Governo vai estender subsídio de 50% do Eixo Anhanguera a toda RMTC

terça-feira, 12 de maio de 2015

Usuários do transporte coletivo poderão pagar R$ 1,65 pela passagem de ônibus em toda a região metropolitana de Goiânia a partir de agosto.

Este é o plano do presidente da Metrobus, Eduardo Machado, que, em entrevista ao Jornal Opção Online, anunciou o lançamento do Cartão Metrobus — benefício que garantirá a usuários cadastrados 50% de desconto na passagem em qualquer ônibus da Rede Metropolitana de Transportes Coletivos da Grande Goiânia (RMTC).

Aos moldes do atual subsídio ofertado pelo Governo de Goiás no Eixo Anhanguera — operado pela estatal goiana –, o presidente do órgão afirmou que tal benefício não ficará mais restrito ao “Eixão”. “É uma inovação, cujo objetivo é promover justiça social para todos os moradores da região metropolitana. Estaremos atendendo, verdadeiramente, aqueles que mais precisam”, justificou Eduardo.

Segundo ele, todo o investimento que o governo faz atualmente apenas no Eixo Anhanguera será ampliado para os ônibus das outras empresas que atendem a região metropolitana. “Estaremos relocando os investimentos, que hoje ficam restritos à apenas uma linha. Estamos expandindo nossa atuação”, completa.

Com a nova proposta, o valor de R$ 1,65 do Eixo Anhanguera será extinto e o usuário regular pagará os R$ 3,30 atuais da RMTC.

A criação do Cartão Metrobus faz parte do pacote de melhorias do novo consórcio que a estatal vai apresentar com a constituição de um novo consórcio de transporte coletivo. A Rede Metrobus, que reunirá as empresas Viação Reunidas, Cooperativa de Transportes do Estado de Goiás (Cootego), Rápido Araguaia, e a própria Metrobus, vai operar de maneira semelhante à RMTC.


No entanto, o grande diferencial é que haverá uma padronização dos ônibus, além de uma nova marca e, claro, acordo de cooperação mútua.

Com a demanda das concessionárias em baixa — tendo perdido cerca de 30 milhões de validações apenas de 2013 para 2014, principalmente após a extensão do Eixo Anhanguera a Senador Canedo, Trindade e Goianira –, elas passariam a operar o trajeto para tais cidades — hoje, exclusivo da Metrobus.

Em contrapartida, a estatal passaria a compartilhar o quadro de funcionários, além de fazer uso da expertise/estrutura das garagens das concessionárias. Dessa forma, diminuiria os custos de operação do Eixo Anhanguera que, segundo Eduardo Machado, sofre com a burocracia de toda empresa pública brasileira.

“Vamos passar a gerar lucro para o Estado. Investiremos em melhorias nos ônibus da Metrobus, como ar-condicionado e Wi-Fi”, assegura.

Martelo

O presidente da Metrobus contou que se reuniu com a diretoria da Secretaria de Estado do Meio Ambiente, Recursos Hídricos, Cidades, Infraestrutura e Assuntos Metropolitanos (Secima) nesta segunda-feira (11/5) e acertou mais detalhes sobre o projeto, que deve ser enviado a Assembleia Legislativa no dia 15 de junho. “A minuta vai regularizar a extensão do Eixo Anhanguera, operacionalizar a Rede Metrobus e criar as melhorias”, revelou Eduardo.

A expectativa é que o novo formato entre em funcionamento no dia 15 de agosto. O governador Marconi Perillo (PSDB) já deu o “sim”.

Por Alexandre Parrode
Informações: Jornal Opção

0 comentários:

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960