População de Curitiba enfrentou greve parcial de ônibus nesta terça-feira

terça-feira, 1 de dezembro de 2015

A greve parcial de motoristas e cobradores em Curitiba, que foi deflagrada na madrugada desta terça-feira (1º), encerrou por volta das 10h30. Os trabalhadores reclamaram por não ter recebido o pagamento da primeira parcela do 13º salário, que deveria ter sido paga na segunda-feira (30).

Os funcionários também reclamaram dos atrasos constantes com relação ao adiantamento salarial, conhecido como “vale". Com a regularização da parcela do décimo, os funcionários voltaram normalmente ao trabalho na capital.

As empresas Viação Tamandaré e Empresa de Ônibus Campo Largo Ltda foram as últimas a fazer o depósito. Os funcionários retornaram ao trabalho depois das 12h40.

A paralisação atingiu 15% da frota e prejudicou principalmente as linhas da região central e Região Metropolitana. Dos 12 mil motoristas e cobradores, pelo menos dois mil cruzaram os braços durante esta manhã para reclamar da falta de pagamento.

Conforme o Sindicato dos Motoristas e Cobradores de Ônibus de Curitiba e Região Metropolitana (Sindimoc), Mais de dois milhões de usuários dependem dos 1.945 ônibus de 356 linhas da Rede Integrada de Transporte entre a capital e Região Metropolitana.

No dia 23 de novembro, cerca de 400 motoristas e cobradores da empresa Araucária Transporte Coletivo Limitada Urbana também decidiram paralisar parcialmente as atividades para reclamar de atrasos no pagamento do vale.

Por Adriana Justi
Informações: G1 PR

0 comentários:

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960