os novos veículos são motivo de comemoração. "Melhora muito nossa qualidade de trabalho. O ar-condicionado é bom, as câmeras dão mais segurança. Você trabalha com mais conforto. Mas, assim, o ar tem que funcionar, né? Se não funciona, isso esquenta e não dá para abrir janela, aí o povo passa mal", disse. Nesse modelo de ônibus, os janelões de vidro não abrem.

O ar-condicionado, aliás, foi um consenso. "Acho melhor com ar-condicionado, vale a pena. Se conseguir colocar bastante desses ônibus nas ruas, vai ser muito bom”, disse Rose.

A temperatura do ar-condicionado varia conforme a lotação do ônibus, segundo verificou a reportagem. Pela manhã, quando o trajeto sentido Zona Sul é menos visado e o veículo fica mais vazio, o ar-condicionado quase não é utilizado. Já no período da tarde, durante o horário de pico, é possível sentir o ar gelado perto das portas.

0 comentários:

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960