Prefeitura de Blumenau pensa em plano B para financiar ponte do centro

quarta-feira, 15 de abril de 2015

Nas entrelinhas, o prefeito Napoleão Bernardes confirmou ontem à coluna que um dos objetivos da ida dele a Brasília – onde hoje se encontra com o ministro das Cidades, Gilberto Kassab – é sondar a possibilidade de financiar com o governo federal a construção da nova ponte do Centro. Disse ao telefone, em resposta ao questionamento:

– É sempre importante prospectar novas oportunidades independente da destinação. E Blumenau precisa de uma e mais pontes.

A preocupação do poder público municipal pode ter origem na primeira avaliação que o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) fez sobre o pedido da prefeitura de incluir a ponte no Programa de Mobilidade Sustentável, que está sendo financiado pela instituição. O prefeito confirma que o BID pediu mais informações. Algumas já foram enviadas e outras, mais técnicas, ainda serão respondidas.

Napoleão também vai dizer ao ministro que a cidade precisa dos R$ 20 milhões aprovados por emenda coletiva da bancada catarinense para manutenção e ampliação dos corredores de ônibus.

Contra a ponte

Quem também está em Brasília é um grupo de cidadãos de Blumenau que há tempos se preocupa com o projeto da ponte do Centro. Eles têm reunião agendada no BID onde entregarão documentos que podem fortalecer a teoria de que a construção pode não ser tão eficiente como se imagina, além de comprometer o patrimônio histórico e trazer outros danos, seja pela obra em si ou pela maneira como correram os processos.

Segundo o advogado André Jenichen são cerca de 150 documentos. A esperança do grupo é que a papelada faça com que o BID decida pela não inclusão da obra no Programa de Mobilidade Sustentável de Blumenau.

Jenichen também vai entregar o material ao Mecanismo Independente de Consulta e Investigação (Mici), órgão que investiga denúncias de irregularidades nas operações financiadas pelo BID.

Informações: Blog do Pancho

0 comentários:

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960