Em Goiânia, Metrobus é um exemplo de serviço público

sexta-feira, 6 de novembro de 2015

Em recente pesquisa do Instituto Signates para avaliação do serviço oferecido pelas empresas de transporte coletivo da grande Goiânia, mostrou que apesar da alta desaprovação de usuários em relação aos serviços das concessionárias de transporte coletivo, a linha mais bem avaliada continua sendo o Eixo Anhanguera, administrado pela estatal Metrobus Transporte Coletivo S/A. Pesquisas de satisfação feitas especificamente na via apresentam resultados de análise mais positiva dos passageiros, se comparadas aos obtidos quando o assunto é o sistema dos alimentadores na região metropolitana da Capital. A empresa é também responsável pela operação, manutenção e conservação das 19 Estações de Embarque/desembarque e cinco terminais de integração instalados ao longo do corredor. (Padre Pelágio, Dergo, Praça A, Praça da Bíblia e Novo Mundo).

Atualmente nossa força de trabalho é composta por aproximadamente 1000 colaboradores (incluindo a mão de obra vinculada às prestadoras de serviços). Atendendo uma média de 300 mil passageiros todos os dias, a Metrobus disponibiliza até ?126 ônibus para o trabalho diário e que realiza análises diárias de demanda para determinar e atender prioridades, principalmente nos horários de maior concentração de passageiros. São rotineiras operações para intensificar o escoamento de usuários do centro de Goiânia para os bairros em momentos de pico.

Até o problema da alta lotação é amenizado no Eixo por conta do tempo reduzido de espera na plataforma, já que o maior intervalo entre ônibus é de oito minutos nos trechos estendidos de Goiânia até Senador Canedo, Goianira e Trindade. O tempo, no entanto, é ainda mais reduzido na faixa central da linha, já que do terminal Vera Cruz até a Praça A o intervalo é de quatro minutos e de apenas dois minutos entre os terminais Padre Pelágio e Novo Mundo.

O Governo Estadual investe mensalmente R$ 5 milhões para subsidiar a passagem a R$ 1,65 no Eixo Anhanguera. O novo presidente da Metrobus, Marlius Braga Machado, assumiu a direção da estatal e realiza seguidas reuniões com os diretores e colaboradores da empresa no sentido de torná-la ainda mais eficiente. Engenheiro eletricista formado pela Universidade de Brasília (UNB) com larga experiência atuando em multinacionais como IBM e BMC. Pós-graduado e com MBA em administração de sistemas e informação pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), já foi sócio-proprietário de outras empresas, também do seguimento tecnológico. Com sua experiência em gestão técnico-administrativa, o presidente, pretende dar mais agilidade nos processos administrativos da empresa, cortar gastos desnecessários e cumprir sua missão que é proporcionar transporte coletivo, com dignidade, rapidez, segurança aos usuários e sustentabilidade à organização. Baseados na responsabilidade, transparência, compromisso, respeito, união e ética.

Por Fernando Henrique Freire

0 comentários:

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960