Prefeitura inicia pesquisa do ir e vir na Grande Curitiba

domingo, 10 de abril de 2016

A Pesquisa Origem Destino – Grande Curitiba, que vai traçar o panorama dos deslocamentos e as demandas do transporte em Curitiba e na região metropolitana, começa sua fase de campo hoje. Ao mesmo tempo, tem início a campanha de divulgação por meio de spots de rádio, assim como pela distribuição de folders e afixação de cartazes nos equipamentos públicos. 
foto: Franklin de Freitas

"A necessidade dessa pesquisa foi muito comentada, mas ela jamais foi feita. É um levantamento muito importante, que vai balizar todo o planejamento do transporte nos anos seguintes. É importante que a população receba os pesquisadores, que estarão identificados com colete, bone e crachá", disse o prefeito Gustavo Fruet, durante consulta pública da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2017 realizada, ontem, na Regional Portão.

A pesquisa vai levantar o volume e as características dos deslocamentos realizados pela população em suas atividades diárias. Os hábitos de deslocamento das pessoas que moram e passam por uma região são investigados para que se possa saber de onde vêm, para onde vão, como vão e quando fazem isso.

A Pesquisa pretende apresentar um retrato da atual situação de mobilidade em Curitiba e nos municípios mais próximos da região metropolitana que também geram impactos sobre o trânsito na capital. Além disso, serão produzidas ferramentas de análise dos resultados obtidos e haverá treinamento dos servidores municipais para uso dessas ferramentas.

A principal frente de pesquisa, por ser a mais ampla e mais completa, será composta pelas entrevistas domiciliares. A segunda frente de pesquisa é a contagem volumétrica e medição de velocidade de veículos que já está sendo realizada. Serão duas etapas: de março a junho e de agosto a novembro.

O terceiro tipo de levantamento compreendido pela Pesquisa de Origem Destino é de opinião. As perguntas dirão respeito ao grau de satisfação com o transporte coletivo, com o sistema viário e com o trânsito em geral, além dos problemas enfrentados e trajetos não atendidos.

Desta forma, os levantamentos vão permitir a criação e a análise de diversos cenários e simulações de intervenções. Desde a alteração de mão de tráfego numa via ou a implantação de passeios para pedestres até a criação de novas linhas de ônibus e o aumento de frota em determinada região ou horário.

Informações: Bem Paraná

0 comentários:

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960