No Rio, Vandalismo no BRT gera prejuízo de R$ 150 mil ao mês

domingo, 21 de junho de 2015

As estações do BRT são alvo constante de ato de vandalismo. De acordo com o consórcio que administra o sistema, por mês são gastos cerca de R$ 150 mil para consertar o que foi destruído, a reportagem teve acesso a vídeos que mostram cenas de destruição em algumas estações.

Vídeos mostram pessoas destruindo a entrada para cadeirantes na Estação Pedro Taques, que atende a linha Penha Circular. As pessoas se espremem num canto enquanto o vândalo destrói catraca por catraca.

Outras imagens mostram o boicote ao pagamento das passagens. Na estação Praça Seca, um grupo grande resolveu pular as catracas. Outro homem, no entanto, decidiu quebrar o equipamento.

Um outro vídeo mostra um grupo de homens arrancando todas as grades que organizam as filas e as jogando na pista, obstruindo a passagem dos ônibus. Já era tarde da noite e havia muitas pessoas aguardando embarque.

Quem anda de BRT reclama muito da superlotação, mas o vandalismo prejudica ainda mais o transporte. Todo dia tem que ser feita uma manutenção, o que atrapalha ainda mais o fluxo dos ônibus.

Segundo o Consórcio BRT, os principais alvos dos vândalos são as catracas e portas enguiçadas devido ao forçamento de abertura.

O Consórcio BRT declarou que tem vigilantes em todas as estações e que está aumentando o número de funcionários, mas entende que o vandalismo é um problema de segurança pública, que precisa ser resolvido também pelas autoridades e pela população.

0 comentários:

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960