Urbs faz reparos e manutenção diária em estações-tubo

sexta-feira, 30 de junho de 2017

Reforma de elevadores, troca de piso, reparos na cobertura são algumas das manutenções feitas em estações-tubo da cidade. De janeiro a junho, a Urbanização de Curitiba S/A (Urbs) investiu R$ 123 mil neste tipo de serviço em cerca de 20 estações de embarque e desembarque de passageiros do transporte coletivo de Curitiba.


Nas próximas semanas serão concluídos os reparos das duas estações-centrais perto da sede da Universidade Federal do Paraná. Na Praça Eufrásio Correia, a Urbs fez a manutenção da cobertura para acabar com um problema de infiltração.

Os pedidos para os consertos chegam pelo telefone 156 ou pelas vistorias dos fiscais da Urbs. “Os próprios passageiros avisam dos problemas ou a fiscalização informa o setor de manutenção”, disse o gestor da Área de Tecnologia do Transporte, Élcio Karas.

As estações Alferes Poli, Oswaldo Cruz, Coronel Dulcídio, Bento Viana, Central, Passeio Público, PUC, Parque Iguaçu e Prefeitura Sentido Boqueirão tiveram revisão geral nos elevadores de acessibilidade. Nestes casos foram substituídos sistemas elétricos e feita revisão mecânica com troca de válvulas, mangueiras e conexões desgastadas pelo uso.

Nas estações Centro Médico Bairro Novo, João Viana Seiller e Getúlio Vargas, Mercês e Antonio Cavalheiro a manutenção melhorou o piso.

O gestor da área explica que além das manutenções maiores, todos os dias 12 equipes da Urbs percorrem a cidade fazendo pequenos reparos e ajustes nas estações-tubo. Duas destas equipes são exclusivas para manutenção dos elevadores de acessibilidade. “São trabalhos rotineiros, de manutenção corretiva e preventiva que demandam assistência técnica”, disse.

Informações: Urbs

0 comentários:

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960