Rodoviários dizem que não haverá greve no transporte coletivo de Curitiba até o dia 5

terça-feira, 26 de janeiro de 2016

Com o pagamento do adiantamento salarial de motoristas e cobradores, o risco de uma nova paralisação no transporte coletivo de Curitiba fica para fevereiro. Neste fim de semana, o Sindimoc (sindicato que representa os trabalhadores) confirmou o pagamento do vale.

O benefício é previsto na convenção coletiva da categoria. No último dia 20, os trabalhadores deveriam ter recebido 40% dos salários, mas algumas empresas chegaram a pagar com três dias de atraso. Segundo o sindicato patronal (Setransp), o atraso aconteceu porque as viações estão com problemas financeiros.

Elas alegam que o valor que recebem da Urbs, empresa que coordena o transporte coletivo na cidade, não cobre integralmente os custos. Agora, o Sindimoc aguarda que o Tribunal Regional do Trabalho do Paraná (TRT) aplique a multa de R$ 30 ao dia por empregado das empresas que pagaram o vale em atraso.

No dia 5 de fevereiro vence o prazo para o pagamento do salário referente ao mês de janeiro e novos atrasos podem ocorrer, o que deve resultar em protestos da categoria. Além disso, fevereiro é o mês da data-base dos trabalhadores do transporte público coletivo: é o prazo para empregados e empresas firmarem novo acordo salarial. Caso não haja acordo, novas greves podem ser deflagradas.

Informações: Bem Paraná

Colabore com o Blog Clicando nos anúncios da página

0 comentários:

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960