Projetos de corredores de ônibus em Goiânia são aprovados pelo Ministério das Cidades

quinta-feira, 24 de julho de 2014

O prefeito de Goiânia, Paulo Garcia, anunciou ontem que os projetos dos corredores preferenciais de ônibus apresentados pela Prefeitura de Goiânia foram aprovados pelo Ministério das Cidades, que divulgou portaria incluindo as obras no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) - Pacto pela Mobilidade. Após a análise técnica bem-sucedida, a administração municipal está apta a iniciar o processo burocrático junto à Caixa Econômica Federal para a realização das licitações.
Foto: Rede Integrada de Transporte Coletivo
Neste ano, o prefeito Paulo Garcia fará um dos maiores investimentos em obras de mobilidade da história da Capital. Somente em corredores preferenciais de ônibus, ele aplicará R$ 145.323.461,00.

Os projetos beneficiam as avenidas T-7, T-9, 85, 24 de Outubro, Independência e T-63. Paulo Garcia diz que a administração está investindo em projetos que vão garantir a mobilidade futura da população. "O planejamento do trânsito é prioridade para a Prefeitura de Goiânia, que está promovendo obras estruturais que vão dar fluidez ao transporte coletivo e organizar o trânsito, garantindo uma melhor mobilidade urbana para as próximas décadas".

A presidente da Companhia Metropolitana de Transportes Coletivos (CMTC), Patrícia Pereira Veras, afirma que este é um trabalho inédito para a Capital e o País, que está recebendo recursos vultosos para os corredores preferenciais de ônibus. "Essas obras vão permitir uma estruturação viária com espaços democráticos para pedestres, transporte coletivo, ciclistas e veículos particulares".

Patrícia explica que, com esses corredores preferenciais, a Capital terá 46,5 km destinados à circulação dos ônibus, que vão promover a integração de 66 linhas, beneficiando 601.164 usuários do transporte coletivo por dia.

Liberação dos recursos

A presidente da CMTC afirma que os técnicos da companhia e da Caixa Econômica Federal já estavam com diálogo adiantado sobre os procedimentos que serão necessários para a liberação dos recursos. Segundo ela, o ingresso com os documentos na Caixa é prioridade e acontecerá nos próximos dias.

O coordenador dos Corredores Preferenciais de Goiânia, Sávio Afonso, diz que, após essa etapa, a CMTC vai aguardar apenas o aval da Caixa para a abertura de licitações. A previsão é de que a concorrência pública para as obras do corredor da Avenida T-7 seja aberto no segundo semestre.

"A implantação desses corredores é fundamental para que tenhamos melhorias efetivas para o cidadão, que deixará de enfrentar longo tempo de espera, e no serviço prestado pelas empresas concessionárias", afirma.

Novas licitações

Ainda no segundo semestre, a Prefeitura de Goiânia também deve realizar os outros processos licitatórios contemplando as outras cinco obras dos corredores, o que vai garantir agilidade na execução das seis faixas preferenciais. Sávio reforça que Goiânia é uma das cidades brasileiras que receberam recursos neste ano, e deve iniciar as obras com mais agilidade porque os projetos de tráfego dos corredores estão todos concluídos.

Ele se recorda que depois do anúncio dos recursos para a mobilidade urbana pela presidente Dilma Rousseff, em 13 de março deste ano, o governo federal publicou a decisão no Diário Oficial da União, em 23 de abril. A partir desta data, o Ministério das Cidades abriu prazo para as cidades enviarem as cartas-consultas dos projetos. "Os projetos de Goiânia foram encaminhados de forma quase que imediata e a administração municipal teve a aprovação do Ministério das Cidades e agora já pode iniciar os trâmites de liberação dos recursos junto à Caixa Econômica Federal".

Por Hemilton Prateado
Informações: Diário da Manhã

0 comentários:

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960