Projeto Pedala BH amplia vagas para estacionamento de bicicletas

quarta-feira, 30 de novembro de 2011

A população de várias regiões de Belo Horizonte ganha um reforço no estímulo ao uso da bicicleta. É que foram implantados 52 paraciclos (dispositivos para estacionamento de bicicletas) na cidade, entre os meses de setembro e novembro de 2011.

Os paraciclos estão inseridos no programa Pedala BH que tem como objetivo promover o uso da bicicleta na capital, criando facilidades para quem optar por esse meio de transporte. Com esses dispositivos foram criadas 104 vagas de estacionamento para bicicletas na regiões da Savassi, Hospitalar, Central, Nordeste, Barreiro, Noroeste e Leste.


Eles funcionam como um complemento do sistema cicloviário da capital, que já  inaugurou quatro ciclovias no segundo semestre deste ano e com previsão de mais uma até o fim de 2011 – a rota cicloviária Barreiro.

Cada dispositivo tem a capacidade para estacionamento para duas bicicletas e estão localizados nos seguintes locais:

- na Avenida Professor Morais com Rua Antônio de Albuquerque
- na Avenida Professor Morais com Avenida Getúlio Vargas (ao lado da sorveteria São Domingos)
- na Avenida Bernardo Monteiro com Avenida Carandaí (na Praça em frente ao Colégio Arnaldo)
- no Restaurante Popular do Barreiro
- Avenida Américo Vespúcio com Rua dos Pinheiros
- na Avenida Elísio de Brito com Avenida Itaituba
- na Avenida Amazonas com Rua dos Goitacazes (Mercado Central),
- na Rua Rio de Janeiro, entre Rua Tamoios e Avenida Afonso Pena (Praça Sete)
- na Rua Rio de Janeiro, entre Rua Tupinambás e Avenida Afonso Pena (Praça Sete)
- na Rua Carijós, entre Rua São Paulo e Avenida Afonso Pena (Praça Sete)
- na Rua Carijós, entre Rua Espírito Santo e Avenida Afonso Pena (Praça Sete)
- na Avenida Risoleta Neves junto ao Centro de Cultura (Bairro Aarão Reis/Região Norte)

Antes dessas vias, a Avenida Otacílio Negrão de Lima, ao lado do Parque Guanabara, na Pampulha, a Rua Pernambuco, na Savassi, e a Rua Ceará com Avenida Francisco Sales (Restaurante Popular) já contavam com paraciclos.


Diversificação dos meios de transportes na melhoria da mobilidade urbana

O Planejamento estratégico da BHTRANS definido para os próximos anos, definiu ações para melhoria da Mobilidade Urbana da capital, entre elas a implementação de infraestrutura e o estímulo a modos diferenciados de locomoção. As ciclovias, então, entram nesse cenário, criando a oportunidade para o uso das bicicletas, contribuindo para a qualidade ambiental e tornando a facilidade de deslocamento um fator de inclusão social.

De julho a setembro deste ano de 2011, foram inauguradas quatro ciclovias na capital mineira: na Avenida Risoleta Neves (Via 240), na Rua Professor Morais (Savassi), seguindo pela Avenida Carandaí, Rua Piauí (Funcionários) até a sua conexão com a rota cicloviária leste (em implantação), na Avenida Américo Vespúcio (bairro Aparecida) e a do Boulevard Arrudas, entre a Rua Carijós e a Avenida Barbacena.
 
Bicicletários

Com uma estrutura maior e com mais capacidade, o bicicletário é um espaço – fechado ou não – delimitado exclusivamente para o estacionamento de bicicletas, sinalizado, contendo um conjunto de paraciclos. As estações de integração de ônibus BHBUS São Gabriel, Venda Nova e Barreiro já contam com bicicletários. Estes, existentes há mais tempo, vão passar por reformulação em 2012.

Para 2012,  também está prevista a instalação dessas estruturas para bicicletas nas estações BHBUS Diamante e Vilarinho e também em vias públicas e ambientes fechados. Nas estações de integração a serem construídas, a da Pampulha e a São José, na Avenida Dom Pedro II, também receberão bicicletários.

Como política de incrementar a criação de mais espaços de estacionamento das bicicletas, a BHTRANS já adota como diretriz das medidas minimizantes dos Relatórios de Impactos na Circulação, estabelecidos para grandes empreendimentos, a instalação de paraciclos ou bicicletários. A construção do Boulevard Shopping, por exemplo, atendeu a essa condicionante. Lá, os ciclistas contam com 20 vagas para suas “bikes”.


Fonte: BHTrans

0 comentários:

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960