Começam em julho mudanças nas linhas de ônibus da Zona Sul do Rio

quinta-feira, 19 de março de 2015

Os passageiros que circulam de ônibus pela Zona Sul do Rio devem começar a se acostumar a fazer baldeações para chegar ao Subúrbio e zonas Norte e Oeste da cidade. Para reorganizar o trânsito na cidade, a Prefeitura, através da Secretaria Municipal de Transportes vai diminuir de 123 para 45 o número de linhas de ônibus que partem ou terminam na Zona Sul da cidade. Das 45 rotas que vão sobrar, 24 das terão trajetos encurtados, 20 novas linhas serão criadas e a região vai ganhar uma linha circular turística.

O plano de racionalização da frota deverá ser concluído em junho — está em fase de detalhamento — e as mudanças começam a ser implementadas no mês seguinte, de forma gradual. Para maior fluidez do tráfego, o reordenamento vai exigir também a retirada de 700 dos atuais dois mil coletivos das ruas. O secretário Rafael Picciani diz com a aglutinação de 70% das linhas de ônibus da região, as viagens serão mais rápidas.

Para que projeto funcione, os ônibus vão usar dois grandes corredores de ligação com o Centro. Um deles vai passar por Leblon, Ipanema, Copacabana e Centro, via Aterro do Flamengo. O outro, vai ligar São Conrado, Gávea, Jardim Botânico, Botafogo ao Centro, pela Praia do Flamengo. A maioria dos ônibus que chegam ou partem da Zona Sul vai circular por esses corredores.

Segundo o secretário, para alimentar o sistema serão formadas oito linhas troncais, que vão ligar a Zona Sul ao Centro, e sete linhas integradoras, que vão levar os passageiros ao Maracanã e à Rodoviária Novo Rio, e a linha circular, que vai atender bairros que ficam fora dos corredores, como Urca e Cosme Velho.

As linhas alimentadoras vão atender regiões como Rocinha, Vidigal, Horto e Leme. O secretário destaca que as linhas que partem do Vidigal e da Rocinha serão mantidas, sem alterações. Já as que saem da Barra da Tijuca, na Zona Oeste, terão os trajetos encurtados e chegarão somente até a Zona Sul.

Sobreposição
O secretário diz que existe atualmente uma oferta maior que a demanda de ônibus na Zona Sul, com muitas linhas sobrepostas, o que acaba fazendo com que muitas linhas circulem com carros vazios, em diversos horários. Picciani informa ainda que para a implementação do plano de racionalização das linhas de ônibus não haverá alteração no trânsito.

“A mudança não será feita de uma vez só. Ela se dará ao longo do semestre, entre julho e dezembro, de forma gradativa, para substituir as linhas atuais e implantar um plano de informação para o usuário”, disse o secretário, que pretende que todas as alterações já tenham sido feitas até as Olimpíadas de 2016.

Veja abaixo o trajeto das linhas troncais (T), integradoras (I) e circular (C), de acordo com o plano de racionalização dos ônibus na Zona Sul.

T1:  Praça General Osório (Ipanema), Copacabana, Botafogo e Central, via Aterro do Flamengo – essa linha tem previsão de chegar à Rodoviária, pela Avenida Rodrigues Alves e pela Avenida Presidente Vargas;

T2: Praça General Osório, Copacabana, Praia de Botafogo, Praia do Flamengo e Central;

T3: Gávea, Avenida Visconde de Albuquerque, Leblon, Ipanema, Cantagalo, Copacabana, Botafogo e Central – pode ser estendida pela Autoestrada Lagoa-Barra até São Conrado;

T4: Gávea, Avenida Visconde de Albuquerque, Leblon, Ipanema, Cantagalo, Copacabana, Botafogo, Aterro do Flamengo, Praça XV - pode ser estendida pela Autoestrada Lagoa-Barra até São Conrado;

T5: Gávea, Jardim Botânico, Botafogo, Praia de Botafogo, Praia do Flamengo, Avenida Presidente Vargas, Central - XV - pode ser estendida pela Autoestrada Lagoa-Barra até São Conrado;

T6: Gávea, Jardim Botânico, Botafogo, Praia de Botafogo, Praia do Flamengo e Praça XV - pode ser estendida pela Autoestrada Lagoa-Barra até São Conrado;

T7: São Conrado, Avenida Niemeyer, Avenida Visconde de Albuquerque, Jardim Botânico, Botafogo;

T8: São Conrado, Gávea, Jardim Botânico e Botafogo;

I1: Terminal Alvorada, São Conrado, Gávea, Avenida Visconde de Albuquerque, orla do Leblon, orla de Ipanema, orla de Copacabana e Botafogo;

I2: Terminal Alvorada, orla da Barra, orla do Leblon, orla de Ipanema e Copacabana;

I3: Jardim de Alah, Ipanema, Lagoa (Avenida Borges de Medeiros), Túnel Rebouças, Rodoviária e Terminal Maracanã;

I4: Jardim de Alah, Lagoa (Avenida Epitácio Pessoa); Túnel Rebouças, Rodoviária e Terminal Maracanã;

I5: Copacabana, Cantagalo, Lagoa, Túnel Rebouças, Rodoviária e Terminal Maracanã;

I6: Botafogo, Praia de Botafogo, Túnel Santa Bárbara, Rodoviária e Terminal Maracanã – pode ir também por Laranjeiras para pegar o Túnel Rebouças;

I7: Jardim de Alah; Praça General Osório, Copacabana, Túnel Velho e Botafogo;

C: Urca, Botafogo, Jardim Botânico, Avenida Visconde de Albuquerque, orla do Leblon, orla de Ipanema, orla de Copacabana, Urca – pode seguir ainda por Laranjeiras e Cosme Velho em vez de seguir por Botafogo.

0 comentários:

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960