Rodoviários ameaçam greve geral em Belo Horizonte

terça-feira, 9 de junho de 2015

A paralisação no serviço de ônibus em Belo Horizonte, iniciada nesta segunda, deve continuar nesta quarta e pode virar greve geral, segundo o Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários (STTR). Nesta terça 50 linhas deixaram de circular na capital, segundo a entidade. A Empresa de Transportes e Trânsito de Belo Horizonte (BHTrans) informou que a paralisação afetou as estações Pampulha, Vilarinho, Venda Nova e São Gabriel e que, às 18h, a operação foi regularizada.


A categoria reivindica o pagamento integral da Participação nos Lucros e Resultados (PLR), cujos valores vão de R$ 117,34 a R$ 347,76, que deveria ter sido quitado até o quinto dia útil deste mês. “Enquanto não recebermos retorno das empresas, vamos manter a paralisação”, afirmou o diretor de comunicação do STTR, Carlos Henrique Marques.

O não pagamento do benefício “não pode prejudicar os usuários do sistema de transporte”, informou a BHTrans, que solicitou aos rodoviários o fim da greve. Em reunião entre o presidente do órgão, Ramon Victor Cesar, e o presidente do STTR, Ronaldo Batista, a autarquia propôs realização de audiência de intermediação entre trabalhadores e empresas no Tribunal Regional do Trabalho (TRT), ainda sem data.

Em nota, a autarquia informou que nesta segunda encaminhou petição ao TRT solicitando que patrões e empregados sejam intimados a tomar as medidas urgentes necessárias ao retorno das atividades.

O Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros da capital (Setra-BH) informou, por assessoria, que o pagamento da PLP ainda não foi efetuado porque as empresas operam no vermelho. Na última semana, a entidade havia pedido aos rodoviários o adiamento do pagamento, sem data certa, mas os trabalhadores não aceitaram.

Usuários. A doméstica Dilsineia Carvalho, 41, faltou ao trabalho para inscrever o neto na creche, no bairro Paulo VI, na mesma região, e ficou surpresa quando soube que o ônibus que pegaria na estação São Gabriel, na região Nordeste, não estava em operação. “Deveriam avisar antes de comprarmos a passagem”.

Coletivos que circulam na região Centro-Sul da cidade também aderiram à paralisação. “O ônibus que eu ia pegar não estava rodando, e tive que pegar táxi na área hospitalar para ir à Savassi”, disse a assistente social Elisângela Vicente Fernandes, 42.

País
PR e DF. A paralisação continuou nesta terça em Londrina (PR) e Brasília (DF). Na capital federal, empresas de ônibus protocolaram no TRT pedido de dissídio da greve. A audiência de conciliação deve ser nesta quarta.

Negociações
Estudo. A BHTrans confirmou, em nota, que recebeu estudo do Setra-BH que busca mostrar a necessidade imediata de revisão contratual, conforme publicou O TEMPO nesta terça. Segundo a autarquia, devido à complexidade dos textos, não há razão para o sindicato condicionar o pagamento da participação nos lucros ao fim da greve. Não há prazo para pagar o benefício, segundo o sindicato, que vai se manifestar apenas após ser comunicado oficialmente do conteúdo da nota.

Prefeito. Reunião prevista para a manhã desta terça entre os rodoviários e o prefeito Marcio Lacerda foi desmarcada devido à mudança na agenda do prefeito, que viajou para Brasília.

Move terá vigias a partir desta quinta

 Vigilantes contratados para fazer a segurança das estações de transferência do Move começarão a trabalhar nesta quinta. A ordem de serviço para o início do sistema de vigilância foi assinada pelo prefeito Marcio Lacerda nesta segunda.

Os 192 vigias vão atuar nos 48 postos de vigilância durante 24 horas, com cassetetes, sprays de pimenta, algemas, radiocomunicadores e coletes à prova de balas.

A prestadora do serviço é a Essencial Sistema de Segurança, contratada por R$ 20.367.993,16, por 20 meses. As estações continuarão sendo monitoradas por Guarda Municipal e Polícia Militar.

Por Rafaela Mansur
Informações: O Tempo

0 comentários:

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960