Mais de 70% da população de Salvador não está satisfeita com o transporte coletivo da cidade

sexta-feira, 9 de novembro de 2012

A população de Salvador não está satisfeita com o transporte público da capital baiana. Para 74,4% dos soteropolitanos, nada é positivo no transporte público da cidade. É o que revela uma pesquisa sobre mobilidade, realizada pelo Planter - Observatório do Comportamento & Tendências, que entrevistou duas mil pessoas no período de 11 a 14 de junho deste ano.

Ao serem questionados sobre o que acham negativo no transporte público, 51,7% dos entrevistados responderam "tudo". Os três fatores que tiveram as avaliações mais negativas (ruim ou péssimo) foram o custo da passagem no orçamento mensal (73,1%); o estado de conservação dos veículos - higiene, qualidade de assentos, barras de apoio e espaço - (70,1%) e os horários - tempo de espera - (68,5). 

Já a ação dos vendedores dentro dos ônibus teve a avaliação mais positiva (bom ou ótimo), com 41,3% dos entrevistados. Em seguida, está o atendimento dos condutores (motoristas e cobradores), com 25,1%.

Perfil
Os ônibus são utilizados como meio de transporte por 77,1%, de acordo com a pesquisa. Aproximadamente 67% (66,7%) dos soteropolitanos usa o transporte público duas vezes por dia.

A forma mais comum de pagamento é o dinheiro, utilizado por 51,6%. Já o cartão de passagem (smart card) é o meio de pagamento de 15,8%. Entre os entrevistados, 4,5% declararam que não pagam passagem.

Informações: iBahia

Siga o Blog Meu Transporte pelo Facebook

2 comentários:

Este comentário foi removido pelo autor.

No que diz respeito aos vendedores dentro dos ônibus, como assim bom ou ótimo? A frequência deles nas viagens?
Sou de Porto Alegre, no Rio Grande do Sul. Posso dizer que, nos ônibus que atendem a zona sul da cidade, onde moro, fora dos horários de pico, quase sempre aparecem vendedores de balas/chiclés, adesivos, cartões, bilhetes de loteria, etc. dentro dos ônibus. Quase todos estes fazem um discurso para os passageiros, tipo: "Com licença pessoal, bom dia/tarde/noite e boa viagem... Se vocês puderem nos ajudar..." É raro eu comprar dessas pessoas dentro dos ônibus. Convenhamos, não é a coisa mais legal (no sentido literal da palavra) atuar como vendedor ambulante "pulando" de um ônibus para o outro da cidade. E olha que nem sempre os motoristas e cobradores deixam eles entrarem nos coletivos pra vender, muitas vezes são menores de idade, crianças ou adolescentes.
Eu sei que essas pessoas passam por dificuldades, mas fazer o quê... Prefiro ficar escutando meu tocador de músicas no fone de ouvido. Mas pelo visto, esse é um problema que está longe de ser resolvido.
Tenho 31 anos. Sou busólogo!

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960