Em Teresina, Motoristas de ônibus podem deflagrar greve na próxima sexta-feira

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2016

Os motoristas de ônibus de Teresina decidiram deflagrar greve por tempo indeterminado a partir da próxima sexta-feira (25), caso o Setut não se manifeste quanto ao pagamento dos 12% de reajuste acordado na última convenção com a categoria. A decisão foi tomada em assembleia realizada na manhã de hoje (22) na sede do Sintetro (Sindicato dos Trabalhadores das Empresas de Transporte de Teresina). Caso a greve seja deflagrada, apenas 50% dos frota permanecerá rodando. Esse número pode reduzir para 30%, que é o mínimo determinado pela Justiça.

O presidente do sindicato, Fernando Feijão, disse que “só depende do Setut se manifestar e pagar o valor referente ao reajuste para que a greve não seja deflagrada”. Ele conta que os 12% acordados ainda foram depositados no salário, plano de saúde e tíquetes alimentação de janeiro, mas que em fevereiro, o aumento já não veio.

Na última sexta-feira (19), os motoristas fizeram uma paralisação no começo da tarde  para alertar o patronato sobre o não cumprimento do acordo. Na ocasião, o Setut informou que deixou de receber da Prefeitura o repasse da diferença da meia passagem, que ficou congelada em R$ 1,05 nos últimos dois reajustes do valor da inteira.  

Para o presidente do Sintetro, essa é uma questão que deve ser resolvida entre o Setut e a Prefeitura, sem sacrificar o trabalhador. Fernando Feijão denuncia o impasse com relação ao pagamento das férias dos trabalhadores, que retornam dos 30 dias de folga sem ter recebido por eles.

Ele menciona também a falta de segurança nos coletivos e os constantes assaltos que têm sido registrados em algumas linhas da cidade, principalmente as que fazem percurso para a zona Sul

“Nós temos ainda o problema estrutural dos terminais de linha. Muitos deles não têm condições mínimas de receberem os motoristas na pausa entre uma viagem e outra. Sem contar as vias esburacadas que acabam com os ônibus. A população reclama com os trabalhadores por causa dos carros quebrados, mas esquecem que isso é responsabilidade da empresa. Nós só prestamos o serviço”, finaliza o presidente do Sintetro.

O PortalODia.com entrou em contato com representantes do SETUT, mas ninguém foi encontrado para comentar o assunto.

Strans diz que vai iniciar cadastro de veículos alternativos a partir de quarta-feira, se greve for confirmada

A Strans divulgou uma nota na tarde desta segunda-feira, 22, manifestando-se acerca da iminente greve dos trabalhadores e da posição do Setut, que denuncia o atraso no pagamento dos repasses devidos pelo Executivo, destinados a compensar o congelamento da meia passagem.

"A Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito esclarece que não tem nenhuma relação sobre as questões salariais do sistema de transporte público, pois esse assunto diz respeito somente ao empregado e empregador. No que diz respeito ao repasse existe uma demanda judicial, por esse motivo nenhuma atitude pode ser tomada com relação a esse repasse", diz a nota divulgada pelo órgão municipal.

A Strans informa, ainda, que a partir da quarta-feira (24) iniciará o cadastro de carros alternativos para substituir os ônibus, caso o movimento grevista seja confirmado. 

Por Maria Clara Estrêla
Informações: Portal O Dia


Colabore com o Blog Clicando nos anúncios da página

0 comentários:

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960