BRT será implantado em três etapas e fará integração com metrô em Salvador

domingo, 18 de setembro de 2016

O BRT (Bus Rapid Transit) de Salvador ganhou uma novidade. Nesta sexta-feira (16), foi assinada a liberação de recursos que garante a implantação do sistema, que ligará Lapa - Iguatemi. Em coletiva de imprensa, o prefeito ACM Neto afirmou que até o fim de outubro deste ano será lançado o edital de licitação para a escolha da empresa que executará as obras da primeira etapa de implantação.

As obras contarão com três etapas de implantação do BRT: a primeira – cujos recursos estão sendo liberados - contemplará o trecho entre o Parque da Cidade e o Shopping da Bahia, entre as avenidas Juracy Magalhães e ACM, até a estação de integração com o metrô que está sendo construída pela CCR próxima à Rodoviária. Esse trecho contará com três viadutos, dois elevados e três estações.

O BRT (Bus Rapid Transit), inédito em Salvador, é conhecido mundialmente e já foi utilizado em diversas grandes cidades do Brasil e do mundo, tais como Curitiba, Rio de Janeiro, Los Angeles, Istambul e Bogotá.

Com investimento total previsto de R$820 milhões, o projeto será implantado ao longo do corredor formado pela Avenida Vasco da Gama, Rua do Lucaia, Avenida Juracy Magalhães e Avenida ACM, se estendendo desde a entrada da Estação da Lapa até a Estação de Integração Iguatemi (metrô/BRT), na região próxima ao atual Shopping da Bahia. As intervenções preveem o aproveitamento das vias de ônibus convencionais já existentes ao longo da Avenida Vasco da Gama, adaptando-as para uso do sistema BRT. Nos demais trechos serão implantados novas vias exclusivas para o sistema.

Serão construídos corredor exclusivo para os veículos do sistema BRT; melhorias no sistema viário, com implantação de faixas de fluxo contínuo nas Avenidas Juracy Magalhães e ACM; estações do sistema BRT; e complexos de viadutos nos principais locais de cruzamento viário ao longo do corredor. Além disso, serão realizadas obras de macrodrenagem; urbanização e paisagismo ao longo do corredor de transporte; e implantação de ciclovias.

Os veículos utilizados pelo sistema serão do tipo ônibus articulados com capacidade para 170 passageiros, portas largas e comprimento máximo de 23m, operando a uma velocidade comercial de 25 a 40 km/h. O projeto prevê alcançar o atendimento de cerca de 31.000 passageiros por hora (em momentos de pico).

Informações: iBahia.com

1 comentários:

Um BRT faraônico com custo de implantação perto de R$100 mi por km,ligando dois pontos já atendidos pelo sistema metroviário da cidade (linhas 1 e 2)com percurso e tempo menores com mais rapidez e mais capacidade de atendimento da demanda,além do que a demanda existente no corredor de BRT proposto pela Prefeitura é questionável.Além disso o ref. corredor ira provocar uma imensa cicatriz no aspecto urbano da cidade com a construção de inúmeros elevados,viadutos,estações suspensas,tamponamento de um rio e a destruição do canteiro central da Av.Juraci Magalhães Jr o mais verde e arborizado da cidade.A proposta mais aceitável e menos impactante seria a implantação de um sistema BHLS de baixo custo aproveitando a infraestrutura existente (faixas exclusivas a explo do projeto de Londrina) com algumas adequações e com a mudança da origem e destino,fazendo a ligação da estação Iguatemi(Shopping da Bahia) com os bairros Itaigara/Pituba, que possuem uma densidade comercial e habitacional muito forte,estabelecendo assim uma ligação importante com as áreas compreendidas do entorno da BR 324 e da RMS,sentido norte(Lauro de Freitas e região).Não passa de um projeto faraônico extremamente caro cujos benefícios da sua construção certamente não serão voltados para população da cidade.O sistema terá apenas 8,5km com 9 estações a um custo total de R$820 mi.

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960