Greve de ônibus em Curitiba chega ao fim

sexta-feira, 30 de janeiro de 2015

A greve dos motoristas e cobradores de ônibus de Curitiba chegou oficialmente ao fim no começo da noite desta quinta-feira (29). De acordo com o sindicato da categoria, todas as empresas fizeram os pagamentos do adiantamento quinzenal dos trabalhadores, conhecido como vale. O impasse fez com que todo o sistema de transporte coletivo na capital e na Região Metropolitana ficasse parado por dois dias.

Com a medida, 100% dos trabalhadores já estão disponíveis para voltar ao serviço na cidade.

O pagamento foi possível após o governo do estado transferir R$ 5 milhões para a Urbanização de Curitiba (Urbs), que repassou a quantia para as operadoras da Rede Integrada de Transporte (RIT).

A informação foi confirmada ao G1 pelo Sindicato de Motoristas e Cobradores de Ônibus de Curitiba e Região Metropolitana (Sindimoc) e pelo Sindicato das Empresas de Transporte Urbano e Metropolitano de Passageiros de Curitiba e Região Metropolitana (Setransp).

Greve
A categoria entrou em greve na segunda-feira (26) e reclama de atrasos constantes no pagamento do adiantamento salarial, que normalmente é depositado até o dia 20 de cada mês.

Desde quarta (28), os trabalhadores cumprem a decisão judicial que determina a circulação de pelo menos 80% da frota em horários de pico.

Com o repasse feito nesta manhã, o Governo do Estado cumpriu com o acordo firmado durante audiência de conciliação realizada no Tribunal Regional do Trabalho (TRT) na terça-feira (27).
Nos dois primeiros dias da greve, os ônibus ficaram parados nas garagens e mais de dois milhões de usuários foram prejudicados.

Nova tarifa técnica
Após todo o tumulto causado pela greve, o usuário do transporte de Curitiba e Região deve se preparar para um novo aumento da passagem. O prefeito da capital paranaense, Gustavo Fruet (PDT), anunciou que o reajuste da tarifa técnica, que corresponde ao valor repassado às empresas, deve ser divulgado na sexta-feira (30). Conforme o prefeito, os empresários já indicaram que a tarifa pode passar dos atuais R$ 3,18 para R$ 3,60 ou até R$ 3,80.

Isso significa que, para o usuário, a passagem - também conhecida como tarifa social - pode ultrapassar os R$ 3. Atuamente, o valor é de R$ 2,85.

Além disso, de acordo com Fruet, a tarifa única pode acabar. Dependendo das negociações com o governo do estado, o preço na capital pode ser diferente do praticado na Região Metropolitana.

Informações: G1 PR

0 comentários:

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960