Mercadante defende investimento em transporte público como prioridade para a zona leste

segunda-feira, 17 de maio de 2010


Em evento do PT na zona leste da Capital neste domingo, 16, o senador Aloizio Mercadante criticou o governo estadual pela falta de investimento no metrô e na Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) e disse que uma das prioridades do próximo governo para a região é o investimento em transporte público. Mercadante afirmou que em 15 anos não foi inaugurada uma única estação na zona leste. Quando ligamos a televisão, as promessas são fantásticas, mas nos trens da CPTM e da linha vermelha do metrô as pessoas estão igual a sardinha, e não conseguem nem sair, nem entrar no metrô, criticou.
Para um público de cerca de 700 pessoas, Mercadante disse que para resolver a situação do trânsito e melhorar o transporte das pessoas é preciso mudar a visão de transporte público. Tem que voltar a investir nos corredores de ônibus, como fez a gestão Marta Suplicy, investir em metrô e modernizar os trens da CPTM, defendeu.
Com mais de 4 milhões de habitantes, a Zona Leste transporta, diariamente, 3 milhões de pessoas; destas 1,5 milhão utiliza a linha vermelha do metrô (Itaquera/Barra Funda) para se deslocar, a outra metade se divide entre os ônibus, carros e grande parte utiliza os trens da CPTM. Segundo o senador Mercadante, o governo do estado prometeu novos trens para a CPTM, com a qualidade do metrô, mas a única coisa que ficou igual ao metrô foi a passagem, porque os novos trens não vieram, cobrou ele.
Mercadante comparou a Cidade do México a São Paulo em relação à expansão do metrô. Disse que os dois estados começaram juntos a implantação e que, hoje, a Cidade do México tem 230 km, enquanto São Paulo tem só 63 km. No PSDB vamos demorar 100 anos para ficar igual à Cidade do México. O México é um país mais pobre que o Brasil e a Cidade do México é mais pobre que São Paulo. O que falta aqui é gestão, é competência, é prioridade, criticou.

Fonte: JusBrasil

0 comentários:

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960